Autor Tópico: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE  (Lida 16956 vezes)

Lezon

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #30 Online: Dezembro 21, 2007, 09:28:55 »
Caro Troyman,

Dá uma certo gosto e prazer de ler tudo quanto escreves. Por isso mesmo não te vou "cair" em cima, pois, o que apresentas com muita propriedade, ele de certo modo se desvia das verdadeiras intenções do tópico, se bem que, também se possa enquadrar na dignidade da arte chamada Karate.

Concordo integralmente com a tua explanação, e no que respeita por exemplo às artes que citaste, deste e muito bem ênfase à "capoeira" que muito embora não sendo uma arte que me apaixone, acho muito bem que os brasileiros e não só, a elevem a todos os níveis, seja respeitada e admirada como capoeira e nunca como Karate.

Essa do Karate brasileiro é para nos fazer rir um pouco...tal como há por aí uma arte denominada por Contacto Total Português, que enfim, nem digo mais nada...

Mas amigo Troyman, o tópico tem mais a ver com a possibilidade da união das forças do Karate, em organizá-lo numa instituição credível e reconhecida, dignificando sim a modalidade que anda pelas ruas da amargura...

Hai!!  Oss!!   

Offline Troyman

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 667
  • Votos: +4/-16
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #31 Online: Dezembro 21, 2007, 10:42:38 »
Caro Lezon

Depois de ler um pouco mais os posts deste tópico, reparei que o objetivo é mais político do que de identidade.  No entanto, como já coloquei em outros tópicos, quando se trata de política neste país, como o Augusto mesmo falou, se não houver o vil metal por baixo dos panos, nada é viável quando dependemos dessa corja que está aí!  Por uma questão cultural, ainda vai levar umas boas décadas para atingirmos um estágio aceitável de consciência política do nosso povo.  Infelizmente...

Saudações   :( :'( :-[
ACTroyman
Zen Do-Kan (Filiada à IUSKF - Shin Shu-Kan)
RJ

Offline samurai

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.184
  • Votos: +0/-0
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #32 Online: Dezembro 21, 2007, 10:53:36 »
Tanta critica ao karate ashi do, não fere uma norma do Dojo kun não  ???

HITOTSU REIGI O OMONZURU KOTO
  Respeitar acima de tudo


OSS >:( >:( >:(

Lezon

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #33 Online: Dezembro 21, 2007, 12:33:04 »
Amigo Samurai,

Nem sempre se pode e deve respeitar, quem em tudo na vida não merece esse respeito...mas a norma é: respeitar para ser respeitado.

Hai!!  Oss!!


Offline samurai

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.184
  • Votos: +0/-0
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #34 Online: Dezembro 21, 2007, 12:43:56 »
Acredito que não concordar com um estilo ou sistema não deve necessariamente implicar em desrespeito e agressões desnessarias como vem ocorrendo.
Isso não é só com o karate ashi do, mais aqui no forum ocorre com o Kyokushin, shotokai, kenpo e outros estilos que fogem ao quadrado, shotokan, goju-ryu, wado-ryu, shorin-ryu.


OSS

Lezon

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #35 Online: Dezembro 21, 2007, 13:57:58 »
Caro Samurai,

Concordo com essa explicação, e mais agora que o amigo surge assim tão disfarçado,
que quem se vai assustar, vou ser eu... ;)

Hai!!! Oss!!!

Offline Ricardo S

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 45
  • Votos: +0/-0
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #36 Online: Dezembro 21, 2007, 16:59:24 »
Acredito que não concordar com um estilo ou sistema não deve necessariamente implicar em desrespeito e agressões desnessarias como vem ocorrendo.
Isso não é só com o karate ashi do, mais aqui no forum ocorre com o Kyokushin, shotokai, kenpo e outros estilos que fogem ao quadrado, shotokan, goju-ryu, wado-ryu, shorin-ryu.

Samurai,

Concordo quando se refere a agressões desnecessárias (raramente serão necessárias, aliás), com toda a certeza.

Mas vejo críticas como uma demonstração de respeito. Que normalmente vem para o esclarescimento, crescimento e para um debate construtivo.

Opiniões exaltadas você sempre vai encontrar em qualquer fórum. É importante filtrar o que é relevante, ignorando as agressões, mas sem deixar de refletir com humildade e honestidade sobre as críticas realizadas, como (é importante frisar) tem acontecido por aqui.

