Autor Tópico: Karate agora é"""esporte""" olímpico.... Qual a opinião dos senhores a respeito?  (Lida 411 vezes)

Offline Himura IOGKF

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 12
Karate agora é olimpico.... Qual a opinião dos senhores a respeito?


Offline GEM

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.661
Para a alegria de uns e tristeza de outros.
Na minha opinião é muito positivo.

OSS
Karate Wado Ryu

Offline Cabadapest

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 987
O GEM cantou aqui que já estava certo a aprovação e parecia que tinha molhado, agora se confirmou.
Só o tempo dirá, por hoje eu diria que para a maioria dos praticantes comum, nada muda. Para profissionais e atletas, melhores oportunidades. Para os dirigentes de federações esportivistas fora da WKF, dor de cabeça. Para dirigentes da CBK, vão retornar reclamantes fortes.
A nível mundial, vemos que a existência de organizações paralelas que tem uma filosofia diferente é possível em países organizados, inclusive trabalhando junto com a WKF, por isso não acho que as boas entidades fora do sistema sofram com olimpismo do Caratê.

Osu!
"Aquele que está consciente de suas próprias fraquezas será senhor de si mesmo em qualquer situação." Funakoshi.

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.440
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Osu.

Concordando ou não, o caratê esportivo já é uma modalidade reconhecida no mundo todo, motivo pelo qual sua entrada para as olimpíadas não acarretará mais ou menos impacto sobre aqueles que o praticam independentemente de filiações.

Agora, aos filiados das inúmeras siglas que se dizem representantes oficial do caratê esportivo, creio que nem toda aspirina ou paracetamol do mundo serão suficientes para aliviar suas dores de cabeça. Tudo agora irá convergir para CBK. Creio que nessa onda, até mesmo a JKA fique ofuscada.

Penso que em 2020, quando as pessoas estiverem massivamente observando o caratê esportivo em seus televisores (se daqui pra lá não tiverem inventado os projetores holográficos), certamente olharão para os praticantes mais ortodoxos com estranheza e desconfiança, pois há uma enorme diferença entre aqueles que estudam artes marciais para competição e aqueles que se dedicam inteiramente, principalmente visando a autodefesa.

Daqui pra lá, haverá muita propaganda - e só então poderemos medir o real impacto da inclusão da modalidade esportiva baseada no Karate-Do nos Jogos Olímpicos de 2020.

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.


Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 260
Talvez vá piorar para quem queira treinar Karatê marcial no futuro, já que professores vão começar a utilizar Olimpíadas como incentivo para alunos e marketing.
Quanto a quem treina Karatê marcial atualmente não vai fazer muita diferença, apenas no quesito leigos que ficam palpitando sobre Karatê. Vão ver a competição na TV e vão achar que Karatê é só isso.
« Última modificação: Agosto 07, 2016, 13:12:09 por Platão »

Offline Fabiyo

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 124
Acho muito legal. Com mais pessoas conhecendo, quem já treina continua, e quem não treina tem uma chance de se interessar. Com isso, aumenta a melhora a oferta de uniformes, equipamentos, o investimento no karate como um todo.

Para quem já treina, não deve mudar nada por muito tempo. Talvez seus colegas de trabalho vão perguntar "nossa, mas é aquilo que você treina?". Aí você responde: "é, todo dia".

Para quem não treina, bem, a maioria das pessoas acha que arte marcial é um monte de gente vestida de branco meditando e fazendo movimentos mágicos, então ver uma luta nas olimpíadas talvez ajude a mudar um pouco essa imagem. Vocês podem achar que as olimpíadas podem enfraquecer a imagem de arte marcial do karate, mas eu acho que ajuda a reforçar, do tipo "nossa, vale soco na cara mesmo".
初心忘るべからず – Shoshin wasuru bekarazu

Offline pauloricardo

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 24
Para as pessoas em geral o Karate é uma piada, com a entrada nas Olimpíadas só corrobora e torna a piada que o Karate virou uma grande vitrine, o que já aconteceu com o judô e o taekwondo. Fico triste que o Karate seja visto dessa forma, mas a realidade é essa,  e o pior é que essas pessoas não estão erradas. Temos muito Senseis que tem a faixa preta, mas poucos são os senseis e alunos que são faixas preta. Entrevista de nakayama: gora se nós concentramos todo o desenvolvimento do KARATE ao redor do esporte, nós perderemos nossa essência como uma arte marcial, e obviamente, não quero que isto aconteça. Quero que o KARATE continue seu desenvolvimento através das mesmas idéias e com os mesmos métodos que nós tivemos no passado.
Antes dos estudantes competirem eles deveriam trabalhar arduamente e consistentemente para adquirir uma forte fundamentação das bases e um profundo conhecimento dos princípios espirituais do KARATE.
Na minha época, veja você, nós não tínhamos torneios ou competições de espécie alguma. Nossa única competição era com a gente mesmo, e este era o caminho que deveríamos seguir. Nós nunca treinávamos para conseguir um ponto em um torneio. Nosso treinamento era essencialmente orientado para o makiwara, e gastávamos horas e horas aprendendo como usá-lo. Nós deveríamos começar batendo umas poucas vezes e gradualmente se desenvolvendo para o instante em que poderíamos golpear em valores de 1000 vezes sem danos ou injúrias. Nós geralmente fazíamos um aquecimento de aula socando o makiwara 500 ou 1000 vezes. Nosso único interesse naqueles dias era o desenvolvimento de técnicas fortes, e acredito que é como deveria ser. Um sparring ensinará aos estudantes tempo e distância, mas não há nada como o makiwara para desenvolver um corpo forte e resistente. Sempre encorajo todos os estudantes a forjar seus próprios músculos e talhá-los no makiwara todo o dia. (...) . HASSEL – Qual sua esperança para o KARATE para daqui a 10 anos?
NAKAYAMA – Espero que daqui a 10 anos, as pessoas entendam que KARATE é uma arte marcial e que eles ainda o pratiquem em suas bases verdadeiras, como educação física, como defesa pessoal, e como um método de desenvolvimento espiritual.
Particularmente na área do esporte, espero que os contendores não o treinem simplesmente para ganhar um ponto. Espero ainda que eles se lembrem das bases do KARATE como um meio de vida e treinem o básico e busquem o IKKEN HISATSU – para o oponente com um golpe. Espero que eles pratiquem para ter um golpe forte e um chute forte. Se eles continuarem a treinar neste sentido, eles serão capazes de controlar suas técnicas. Se praticarem simplesmente para conseguir pontos, entretanto, nunca serão capazes de controlar suas técnicas ou a eles próprios. Esse tipo de treinamento os levará para muitos prejuízos.
« Última modificação: Agosto 10, 2016, 13:39:48 por pauloricardo »


Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.440
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Osu.

pauloricardo,

Sua preocupação, assim como a do M. Nakayama Sensei, é bastante pertinente e confesso que não dá para tentar ser diplomático sobre isto. Karatedo é uma arte marcial e ponto final. Se alguém acha que está mais forte ou mais ágil somente porque "ganhou" num determinado momento, valendo-se de inúmeras restrições (sim, pois as regras são restrições, salvo contrário, tudo seria permitido), simplesmente engana a si mesmo, pois ninguém pode ser medido por inteiro a partir de um único momento.

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline GEM

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.661
Continuo com minha opinião de que é muito positivo e o vídeo abaixo explica um pouco o porquê.



Oss
Karate Wado Ryu

Offline Cabadapest

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 987
Concordo com o ponto de vista de Jesse Enkamp, quando ele explica que a popularidade do Karate vem diminuindo, e com a maior exposição na mídia vai atrair mais adeptos, assim como o cinema atraiu gerações anteriores, que só vieram a tornar-se um praticante do Karate "Budo" ou "marcial" aos poucos.
A tendência esportivista, infelizmente já é a realidade, em todas as organizações, é só entrar em qualquer site: NKK, ITKF, JKS, todas trazem as competições como destaque. Este papinho de tradicional não cola mais, quem é realmente tradicional, tem que se desligar desse universo, tornar seu Dojo livre, como eu fiz, daí tem minha admiração e meu respeito, mas ficar de mi mi mi e depois e fazer a mesma coisa que estão fazendo na WKF, é fazer politicagem.
Sobre Sensei Nakayama? Ele próprio esportivizou o Karate, por isto tornou-se conhecido no mundo, se tivessem permanecido com a filosofia de Funakoshi, estaria como é o Shotokai.
Acho que o impácto maior será no Brasil, porque em outros países onde o esporte é levado a sério em todas as suas particularidades, já estão adaptados a esta situação.

OSU!
"Aquele que está consciente de suas próprias fraquezas será senhor de si mesmo em qualquer situação." Funakoshi.

