Autor Tópico: Entrevista: André Bertel  (Lida 18760 vezes)

Offline Renê

  • Administrator
  • Sr. Member
  • *****
  • Mensagens: 325
  • Votos: +3/-9
    • Karateca.net
Entrevista: André Bertel
« Online: Fevereiro 06, 2011, 19:12:55 »
Andre Bertel obteve seu sexto dan em 2006, após viver e treinar durante diversos anos no Japão sob a supervisão direta do legendário Asai Tetsuhiko, criador da JKS. Somente com a participação de todos foi possível realizar a entrevista que transcrevemos abaixo:

O que é o karate-do para você? O que devemos buscar nesta arte marcial?

No passado, o karate era puramente uma arte marcial, com um objetivo específico de alcançar o ichigeki-hissatsu (matar com um único golpe). Já o karate moderno japonês incorporou elementos voltados para o desenvolvimento holístico do corpo, mente e espírito. Ambas abordagens são adequadas, porém fisicamente nós ainda devemos buscar alcançar o ichigeki-hissatsu em todas as nossas técnicas, caso contrário, o karate tradicional, o verdadeiro, é perdido.

O que o levou a praticar karate-do e o estilo shotokan?

Na verdade não foi minha escolha, minha mãe me obrigou a praticá-lo a partir dos 5 anos de idade. Inicialmente eu odiava o karate, porém depois de ter obtido a graduação de shodan (faixa preta, primeiro dan) nos anos 80, eu decidi continuar a praticá-lo no meu ritmo. Com o passar do tempo, finalmente me dei conta da sorte de ter estudado o estilo Shotokan da JKA, e logo comecei meus planos de ir ao Japão, mesmo sendo de uma família de poucos recursos.

Como você vê o que é ensinado nos dojos de karate-do no mundo? Você acredita que já se perdeu o espírito de arte marcial, com tradição e foco na eficácia das técnicas que possam ser aplicadas para a defesa pessoal? O que fazer para mudar este quadro?

Na sua essência, o karate está morto devido ao foco excessivo em competições, e os políticos do karate, que possuem técnica insuficiente, a transmutaram em uma sub-arte marcial. Por outro lado, é engraçado observar que karatekas esportivos são geralmente mais fortes que os que se proclamam tradicionais... Isto ocorre devido a que muitos dos "tradicionais" na verdade estão praticando uma versão entediante do karate esportivo. O karateka tradicional usa 100% do seu tempo de treinamento tentando atingir o ichigeki-hissatsu, e esse é o ponto que deve ser enfatizado para mudar a situação atual e reviver o verdadeiro karate. Qualquer prática inferior à essa é uma forma de karate esportivo independentemente do rótulo que o coloquem.

Qual sua opinião sobre a luta de algumas organizações de karate-do para que competições de karate façam parte dos jogos olímpicos? Você vê a "esportivização" e essa busca como algo positivo?

O Sensei Gichin Funakoshi foi contra qualquer tipo de competição de karate, porém a JKA desenvolveu um conjunto de regras razoáveis que promoveriam a técnica tradicional do karate no kumite e no kata. Estas regras facilitaram o desenvolvimento da técnica tradicional do karate nos katas, e ippon-waza com controle no kumite. Sobre a entrada do karate nas olimpíadas, se as regras não forem a da JKA ippon shobu kumite, eu torço para que isso nunca aconteça.
Por exemplo, em kata, os campeões das competições atuais geralmente me dão asco devido à sua atuação teatral, sem qualquer potência real. Compare estas "apresentações" com o Sochin do sensei Osaka Yoshiharu ou o Unsu do sensei Yahara Mikio. O objetivo deles é obter um impacto monstruoso em cada técnica, o que é o karate tradicional! Seus katas são espetaculares porque se trata da pura arte marcial, e não simplesmente de uma tentativa de realizar movimentos chamativos.

Como foi sua trajetória até chegar a ser discípulo do mestre Asai? Que outros mestres te inspiraram?

Eu só cheguei a conhecer e treinar com o sensei Asai Tetsuhiko a partir de 1993. Ele se interessou no meu karate, e a partir daí ele investiu muito esforço no meu desenvolvimento, o que era algo que não havia pedido explicitamente, portanto eu me senti muito privilegiado em se tornar seu aluno particular. Considerando todos os mestres de karate japoneses, provavelmente todos os instrutores da JKA me inspiraram de uma ou de outra forma.