Hai!
Oss

Offline Troyman

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 667
  • Votos: +4/-16
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #37 Online: Dezembro 21, 2007, 19:48:32 »
Samurai

Não acredito que tenha havido falta de respeito em relação ao seu estilo.  Da minha parte, pelo menos, não houve essa intenção.  Apenas coloquei o meu ponto de vista, que, aliás, deve estar aliado ao fato de ter, além de um vínculo com qualquer das três raizes, uma pessoa com bagagem, respaldo e reconhecimento da comunidade.  Quanto ao quadrado de estilos, acho que você não leu direito, estão lá no meu post pelo menos 9 estilos/linhas, e eu coloquei em aberta a apresentação de mais estilos por quem tiver conhecimento e provas de atender esse critério.  A Shoto-Kai, por exemplo, me parece satisfazer esses critérios em toda a sua plenitude, e a Kyokushin-Kai também pode estar enquadrada.  Veja bem, isto não é uma enquete oficial, muito menos um ato de fiscalização por parte de nenhum órgão estabelecido.

Saudações   :)
ACTroyman
Zen Do-Kan (Filiada à IUSKF - Shin Shu-Kan)
RJ

Offline Traichel

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 21
  • Votos: +0/-0
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #38 Online: Dezembro 23, 2007, 12:36:33 »
Oss!

Logo no meu primeiro post aqui entro na parte de política, mas como diz um ditado que vi uma vez pixado num muro, "o problema de quem não gosta de política é ser mandado por quem gosta".

Bom, eu cresci dentro do Karate-do Tradicional, então fiz parte das organizações que aconteceram aqui no RS. Há dez anos, quando a FGKT fechou, alguns órfãos (e eu incluso) conseguimos aval da CBKT para fundar a nova federação, que hoje é o atual órgão representativo aqui no Sul. A coisa começou legal mas logo a guerra de vaidades e de dinheiro fez suas baixas e meu sensei foi cordialmente convidado a se afastar da federação e eu, como os outros Otagais dele, fizemos o mesmo.

Hoje depois de uns 6 anos, treinos sozinhos e finalmente formado em Educação Física - que sim, concordo com CONFEF, mas acho que este é outro tópico - quis voltar para a federação a fim de contribuir com o que aprendi na faculdade, afinal creio que um dos problemas do karate é muito achismo e pouca ciência, mas me deparei com uma organização que praticamente se fundiu com a JKA, onde cada exame de faixa sai por R$ 160,00 sendo obrigatório um curso antes de cada exame e, é claro, mais faixas por conta desta "fusão", além de outras histórias escabrosas que quem é da antiga sabe do que falo.

Então hoje eu, junto com outros faixas-pretas, estou fazendo justamente o contrário do proposto neste tópico, ou seja, estamos nos mobilizando para formar uma espécie de liga onde o intuito, e aí entra a minha colaboração com este post, é juntar dinheiro. Sim, fazer caixa, para que se possa trazer o mestre que escolhermos sem cada aluno ter que desembolsar 150, 200 reais. Para que se um prof. fizer um projeto social, se tenha dinheiro para comprar faixas e quimonos e doar para os alunos carentes. Todo o tipo de ação que visa exclusivamente o benefício do Karate-do e para isso até o site já está sendo pensado, com área restrita onde cada filiado possa ver o extrato da conta corrente e onde está indo cada centavo arrecadado.

Se este for - e pelo visto é - o objetivo do Sensei Lezon, pode contar comigo aqui no Sul, embora ainda não nos conheçamos, e tenho certeza que outros colegas meus aqui dos pampas certamente abraçarão a causa.

Forte abraço,

André Traichel
ps. desculpem o tamanho do texto, me empolguei
Traichel
Karate-do ni sente nashi

Neto110

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #39 Online: Dezembro 23, 2007, 15:18:52 »
André, por mais meritórias que algumas ações nossas pareçam, às vezes o efeito de longo prazo delas não é o que nós pretendemos.

Administração de qualquer coisa sempre envolve habilidades que naõ se adquire em DOJO e lidar com a questão do poder.

Abra um tópico sobre CONFEF ou traga à vida um antigo que achar pertinente para discutirmos o assunto.(Eu sou contra!)

Lezon

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #40 Online: Dezembro 23, 2007, 21:50:29 »
Não sei o que é o CONFEF e, sinceramente, já não quero sequer saber...

Como já disse noutro tópico, eu não sou brasileiro pelo que não tenho qualquer influência, nem tão pouco me sinto protegido com a força de uma lei que pudesse influenciar e mudar o rumo das coisas.

