Autor Tópico: Karate c/c ...  (Lida 5624 vezes)

Offline Antonio Pêcego

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 561
  • Votos: +6/-3
  • 1985 no RJ, soltando a perna em exame para shodan
Karate c/c ...
« Online: Agosto 12, 2007, 22:58:16 »
Prezados,

A fim de apurar as opiniões dos colegas, indago, na visão de vc's, qual a luta de chão que entendem que melhor se ajusta ao karate como complemento, ou seja, o judô ou jiu jitsu ??

Oss !!!

Momo
"Conhecer os outros é sabedoria, conhecer a si próprio é Iluminação." Lao-Tzu

Roberto Pimentel

  • Visitante
Re: Karate c/c ...
« Resposta #1 Online: Agosto 13, 2007, 10:01:29 »
Brazilian Jiu Jitsu.

É mais especializado e toma como prioridade a definição, sem perder tempo e energia com técnicas de imobilização.

Ossu.

Offline Antonio Pêcego

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 561
  • Votos: +6/-3
  • 1985 no RJ, soltando a perna em exame para shodan
Re: Karate c/c ...
« Resposta #2 Online: Agosto 13, 2007, 10:12:33 »
Grande Roberto Pimentel,

Bem colocado, mas particularmente prefiro o judô pela razão que o domínio de técnicas de projeção permite o enfrentamento de mais de um adversário ao mesmo tempo, igualmente ao karatê, sendo, a meu sentir, a arte que mais completa o karatê, pois, inclusive, se for ao chão estará, em tese, em condições de dar continuidade ao confronto, enquanto o Jiu Jitsu não permite por se resumir tão-somente ao chão e a um único adversário, ou seja, comprovadamente eficiente, mas limitado.

Oss !!!
« Última modificação: Agosto 13, 2007, 10:14:37 por A.Pêcego »
Momo
"Conhecer os outros é sabedoria, conhecer a si próprio é Iluminação." Lao-Tzu

Offline katsumoto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.936
  • Votos: +1/-19
Re: Karate c/c ...
« Resposta #3 Online: Agosto 13, 2007, 11:39:06 »

 Caro Roberto,

 A pergunta foi luta de chao...nao foi sobre Judo.
 No chao o BJJ e muito mais eficiente que o Judo e tanto uma quanto a outra somente se aplicam contra 1 adversario. O Karate, este sim, da a possibilidade de enfrentamento de varios.Apesar de achar que mais de um mesmo o Karate e muito dificil.....minha opiniao.
KATSUMOTO-Prof. Roberto Sant Anna

Offline Avi

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.933
  • Votos: +2/-1
Re: Karate c/c ...
« Resposta #4 Online: Agosto 13, 2007, 12:16:39 »
Oss

Curioso ter sido postado essa questão uma vez que sempre tive a impressão que a ênfase dada a cada modalidade, judo e jj muda pela necessidade da esportivização, ou seja, na realidade todas as tecnicas de projeção do judo ESTARIAM inclusas no jiu jitsu e vice versa para as tecnicas de solo , elas fazem parte tambem do judo, correto? Inclusive foi postado aqui um topico sobre uma escola de judo no rio onde umprofessor europeu ensina judo "tradicional" incluindo enfase em todas tecnicas de solo.

Alguem sabe esclarecer esses pontos?

oss
"Permanecer no Eucarístico, em silêncio, espera e adoração, lapidando almas para Ele."

Offline katsumoto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.936
  • Votos: +1/-19
Re: Karate c/c ...
« Resposta #5 Online: Agosto 13, 2007, 13:11:12 »
 
Prof. Medhi ensina Judo de VERDADE, como antigamente.
Havia muita enfase na parte de NEWAZA(chao) que ficou para tras na esportizacao do Judo. Ele foi aluno direto de KIMURA MASAHIKO, aquele msmo que venceu Helio Gracie no BRasil(1951).
O Judo de hoje em dia e brincadeira de crianca perto do antigo, somente forca fisica, briga pela pegada etc...
Pode-se dizer que o Sensei Medhi e mais Japones que muitos por aqui. Tradicionalissimo.
KATSUMOTO-Prof. Roberto Sant Anna

Offline Simoes

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 621
  • Votos: +4/-0
    • http://www.kyokai.com.br
Re: Karate c/c ...
« Resposta #6 Online: Agosto 13, 2007, 13:44:19 »
Na década de 60 no Rio de Janeiro existiam três professores de Judo que eram considerados os melhores: Jorge Francês (prof. Medhi), Ermani e Haroldo Brito.