O mestre Asai tinha uma forma bastante fluída em seus movimentos, e em suas demonstrações, vemos muito o uso das articulações do corpo, especialmente usadas durante as técnicas Muchiken. Por outro lado, o conceito de kime é comumente associado à rigidez. Como aliar a fluidez com o kime?

Não se trata somente de fluidez, em japonês, "kime" vem de "kimeru", que por sua vez significa "decisão". Kime não é tensionar os músculos por um curto período de tempo, mas sim saber o momento de finalizar ou parar a aplicação de uma técnica. Outros mestres do Shotokan têm pontos de vista diferentes sobre este assunto, porém isso foi o que o sensei Asai me ensinou, e portanto é o que sigo. O fato é que estas técnicas são mais poderosas, suaves, rápidas e menos agressivas ao próprio corpo.

Você poderia comentar sobre a origem e principais pontos a aprender do Hachimon Kata?

Originalmente, eu aprendi o kata Hachimon com o sensei Asai nos anos 90. A tradução literal do nome deste kata é "oito portões", em referência ao "happo" (oito direções), cobertas pelo Embusen. Este é o primeiro de uma série de três katas; os outros são o Senka e o Rakuyo. Não tenho certeza de sua origem, porém o Asai sensei havia dito que este era um koten-gata (kata clássico/antigo). Os seus principais conceitos são típicos do Asai-ha Shotokan-ryu karatedo, que são: suavidade, chicoteo e movimentos naturais. O Hachimon tem uma ênfase particular no alinhamento postural das técnicas fundamentais de cada um, na rotação e rotação reversa. Um ponto particular que o sensei realmente enfocava nos três katas nesta série era o controle do tornozelo durante a rotação, portanto para mim, este é o principal conceito.

Qual a sua opinião sobre a utilização de equipamentos de proteção (bogu) comparado ao sundome?

Este tema vai em conjunto com os 2 temas discutidos anteriormente, já que kihon, kata e kumite formam um trio inseparável. Eles devem se harmonizar perfeitamente juntos, porém isso não é a realidade para a maioria das pessoas.
Voltando à pergunta, primeiramente, o que define o karate tradicional é o lapidação de todas as técnicas para aplicá-las fatalmente no kumite, seja através do kihon ou do kata. E o principal tema, ao buscar maestria nesta habilidade, é como controlar perfeitamente o corpo.
Em seguida, como mencionei anteriormente, o kime se trata da decisão de quando a técnica encaixa, a que profundidade, com que parte do corpo e aplicada a que parte do corpo do oponente. Armaduras ou equipamentos de proteção fariam com que este controle se perca, enquanto que o sundome o reforça. Porém, o sundome não é uma prática normal, é somente aplicável em uma situação onde não haja perigo de vida, seja no dojo ou dentro de uma competição. Toda a potência deve estar lá, porém contida para não matar ou debilitar seriamente um oponente.
Em conclusão, use o saco de pancadas e o makiwara para um treino de contato, e também não há de mal no uso de equipamentos de proteção no treino para permitir maior contato, porém, a regra do sundome não deveria ser substituída em competições de karate.

Alguns estilos de karate-do têm um grande enfoque no treino de resistência a golpes em seus ensinamentos, o que não se vê freqüentemente no estilo Shotokan, que enfoca explosão e agilidade. A resistência a golpes é necessária? Como aliá-la aos treinamentos?

Durante meus diversos anos trabalhando em segurança privada, estive envolvido em diversas situações de briga de rua, e isso me ensinou muito sobre medo, choque e absorção de golpes, especialmente no rosto e cabeça. Não acredito que o condicionamento excessivo de absorção seja necessário, especialmente para os que treinam somente para defesa pessoal. A capacidade de absorção de golpes no abdômen é essencial, porém novamente não recomendo a prática de absorção de golpes no rosto ou cabeça. Estando em um dojo sério, inevitavelmente você sofrerá duros golpes no rosto, e isso é mais do que o suficiente. Se o instrutor é competente, ele nunca dirá yame imediatamente após alguém seja ferido, com a finalidade de gerar o hábito de defesa independente de sua condição. Alguém que reduz sua defesa depois de ser ferido e antes do yame não foi condicionado corretamente. A única exceção óbvia é o nocaute, porém isto também é indício de um treinamento inadequado, o que nos leva novamente à discussão sobre o sundome.

Você pensa em vir ao Brasil?