Offline Cabadapest

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 987


Assisti este vídeo agora e achei uma explicação muito lúcida de Pinto San
"Aquele que está consciente de suas próprias fraquezas será senhor de si mesmo em qualquer situação." Funakoshi.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Osu, amigos.

A entrada do karate como esporte olímpico anuncia a evolução natural do que o karate esportivo é, e busca.

O que eu vejo de lamentável é que mais e mais pessoas vão ser enganadas, seja por acreditarem que aquilo ali é Karate-dō, seja por acreditarem que levarão o filho para "aprender" Karate-dō.

Nós, praticantes de longa data, simpáticos ou não à linha esportiva, sabemos que o karate esportivo é um grande faz de conta, aproveitando-se de atletas com vantagens genéticas, com suas respostas sinápticas rápidas, "esgrimando" para fazer pontos; sem base, sem pronação de punho (os punhos nem aparecem enfiados nas luvas), sem Kaiten, sem respeito...

Isso sem falar na política imunda do graduar (ou não graduar) para que o atleta possa entrar "naquela" categoria, para enfrentar ou fugir "daquele" atleta adversário, "naquela" faze da competição. E como tem fases essas competições! E por aí vai...

Sim, Sensei Nakayama foi o grande arquiteto do esportivo Shōtōkan (sim! esportivo!). Antes dele, O'Sensei Funakoshi repudiava o Karate-dō como esporte. Mas, não havia escolha no final dos anos 20, início dos 30, porque o Dai Nippon Butokukai exigia "competições seguras" para os Gendai Budō e se o Karate-dō desejasse fazer parte disso, tinha que se adequar. Depois da 2ª Guerra, não existia mais Butokukai, "mas" o pontapé inicial já estava dado e O'Sensei bem falou da lamentável situação moral do Karate naquela época.
Shōtōkai, é apenas um exemplo de "arte marcial sem esporte". É apenas uma vertente que mais puxou para o Aikidō do que ficou com o Karate-dō de Gichin Funakoshi (é só ver os Tekki executado por Funakoshi nos vídeos. É mais para Shōtōkan ou Shōtōkai?).

Voltando ao tema, digo que o karate esporte é lamentável. É lamentável porque ilude crianças e as machucam, se não fisicamente, moralmente. É lamentável porque vulgariza a arte marcial e torna banal a hierarquia, os graus, os níveis. É lamentável porque tem dia para acabar e depois, quando muito, só se tem lembranças do que não se pode mais fazer.

Karate olímpico? Pra mim pouco importa! Vou continuar ensinando meus alunos, tentando remendar a distorção técnica daqueles "graduados" da linha esportiva que chegam sem saber fazer Kōkutsu-dachi, sem Hikiashi, sem Kaiten e com um "grau" elevado amarrado na cintura; sabendo muito menos (mas muito menos mesmo!) que meus Rokkyū.

Vou continuando a treinar o Karate-dō para a vida toda, o Karate que nos ensina a ficarmos melhor a cada dia que passa sem precisar deixar um "adversário" dando pisões de bravo pelo "soco" ter "entrado" e o suposto "vencedor" com luvinhas para cima ou fazendo dancinhas inapropriadas. No meu Karate-dō isso simplesmente não existe.

Osu.

"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Joe

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 52
Para o "esporte", excelente. Vão surgir mais academias, mais ensino nas escolas...

Para a arte marcial, considero quase que um "golpe de misericórdia" no ocidente. Espero, de coração, que não termine de acontecer o que aconteceu com o Judo e o Jiu Jitsu, que da forma como são treinados hoje para competição, oferecem pouca ou nenhuma utilidade marcial, como arte de combate e autodefesa, a não ser que sejam treinadas com esse contexto e fora do ordinário dos tatames.

Como disseram, o verdadeiro sentido do Karate-do vai ficar cada vez mais precioso e restrito àqueles professores que se preocuparem em perpetuá-lo...

O resto, será cada vez mais acentuado o pula-pula e a pobreza de golpes mais práticos que se vê nos torneios modernos... Até mesmo técnicas como o yoko geri serão estudadas pro forma, como por exemplo, morote gari ou kani basami no judô. Na prática vai ser raro ver alguém fazer isso num kumite.
« Última modificação: Agosto 24, 2016, 17:42:30 por Joe »

Offline Nelson Junior

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 123
Bem o negocio e aguardar para ver o que vai acontecer... assim como falou o mestre Pinto San.