O Professor Haroldo Brito era o mais velho e mais conceituado, faleceu cedo no começo da década de 70 (se não me engano). O professor Ermani nunca conseguiu vencer o professor Medhi (Jorge Francês) em competições e por isso, dizem, que praticamente parou com o Judo e se voltou para a Capoeira, não sei o que aconteceu com ele.

O Professor Jorge Medhi está ai firme e forte dando aulas em Ipanema.

O Professor Haroldo Brito deixou dois filhos, Haroldinho que é funcionário público aposentado e não dá aulas, e Fernando Brito que assumiu a academia do pai em Copacabana por bastante tempo, casou com uma Gracie e hoje não sei se está mais para o Judo ou JJ, não sei nem se está dando aulas.

Offline Avi

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.933
  • Votos: +2/-1
Re: Karate c/c ...
« Resposta #7 Online: Agosto 13, 2007, 13:52:22 »
Esse chamado "judo tradicional" é tão raro assim? Apenas uma academia no brasil?

oss
"Permanecer no Eucarístico, em silêncio, espera e adoração, lapidando almas para Ele."

Offline Arivaldo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.357
  • Votos: +2/-0
Re: Karate c/c ...
« Resposta #8 Online: Agosto 13, 2007, 16:38:04 »
Além do Judo que eu e o Alberto (Yama) treinamos, como complemento, minha preferência é pelo Aikido.............não me peocupando com luta de chão.


Ari - Santos/SP

Offline Marcio Santos

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 259
  • Votos: +0/-3
Re: Karate c/c ...
« Resposta #9 Online: Agosto 13, 2007, 23:44:34 »
Como karateca, não podemos ir pro chão!! Isso é fundamental.....Nesse ponto o Judo (aliás, a luta olímpica por não depender do kimono) seria melhor.....

Mas caso vá pro chão, é inquestionável que o jj é mais eficiente!!! Aliás, esse é um assunto que eu queria falar faz tempo....

Normalmente, a maioria dos lutadores de jj não sabem levar pro chão! Mesmo na academia que treino, que é uma das tops e tem como professor o Barbosa, que foi da seleção brasileira de judo por alguns anos!!! Então, ao meu ver, no jj está acontecendo a mesma coisa que aconteceu com o Karate: a maioria dos caras estão brincando de luta, e não virando lutadores de verdade!!! É mais importante ter cara de pit bull (no karate é ser profeta) do que se desenvolver como lutador..... O que vc acha Katsumoto? Sua opinião nesse ponto é importante para mim!!!

Bom....Fugi do assunto!!!

OSS!!!!

Offline marcus battusai

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 14
  • Votos: +0/-0
Re: Karate c/c ...
« Resposta #10 Online: Agosto 14, 2007, 00:38:59 »
Lá, como aqui, há muitas críticas. Vejam o artigo publicado no judobrasil sobre a perda da essência do judô. (www.judobrasil.com.br)

O Judô Moderno
03'Ago'2007 - Divulg. JUDOBRASIL
 
 - Prof. Ms. Odair Borges
 
"Os princípios que inspiraram o Prof. Jigoro Kano na idealização do Judô, faziam parte de seu plano grandioso para desenvolver e promover a educação física integral, com base no ideal que defendia, chamado de principio das três culturas: intelectual, moral e física. Dizia ele que a importância da educação estava assentada na harmonia desses três aspectos do comportamento humano e propagou ao mundo a importância de orientar os praticantes de Judô, não apenas como uma simples luta de atividade e movimento, mas também a vivência de experiências que possam envolver os componentes emocionais, comportamentais e intelectuais. Uma das principais características na pratica do Judô é e sempre foi o uso pleno da sinceridade. Sinceridade consigo mesmo, de estar com o adversário nas mãos e procurar fazer um Judô sério, íntegro, limpo e sem vaidades, com o propósito principal de beneficio próprio e do companheiro. A denominação “DO” implica num forte elemento filosófico, é o “caminho” a ser seguido com o propósito principal de atingir a perfeição técnica com disciplina espiritual.Quando estamos praticando devemos ter consciência do bem que estamos fazendo a nós mesmos ao nosso companheiro de treino, ao nosso adversário e aos que assistem. O treinamento sincero, duro, sacrificado se constitui numa pratica para alcançar um nível de consciência que leva o praticante a um estado de euforia e um completo domínio da mente sobre o corpo. Prof. Jigoro Kano orientava que, “durante a prática ambos devem estar atentos na procura de uma posição mais favorável para a execução da técnica perfeita. Temos que decidir rapidamente e agir prontamente, ou perderemos a oportunidade de atacar ou defender. Essa atitude mental na busca de meios para o ataque e a defesa tornará o praticante, sério, cauteloso, decidido, com um grande poder de concentração e, sempre consciente de seus atos. Habituado a esse tipo de atitude, o praticante estará desenvolvendo um alto grau de disciplina e equilíbrio mental, que virá a ser um meio para construir uma identidade intelectual, moral e profissional, ou seja, crescer como indivíduo em beneficio da sociedade”.