No meu país dei a minha contribuição em reuniões de trabalho e participei federativamente em várias áreas e sempre dentro de um espírito em prol do Karate e dos seus praticantes. Mas aqui não tenho mais nada que fazer do que lamentar toda a situação existente e com a qual eu não pactuo...


Offline Traichel

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 21
  • Votos: +0/-0
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #41 Online: Dezembro 24, 2007, 01:14:36 »
Oss Lezon!

CONFEF - Conselho Federal de Educação Física, é o órgão que regula a profissão de professor de Educação Física, tanto bacharelado (que atua diretamente em academias e pesquisa) quanto o licenciado, que tem permissão de dar aulas em escolas, públicas ou privadas.
Na teoria, todo aquele que dá aulas envolvendo atividade física deve ter curso superior, assim como um médico ou advogado. Aqueles que já exerciam estas atividades antes da implantação dos Conselhos puderam se credenciar como professores. Se não me engano a Justiça de um dos estados brasileiros - não me lembro qual - determinou que Artes Marciais e Dança não se enquadram dentro do alcance dos Conselhos Regionais, abrindo assim jurisprudência.

Abraço
Traichel
Karate-do ni sente nashi

Lezon

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #42 Online: Dezembro 24, 2007, 09:08:30 »
Caro Traichel,

Muito obrigado pelo esclarecimento. O que me levou a questionar, foi o facto de na sigla constar as letras ON que eu jamais conseguiria descobrir seu significado, uma vez que no meu país, cada letra de uma sigla corresponde a  um nome (órgão), o que lá seria CFEF.

Bom, mas depois deste insignificante esclarecimento, aproveito para dizer que, afinal,
eu fiquei com mais razões para me desiludir ainda mais com a situação, uma vez que só prova ainda mais a anarquia existente.

Saiba que eu não sou contra o CONFEF, antes pelo contrário, o que eu não concordo de maneira nenhuma, é que ele tenha que se imiscuir na vida do Karate, tal como com toda a certeza ele também NÃO interfere na ordem dos médicos e/ou dos advogados.

Já quanto aos seus pressupostos e que eu apoio a 100%, eles deviam dizer UNICAMENTE respeito a uma só Confederação da modalidade chamada KARATE.

Esta Confederação que não faço a mínima ideia de qual seria, é que podia e devia fazer um parceria com a CONFEF, para trabalharem em conjunto nos cursos a serem feitos pela Confederação.

Para que não me voltem a dizer da pequenez de Portugal, digo eu que naquele país minúsculo, tudo isso foi feito através da FNK-P-Federação Nacional Karate de Portugal, em que foi dado um longo espaço de tempo àqueles que não sendo licenciados, entrassem no sistema e frequentassem cursos e fizessem reciclagens, a fim de serem devidamente Credenciados para poderem exercer o ensino do Karate.

Chamo bem à atenção que o mesmo foi feito em todas as modalidades desportivas,
mas sempre através das respectivas Federações.

Para finalizar, digo ao amigo Traichel a sua explicação e esclarecimento, para além do que já falei, outra coisa que me deixou estupfacto e que me levou a interrogar a mim próprio se estava no Brasil e/ou em dois países, pois, pelos vistos, a justiça  não será igual em todos os estados...

Hai!!!   
« ltima modificao: Dezembro 24, 2007, 16:01:28 por Jose Lezon »

Lezon

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #43 Online: Dezembro 24, 2007, 20:04:59 »
Caro Traichel, os demais Amigos deste fórum,

O que abaixo escrevo, também o inseri  em outro tópico relacionado com Associações/Federações.

Bom, apesar de eu já ter já escrito sobre a questão, vou tentar agora explicar melhor e dizer abertamente o que eu penso sobre a melhor solução que seria para mudar o rumo dos acontecimentos aqui no Brasil.

O caso português, serve até certo ponto para abrir o caminho para um melhor futuro do Karate no Brasil, mas penso que o seu modelo já não estará tão consentâneo com a realidade brasileira. Daí eu dizer que u caso português servirá até certo ponto, pelo que vou descrever a situação, e depois perspectivar uma forma de resolução para o Brasil.

Em Portugal, como já é sabido, só existe uma Federação a FNK-P – Federação Nacional Karate de Portugal, que tem o reconhecimento do COP - Comité Olímpico Portugal, da CDP – Confederação Desporto Portugal, e do IDP – Instituto Desporto Portugal, que representa o governo.