Eu realmente desfruto ensinar o Asai-ha Shotokan-ryu karatedo em qualquer parte do mundo, porém atualmente não tenho programado nenhuma visita ao Brasil. Neste ano, ando realizando seminários de karate aqui na Nova Zelândia, Austrália, Japão, Malásia e Estados Unidos. O grande entrave é minha agenda, caso contrário eu estaria em todo mundo propagando adequadamente o karate do sensei Asai. Espero poder ensinar karate no Brasil futuramente!
Karateca.net: A 3ª melhor maneira de se passar o tempo
Acompanhe o nosso twitter: @karatecanet

Offline Farkatt

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 603
  • Votos: +0/-0
    • Bubishi - observatório das artes marciais em Pernambuco e no Brasil
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #1 Online: Fevereiro 06, 2011, 20:07:47 »
Minha admiração por esse rapaz aumentou ainda mais depois dessas respostas. É um exemplo de seriedade, tradicionalismo no karate mas sem o radicalismo e falta de tolerância que costumamos ver em quem diz que pensa dessa maneira.

Se ele pratica o que fala, eu não posso opinar, mas o que está escrito é perfeito !

rapha.m.g

  • Visitante
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #2 Online: Fevereiro 06, 2011, 20:49:44 »
Gostei bastante. Bastante mesmo.

Offline Renê

  • Administrator
  • Sr. Member
  • *****
  • Mensagens: 325
  • Votos: +3/-9
    • Karateca.net
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #3 Online: Fevereiro 06, 2011, 20:55:53 »
Para quem quer ver a versão original em inglês (qualquer comentario para melhorar a tradução original e benvinda e podera ser incorporada):

1. In your opinion, what is Karate-do? What we should look for in this martial art?

Karate in the past was purely a martial art which physically aimed to achieve ichigeki-hissatsu (to kill with a single blow). Modern Japanese karate-do has incorporated the holistic development of the body, mind and spirit, and also the aspect of completion karate. Old and modern karate are both fine, but physically we must still aim to achieve ichigeki-hissatsu with all of our techniques, otherwise traditional karate, real karate, is lost.  

 

2. How did you choose the Shotokan style?

I didn’t choose Shotokan-ryu, actually my mother forced me to start at five years of age. Initially I hated karate but after finally passing my shodan as a junior in the mid-1980’s I decided to continue on my own accord. As I aged I realized how lucky I was studying JKA style Shotokan and soon began planning how I could get to Japan, even though I came from a family with very little money.

 

3. What are your feelings about the karate-do that is taught around the globe? Do you believe that the true martial art spirit ofkarate-do was lost in the past? What could be done to change this matter?

Essentially karate is dead due to the overemphasis on competition, and karate politicians with insufficient skill, who have transmogrified it into a sub-martial art. Funnily enough the truth is that sports karateka are often stronger than those who claim to be traditional… this is because nowadays the majority of people labelling themselves traditional are practicing a lame version of sports karate. Traditional karateka as I’ve said before spends 100% of their training time trying to achieve ichigeki-hissatsu, this is what is needed to change and revive true karate. Anything less is sports karate regardless of its label.

 

4. What do you think about all the efforts about bringing karate tournaments to the olympic games? How do you see the transformation of karate into a sport?

Funakoshi Gichin Sensei was against any form of competition, nevertheless the JKA developed a sound set of rules which promoted traditional karate technique in kumite and kata. These rules facilitate the development of traditional karate technique in kata and ippon-waza, with control, in kumite. As far as entering into the Olympics is concerned, unless the rules adopted were JKA ippon shobu kumite, I adamantly hope it never gets in. In regards to kata, medal winners in present day competition are usually sickening due to their theatrics and techniques lacking any real impact power. Compare these “performances” with the likes of Osaka Yoshiharu Sensei’s Sochin or Yahara Mikio Sensei’s Unsu. Huge impact with every technique is their focus – traditional karate! Their kata is spectacular because it is pure martial arts not merely trying to look impressive.    

 

5. What were your steps into being an Asai's disciple? Who are theother karate-do masters that have inspired you?

I didn’t meet and train with Asai Tetsuhiko Sensei until 1993. He took an interest in my karate and after that he invested a lot of effort into my development, something that I didn’t ask for, so I was very privileged to become his personal student. Insofar as other senior Japanese karate masters are concerned, probably all of the JKA instructors have inspired me in some way or another.  

 

6. You are known as the person who really absorbed the fantastic style from Asai. There are some posts on your blog with a quite aggressive position about people in JKS, which was the organization created by Asai himself. What are the main reasons for those conflicts?