O importante é que toda ação deve ser realizada como uma manifestação da razão e não como um mero feito de força física. Atualmente não é essa a preocupação com o Judô moderno, cuja tendência é para um Judô egocêntrico ignorando os valores intrínsecos do “DO” (caminho). Estão sendo atendidos apenas aspectos superficiais do treinamento e entretenimento, em lugar da busca do desenvolvimento espiritual e aperfeiçoamento técnico. O verdadeiro judoca tem o dever de seguir os princípios filosóficos e educacionais preconizados pelo Prof. Jigoro Kano, em cada detalhe de sua vida, na pratica do Judô, no trato com a família, nos estudos, no trabalho e no convívio social do dia a dia. Estamos vendo mais a procura pelo prestigio pessoal, do que a demonstração de superar-se ou de vencer a si mesmo.A simples execução técnica, no que diz respeito à mecânica do movimento, está sendo mais importante que, a busca, a atitude mental, e a sinceridade para com os objetivos do Judô. Modificações nas regras levaram o atleta a procurar vencer através de provocar o adversário a cometer penalidades. Atletas, “professores”, técnicos e dirigentes gesticulam para os árbitros em favor de penalidades que lhes favoreçam, ou então comemoram acintosamente, vangloriando-se de vitórias conseguidas através de penalidades, ou por uma simples decisão dos árbitros. Apesar de Ippons de excelente nível técnico de alguns atletas, nos Jogos Pan-americanos, também vimos cenas de técnicos(as) e atletas em acessos de descontrole emocional tanto nas vitórias como nas derrotas. Esse tipo de atitude acaba por influenciar atletas, confundir os árbitros e incitar o publico aos atos de vandalismo. Na minha opinião são atitudes que só faltam com o respeito ao adversário, que já pela própria derrota, está em situação de constrangimento, desconforto e abalo emocional. Devemos ter consciência de que sem o adversário jamais poderíamos ter um vencedor. Quanto a qualidade técnica, não existe mais a preocupação em vencer buscando a técnica perfeita; o Ippon! Não é mais necessário, nem tentar o Ippon! Durante o treinamento parece ser suficiente orientar e praticar somente as técnicas para arremessar o adversário sentado ou sobre os joelhos, se é que podemos chamar isso de técnica. Nos treinamentos não se praticam mais os fundamentos, tão importantes em qualquer modalidade, para os desenvolvimentos cognitivos, técnicos e físicos do atleta. Em competição, até campeões de todos os níveis, iniciam uma luta em disputa pela pegada que é um contra-senso, pois o judogui foi criado para que você tenha o adversário nas mãos. Acontece que no treinamento também não se faz pegada e na competição muito menos, ninguém segura ninguém e quando segura, ou não consegue sustentar ou desfaz a sua pegada para anular a do adversário, e desse modo fica impossível de se ver Judô. As lutas do “moderno Judô” se desenvolveram através de um agarra-agarra mais parecidas ao Wrestling, influenciando na orientação da arbitragem e na atitude dos árbitros, que muitas vezes por falta de vivencia, conhecimento e prática, aceitaram e se adaptaram a um tipo de luta que prejudicou o Judô. A competição acabou impondo limitações para o progresso técnico e o desenvolvimento pessoal, e continuando assim, o Judô acabará perdendo sua essência. Muitos atletas excelentes competidores, deixam a desejar como conhecedores e praticantes do verdadeiro Judô, o mesmo acontecendo com professores que ensinam seus alunos a competir e não a praticar, lutar e viver o Judô, o que nos deixa preocupados com o futuro. Não creio, que seja minha, a única voz de contrariedade e insatisfação com o Judô competitivo que está sendo apresentado. Em ocasião anterior, pelo menos vinte anos atrás, em reunião da Comissão Técnica da C.B.J. essa minha preocupação foi severamente criticada pelo presidente na época. Na sua contumaz verborragia destrambelhada, expeliu; “o importante para a Confederação e o Comitê Olímpico são as medalhas”. Se os dirigentes do Judô no mundo estão pensando do mesmo modo, então estamos no caminho para a descaracterização do Judô. Ainda penso que são preocupações, com necessidade de serem compreendidas, avaliadas, e analisadas.