Aparte disto, existem  a JKA Portugal, a FKTP , as quais só dizem respeito ao Karate do Estilo Shotokan, a JKF Wado-Kai,  a JKF Goju-Kai e JKF Shito-Kai. Estas Organizações vivem às custas das quotizações dos alunos do estilo, pois não têm quaisquer subsídios do governo e, tudo o que fazem, não tem reconhecimento, a não ser dentro das suas organizações de estilo.

Registe-se ainda que quer os seus dirigentes, quer os atletas que nela estão filiados, encontram-se também filiados na FNK-P – Federação Nacional Karate de Portugal, através das suas associações de estilo. Isto significa que todo o atleta daquelas organizações, para além de pagarem a verba mensal para a sua aprendizagem,  pagam ainda Anualmente uma quota à sua Associação de Estilo, à Federação de Estilo e à FNK-P.

Desta forma,  desde dirigentes e atletas estão todos habilitados a poderem participar em todas as Acções de Reciclagens e nos Cursos de Formação da FNK-P, Cursos de Formação de Treinador Monitor, Treinador de Nível I, II e III, e ainda Reciclagem e Cursos de Arbitragem, seminários, etc.

Refiro que no que se refere aos Cursos de Treinadores, foram implementados em todas  os Agentes das modalidades pelas respectivas Federações do País, uma vez que agora só pode exercer quem está devidamente habilitado com Credencial passada pela sua Federação, seja ela de Aeróbica e/ou Karate.

É evidente que todas as Federações deram prazos bastante alargados para possibilitar a todos os Agentes de ensino não credenciados, mas que estão na profissão há muitos anos, para entrarem no “trem” da legalização fazendo as reciclagens necessárias e frequentarem os cursos equivalentes.  Claro que aqueles que eram mesmo “charlatões” os tais “picaretas”, continuaram a sê-lo, pois não tiveram coragem para apanharem o “trem”, e agora estão a braços com as inspecções e com a justiça.

Meus amigos, aqui ainda há uma certa irresponsabilidade e falta de zelo e segurança pela Saúde Pública. Os pais ainda não estão conscientes do perigo a que estão sujeitos os seus filhos. A responsabilidade civil existe, pelo que não compreendo como é possível ensinar-se sem estar credenciado, sem ser exigido um seguro e outras coisas mais…

Enfim, às vezes ainda me parece que estou a sonhar com o que estou vendo…

Agora vamos à tentativa de uma forma que possivelmente se adapta melhor para a resolver a situação no Brasil.

Eu nada tenho contra a CBKI, mas sendo a CBK a única entidade que tem o reconhecimento do COB e, consequentemente, o reconhecimento governamental, penso que para se chagar a uma arrumação completa da casa através dela mesmo.

Assim, a hipótese que eu antevejo ser mais plausível, consciente até, é a seguinte:

Numa 1ª.fase, criar-se-ia uma Comissão Nacional de Karatecas (CNK) responsáveis e credíveis que estejam dispostos a pôr  muitas quezílias e orgulhos de lado, em prol da arte que todos gostamos e para bem dos jovens deste país que querem e gostam do Karate.

Seguidamente, esta CNK elaboraria um PROJECTO bem definido e sustentado que salvaguardasse acima de tudo os praticantes, dando-lhes o suporte de uma garantia curricular, bem como para todos aqueles que desempenham funções de responsabilidades dentro do Karate.

A seguir a CNK encetaria as diligências necessárias para nomear em cada Estado do País, uma Sub-Comissão constituída por Karatecas também responsáveis e credíveis, a qual deve ser constituída pelo menos por 5 pessoas.

Após constituídas as duas Comissões, entrar-se-ia em força numa 2ª.fase, a qual seria:

Consciencializar todos os agentes do Karate a se filiarem nas suas Federações Estaduais ligadas à CBK. Depois de concretizados todos os objectivos da CNK, esperar-se-ia pelas Eleições da CBK e, antes 15 dias das eleições, divulgar-se-ia a nível nacional o projecto ainda mais elaborado e sustentado com base do que  havia sido feito inicialmente pela CNK.   

Meus amigos, com pessoas que inspirem confiança e de reconhecida competência, com a sustentação de um bom projecto que dignifique o Karate e seus praticantes, não duvidem que os ETERNOS do poder acabam por CAIR!

Para eles caírem as pessoas têm que estar dentro e JAMAIS FORA DA INSTITUIÇAO!