The answer to that question is on my website. So rather than rewrite it please follow this link: http://andrebertel.blogspot.com/2010/10/jks-japans-double-standard-karate.html  

 

7. Asai had a very fluid form in his movements, and through hisdemonstrations, we could see an efficient usage of the joints during Muchiken techniques. How to ally the "soft" of Muchiken with the"hard" of kime?

You don’t just keep soft, in Nihongo `kime’ comes from `kimeru’ or ‘decision’. Kime is not about powerfully tensing for a brief moment, but rather where you decide to stop your technique. Other Shotokan masters have different views, but this is what Asai Sensei taught me, and this is what I follow. The fact is, this is more powerful, smooth, fast and easier on the body.

 

8. Could you write about the origin and main concepts about the Hachimon kata?

I originally learned Hachimon from Asai Sensei’s in the 1990’s. Its name literally translates as `Eight Gates’ in reference to happo (the eight directions) covered on the embusen. It is the first of three kata in a series; the other two are Senka and Rakuyo. I’m not sure of Hachimon’s origin, however Asai Sensei did say it is a koten-gata (ancient/classical kata). The main concepts are typical of Asai-ha Shotokan-ryu karatedo, namely softness, snap, and natural movement. Hachimon has particular emphasis on postural alignment in one’s fundamental techniques, and both rotation, and reverse rotation. A particular point which Sensei really stressed in all three of the kata in that series was ankle control when turning, so for me personally, this is the major concept.  

 

9. What is your opinion about using protection equipment (bogu)instead of the sundome?

Let me combine two of my answers above, as this must happen because kihon, kata and kumite form an inseparable trinity. They must perfectly harmonize together, and if most people are honest, they don’t. OK, back to your question, firstly what makes karate traditional is the forging of all techniques to kill in kumite, whether executing kihon or kata. And the paramount issue, when seeking to master this ability, is to near-perfectly control one’s body. Now, secondly, as I have mentioned, kime is deciding where one’s techniques go, how deep, the weapon of the body and the target. Body armour replacing sun-dome would lose this control, whereas the use of sun-dome promotes it. In saying that, sun-dome is not regular practice; it is only applied in non-life threatening competition in the dojo or in a competitive environment. Still all of the power must be there, but arrested not to kill or seriously maim one’s opponent. Use the heavy bag and makiwara for full-contact training and there is nothing wrong with body armour in practice to go all out, but the sun-dome rule should not be replaced in kumite matches.

 

10. Some karate-do styles have a huge focus on creating resistance on receiving attacks, creating tolerance to pain, which is not often, see non Shotokan techniques. Do you think that those training methods are needed? How to ally them to the training sessions?

Working in private security for many years I had more than a few street fights, and this taught me a lot about fear, going into shock, and absorbing blows, especially heavy hits to my face and head. In saying that I don’t believe excessive conditioning is necessary, especially for those training merely for civilian self-defence. Nevertheless able to take heavy hits to the abdomen is critical, but again I don’t recommend intentionally practicing absorbing blows to the head. If one is in a serious dojo, they will get smacked hard in the face from time to time, and that’s more than enough. If the instructor is decent they’ll never call yame immediately if a person gets hurt, this is so that students get into the habit of maintaining their defence regardless of their condition. If someone drops their defence before yame is called, when hurt, they have not been trained properly. The only obvious exception is a complete knockout, but this is also indicative of improper training, which brings us full-circle back to sun-dome.

 

11. What do you think about Brazil? Do you have any plans on visiting us? Kind Regards, Rene Assano

Thanks Rene. I enjoy teaching Asai-ha Shotokan-ryu karatedo everywhere, but I have no plans to visit Brazil at present. This year so far I’m teaching karate seminars here in New Zealand, Australia, Japan, Malaysia and USA. The big problem is my schedule; otherwise I’d go everywhere to properly spread Asai Sensei’s karate. Hopefully I will have a chance to teach over there in the future. Osu, André Bertel.
Karateca.net: A 3ª melhor maneira de se passar o tempo
Acompanhe o nosso twitter: @karatecanet

Offline Renê

  • Administrator
  • Sr. Member
  • *****
  • Mensagens: 325
  • Votos: +3/-9
    • Karateca.net
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #4 Online: Fevereiro 06, 2011, 20:58:50 »
Gostaria de agradecer publicamente ao Roberto Sant'anna (katsumoto) pela dedicação e esforço para que esta entrevista fosse concretizada. Oss!
Karateca.net: A 3ª melhor maneira de se passar o tempo
Acompanhe o nosso twitter: @karatecanet

Offline Ulbricht

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 246
  • Votos: +0/-0
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #5 Online: Fevereiro 06, 2011, 21:09:28 »
Muito boa a entrevista, parabéns a todos que contribuiram para a realização da mesma!
Oss!!
Luís Eduardo de Oliveira Ulbricht

Offline GUICOMES

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.282
  • Votos: +0/-0
  • Rio Grande do Sul. Superior.
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #6 Online: Fevereiro 06, 2011, 21:11:51 »
Gostei. Oss
Treine o que funciona, descarte o que não funciona ou é menos prático. Quem treina igual aos outros tende a ser como o resto.
You are all aware of the price of failure. (skeletor)

Offline KATASHOTOKAN

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 873
  • Votos: +0/-0
  • KARATE-DO só quem pratica sabe a força que tem
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #7 Online: Fevereiro 06, 2011, 22:54:32 »
Oss! Bem interessante a entrevista, parabéns ao Renê, ao Roberto Sant'Anna enfim a todos pela iniciativa, particularmente muito mim honra ver que uma de minhas perguntas tenha sido selecionada para essa entrevista, que é a pergunta sobre o Hachimon Kata.
Oss!
“O propósito supremo do KARATE-DO não está contido na vitória, nem na derrota de adversários, mas, no aprimoramento do caráter, da personalidade e da honra de seus praticantes."

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.456
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #8 Online: Fevereiro 06, 2011, 23:13:57 »
Oss,

Todos estão de parabéns!

Esta entrevista é um marco para que todos encarem o Karateca.net com mais seriedade bem  com a própria construção de uma arte marcial melhor e de conteúdo ampliado acerca do que acontece ao redor do mundo.

Particularmente achei fantástico toda a paciência que Bertel Sensei teve para conosco e acho que devemos, cada vez mais, movimentar o fórum com construção sobre nossa arte marcial.

Mais uma vez, parabéns a todos e um especial agradecimento ao Renê, principal pilar desta comunidade.

Oss.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline gustavo_cayres

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 70
  • Votos: +0/-0
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #9 Online: Fevereiro 07, 2011, 01:32:36 »
parabéns!

à administração do forum, que fez a cisa acontecer com muita organização e qualidade, e aos demais membros, que colaboraram para otimas perguntas!

Offline Andrews Moura

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 175
  • Votos: +0/-0
  • Nunca, nunca desistas...
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #10 Online: Fevereiro 07, 2011, 02:08:02 »
Oss, muito boa a entrevista, meus parabéns a todos responsáveis pela sua realização.

Oss.
"Tenha coragem de seguir o que seu coração e sua intuição dizem. Eles já sabem o que você realmente deseja. Todo resto é secundário" (Steve Jobs)

Offline katsumoto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.935
  • Votos: +1/-19
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #11 Online: Fevereiro 07, 2011, 08:42:55 »
Os méritos são de todos que participaram com as perguntas e especialmente do Rene, que alias virou papai hoje mesmo....]


Parabens Rene, muita saude para vc e sua familia!!
KATSUMOTO-Prof. Roberto Sant Anna

Offline Andrews Moura

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 175
  • Votos: +0/-0
  • Nunca, nunca desistas...
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #12 Online: Fevereiro 07, 2011, 10:27:04 »
Oss, parabéns René e que Deus abençoe a todos.

Oss.
"Tenha coragem de seguir o que seu coração e sua intuição dizem. Eles já sabem o que você realmente deseja. Todo resto é secundário" (Steve Jobs)

Offline bruno_leite

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 417
  • Votos: +0/-0
  • Espírito Inabalável...
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #13 Online: Fevereiro 07, 2011, 11:56:47 »
Bacana a entrevista.
Bem que ele poderia ter falado mais detalhadamente dobre a técnica do Muchiken, né... Seria interessante.
Parabéns a todos os envolvidos nesta entrevista!
Oss.
"A victória depende da habilidade que temos em distinguir as vulnerabilidades, naqueles que pensam que são invulneráveis."
Gichin Funakoshi

Offline Kohai_Taigen

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 355
  • Votos: +0/-0
  • André Lima
    • Kohai Karate Do
Re:Entrevista: André Bertel
« Resposta #14 Online: Fevereiro 07, 2011, 16:10:57 »
Muito boa a entrevista! Parabéns a todos que colaboraram!

Oss!
André Lima
Faixa-Preta da escola Taigen de Karate Shotokan.