Tenho consciência que propostas implicam em mudanças nas regras, mas não quero apenas criticar e sim tentar colaborar apresentando algumas sugestões para estudos, discussões, criticas e argumentações.

Arbitragem

1- Árbitros deverão durante os cursos específicos em qualquer nível, fazerem também, prática de “Nague Waza” e “Katame Waza” em ne waza para facilitar suas avaliações.
-
2- Deverão ter conhecimentos técnicos, claros e específicos das principais técnicas de competição e suas variações
-
3- Conhecimento das técnicas e desenvolvimento da luta no solo (Ne Waza) para que não sejam interrompidas quando o atleta está em trabalho progressivo para o encaixe de uma chave, estrangulamento ou imobilização. Acontece muitas vezes o árbitro por falta de conhecimento, receio ou inexperiência prática, interromper posições reais de habilidade técnica.
-
4- Para fins de estudo e pesquisa realizar lutas com os 3 árbitros dando pontuações e penalidades simultaneamente evitando a passividade dos laterais e a indução sugestiva do árbitro central. (inicialmente essa regra poderia começar a ser aplicada no Golden Score, como citado abaixo).
-
5- Árbitros, principalmente laterais, não discordam de avaliações e penalidades aplicadas pelo central, muitas vezes porque o central é mais graduado ou é um árbitro internacional,ou simplesmente ter a postura “o central que decida” , “pra que discordar” ? ou também, por estarem sob a pressão de uma avaliação pela Comissão de arbitragem seja em nível estadual, nacional ou internacional. 

Golden Score:

1- Durante o Golden Score os árbitros darão as pontuações e penalidades ao mesmo tempo para evitar que só o árbitro central tenha a decisão final da luta.
(No golden score essa medida serve de pesquisa e laboratório para a possibilidade de modificação na arbitragem geral das lutas de Judô. Tem acontecido muitas vezes os árbitros laterais deixarem a luta ser administrada somente pelo central eximindo-se de concordar, anular, pontuar ou penalizar os atletas durante o combate.)
-
2- No Golden Score não serão validas as penalidades como critério de vitória e sim apenas como uma pontuação negativa cumulativa, que em caso de não haver pontuação técnica, será computada até o final do combate, para decidir a luta. Serão válidas para finalizar a luta somente pontuações técnicas acima de Yuko (inclusive). Pontuações como “Koka” não serão sinalizadas, apenas serão computadas como “vantagem”.

Penalidades:

1- Penalidades para posições defensivas como, por exemplo: Em atleta(s) abaixado(s) com o quadril para traz, ou por não combatividade, poderão ser aplicadas sem interrupção da luta, apenas com a sinalização do gesto e voz do árbitro.(o árbitro de frente para o placar indicaria o lado penalizado ou tocaria o(s) atleta(s) penalizado(s).
-
2- Penalidades para saídas da área de luta também poderiam ser aplicadas sem interrupção da luta, apenas com sinalização do gesto.
-
3- Penalidades para atletas que viram de costas e permanecem nessa posição para evitar a luta no solo.

Falso ataque: por ser muito subjetivo dificilmente um árbitro interpretará de maneira correta. Qualquer ataque que não atingiu seu objetivo estará sujeito a ser interpretado como falso ataque, principalmente por árbitros que não vivenciaram na prática e não sabem diferenciar, o que é tentar e encaixar uma técnica, ou errar e ser desequilibrado, ou ainda, realmente ser um ataque falso.Essa penalidade deveria ser excluída. È simplesmente ridículo um judoca vencer ou ser derrotado por uma penalidade desse tipo, principalmente em torneios internacionais, mundiais e jogos olímpicos.

Kumikata (pegada) Apesar de achar um contra senso, como citei no artigo, poderia ser feito um estudo ou experiências com atletas iniciando a luta já segurando, quando então o árbitro diria Hajime e do mesmo modo, sempre que se soltassem.

Técnicos
Técnicos só podem orientar os atletas
Não poderão falar ou gesticular com os árbitros, publico ou dirigentes.

Replay
Estudo para em campeonatos internacionais usar o recurso do Replay para analise imediata por um árbitro de mesa, quando o trio de arbitragem achar necessário."

 

Offline Antonio Pêcego

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 561
  • Votos: +6/-3
  • 1985 no RJ, soltando a perna em exame para shodan
Re: Karate c/c ...
« