Autor Tópico: Arbitragem  (Lida 5060 vezes)

Offline yama

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 4.615
  • Votos: +11/-0
Arbitragem
« Online: Maio 15, 2007, 03:09:14 »
Oss

Gostaria de saber dos amigos sobre o nível de arbitragem,ou seja se esta agradando a todos?

Como estão sendo preparados os árbitros para os torneios ou campeonatos nas diversas versões?

Oss
alberto/Santos.
yama-Alberto S. Almeida

Offline Arivaldo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.357
  • Votos: +2/-0
Re: Arbitragem
« Resposta #1 Online: Maio 15, 2007, 08:27:36 »
O nível de arbitragem para mim é péssimo...............o cara nunca fez nada na vida e de repente resolve que vai ser arbitro e justo de karate !
O arbitro deveria ter pelo menos um currículo de competições nas costas  (não precisaria necessariamente ter sido um grande atleta), mas ter experiência comprovada em competições como atleta. Um arbitro que nunca lutou dificilmente ele enxerga os golpes ou conhece as manhas dos lutadores e quem nunca fez kata a mesma coisa..............já presenciei um final de kata no Guarujá em que um dos atletas errou o kata e ganhou o torneio eu perguntei para o professor dele se o kata tinha mudado o professor respondeu que não e que os juízes tinham errado e não ia reclamar pois os dois atletas eram da academia dele e estava tudo em casa.

Oss,

Ari - Santos/SP

Offline Zkorpione

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 149
  • Votos: +0/-0
Re: Arbitragem
« Resposta #2 Online: Maio 15, 2007, 16:55:09 »
Olá,

Aqui em Goiás - competições FEKAEGO/CBK/WKF - parece que os árbitros têm sim cursos e discussões a respeito de arbitragem.
Entretanto existem várias coisas que ajudam a não haver arbitragem boa:
1. Juízes são pessoas, logo estão fadados ao erro;
2. Juízes muitas vezes são professores de competidores, logo podem puxar sardinha para seus alunos;
3. Juízes são pessoas, logo podem exercer preconceito sobre um atleta pela sua aparência e darem preferência ao adversário.
4. Juízes são pessoas, logo cansam e ficam de saco cheio de arbitrar e acabam por empurrar o campeonato com as coxas...
Acho que o sistema WKF também atrapalha um pouco o trabalho dos árbitros. Às vezes eu fico satisfeito com o nível da arbitragem, outras não.
Fazer o quê? A partir do momento que me inscrevi e paguei a taxa eu aceito todas as regras e sei de tudo o que pode acontecer dentro do campeonato... mas que dá raiva quando o juíz rouba contra a gente dá >:(
OSS!
Coração de Karateca não bate, faz ippon.

Lezon

  • Visitante
Re: Arbitragem
« Resposta #3 Online: Junho 06, 2007, 22:06:55 »
Meus amigos,

Infelizmente não conheço ainda ao nível da arbitragem no Brasil. Como tal não me vou prenunciar sobre ela mas sim a que conheço bem, tanto em Portugal como na europa. Ressalvo também que só vou falar da arbitragem das federações que estão filiadas na EKU e WKF e não nas outras.

Enquanto estive em Portugal, desde 1998 pertenci sempre ao conselho de arbitragem da federação, tendo as categorias de árbitro A em Kumite e Kata, e ainda formador de arbitragem, nas duas categorias, tendo deixado os cargos em Julho de 2006 por vir residir para o Brasil. Minha Carteira de árbitro tem o nº.007.

Agora estou neste país imenso e ainda não estou por dentro da verdadeira situação da arbitragem de cá. No que diz respeito a Portugal, o nível da arbitragem subiu bastante, muito especialmente de 1998 até 2006. Fizemos muitas acções de formação e cursos, consciencializamos e sensibilizamos os mais jovens para entrarem na arbitragem e os resultados começaram a surgir. Neste momento passamos a ter 3 árbitros internacionais, e há 3 anos atrás não tinhas nenhum. O nível cresceu muito e não ficam mesmo nada a dever em relação aos restantes árbitros europeus. Em Espanha há bons árbitros e em França também. Mas não se pense que tudo é bom, pois também os menos bons.

Agora quero falar sobre as regras e das alterações que foram introduzidas. Ao contrário do que inicialmente se pensou, as alterações feitas vieram melhorar muito o nível da arbitragem e da própria competição em si. As regras para a atribuição dos pontos é clara, não havendo lugar a equívocos que antes eram pródigos. Agora sabe-se bem o que é um Ippon, um Nihon e um Sanbom. Não há que enganar, mas sim atribuir o que de fato é. Além disso, o árbitro central passou a estar suportado por 3 elementos (juízes) que lhe dão enorme suporte, o que faz com que os erros sejam muito menos. O problema que se tem verificado e que possivelmente aqui no Brasil também se verifique, é que muitos treinadores e ainda alguns atletas, não sabem lá muito bem as regras do jogo. Por isso eu penso que todos os agentes ligados directamente à competição, deviam saber as regras para que o nível competitivo melhor em todos os aspectos.

Saudações

José Lezón
 

 

Offline katsumoto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.936
  • Votos: +1/-19
Re: Arbitragem
« Resposta #4 Online: Junho 06, 2007, 22:16:08 »
Caro amigo,

 Sem querer lhe desanimar, vc não sabe o que terá pela frente.
 Isso aqui não é um país sério, muito menos no que tange o Karate de uma forma geral. Qualquer mané neste país, com medo de lutar consegue uma carteira de arbitro. lamentavel...
KATSUMOTO-Prof. Roberto Sant Anna

Lezon

  • Visitante
Re: Arbitragem
« Resposta #5 Online: Junho 07, 2007, 12:28:22 »
Meu caro Katsumoto,

Imagino que sim...no entanto, não devemos nunca deixar-nos abater por esses que só vêm o Karate como o seu quintal.  Como em tudo na vida existem sempre os bons e os maus, os medianos e os medíocres, os sérios e não sérios, os honestos e desonestos. Emqualquer profissão há os competentes e os incompetentes e todo o resto que já não vou inumerar...
 
Mas caro Katsumoto, apesar de eu vir da europa e ainda não estar totalmente bem e por dentro destes meandros, sei bem que a nefasta política e os interesses mesquinhos pairam por todo o planeta, e qui no Brasil não seria excepção.

Aqueles que acreditam no que fazem, que primam pela verdade e pela essência do Karate, não deve desmoralizar mas sim fazer a sua parte em prol do que acredita e do que faz. Se um dia eu for convidado para algo, darei o melhor que sei e posso, sempre dentro de uma perspectiva do interesse colectivo e para o bem do Karate.

É assim que eu penso e é assim que agirei sempre.

Saudações. Hai!!!

José Lezon