Hai!!!   Oss!!!

« ltima modificao: Dezembro 25, 2007, 10:41:00 por Jose Lezon »

Neto110

  • Visitante
Re: PELA DIGNIFICAÇÃO E UNIÃO DO KARATE
« Resposta #44 Online: Dezembro 25, 2007, 11:31:43 »
Lezon, eu concordo com seu esforço, mas quero apontar um equívoco de seu raciocínio:

Citar
Eu nada tenho contra a CBKI, mas sendo a CBK a única entidade que tem o reconhecimento do COB e, consequentemente, o reconhecimento governamental, penso que para se chagar a uma arrumação completa da casa através dela mesmo.

O reconhecimento do COB e governamental são coisas muito diferentes.

COB naõ é governo. COB é uma instituição corrupata com imagem muito suja na visão da maioria dos que o conhecem e acompanham (pergunte para o Gustavo e demais cariocas que viram o sucateamento da cidade e o dilapidamento das verbas públicas em empresas que pertendem ao diretor do COB).

Sendo direto, ser reconhecido elo COB naõ significa nada, só que pagaram as propinas necessárias para as pessoas certas - como se sabe que ocorreu com o TKD para fazer parte das olimpíadas.

a CBK, no momento histórico de sua fundação, recebeu um documento de reconhecimento do MEC considerando que, na época o ministério do desporto não existia, então o departamento de pugilismo ficava lá dentro e o karate era cuidado lá dentro. O documento que a reconheceu é só isto: a garantia que era ela, uma ONG e não o departamento de pugilismo de uma instituição oficial que cuidava os assuntos ligados ao Karate. O MEC não reocnhece nenhuma instituição mais que outra. Falar isto é desocnhecer a história e a legislação brasileira.

O governo reconhece qualquer um que esteja de acordo com as leis vigentes em nosso país, no caso, a nossa lei esportiva é muito moderna e avançada, mas foi criada para proteger os atletas profissionais do futebal de ser explorados pelos cartolas (administradores profissionais do esporte que só se importam com eles mesmos e suas contas bancárias).

Como a maioria do karate é amador, elas parecem estranhas e alienígenas, mas esta impressão é falsa, forjada no calor do embate entre atletas amadores de uma prática não reconhecida oficialmente como profissão no Brasil com um sistema que eles próprios por ação ou omissão homologaram.

A CBK nem é a maior nem a mais organizada, nem a mais coisa nenhuma: ela é a mais antiga e única que o presidente nunca mudou: o seu presidente é muito bom político, está no poder desde que a instituição foi criada, por motivo que temos que perguntar para quem votou nele e votou nas mudanças estatutárias que permitiram que isto ocorresse.

Eu e mais boa parte dos professores naõ concordam nem com a proposta política dela, nem com a idelogia política dela, por isto, preferimos exercer o direito constitucional de liberdade de associação e ficar ao largo dela. Com este conforto, ela naõ significa nada para mim.

Quando a constituição fos deixada de lado para m forçar a filiar, aí, eu vou me posicionar, na ofensiva é claro, contra isto, a princípio. Mas estou tranquilo, nosso país tem uma regra que impede que qualquer lei possa retroagir para prejudicar quem quer que seja.

Em tempo: não vejo enfraquecimento nenhum no karate por naõ termos uma instituição única. Vejo enfraquecimento quando vejo os karatekas imaginando que uma coordenação única vai resolver seus problemas.

Os problemas dos professores de karate vêm principalmente de falta de treinamento e estudo em torno dos objetivos que querem alcançar com o karate.

Há quem imagine que é uma pretensa lei que é responsável por naõ terem alunos em suas academias: ledo engano! Os alunos naõ estão lá por outros motivos é é preciso parar de buscar fora de nós causas de problemas que são nossos mesmo.

Elogio esforços de aprimoramento de aprimoramento dos professores como instrutores e como pessoas e sei que é só isto que faz crescimento.

Sua conclamação é interessante, mas naõ é ação ainda, as pessoas que estão no poder vão reagir, porque elas naõ tem só autoridade, até onde sei elas ganham grana com isto aí também e do tamanho da grana que ganham naquela posição elas vão reagir às tentativas de retirar isto delas.

Como já disse antes: apoio esforços de aprimoramento e apoio esforços de incitar desobediência civil generalizada às instituições como forma de protesto, mas não apoiaria confrontações políticas outras sob quaisquer argumentos, porque conheço nosso país.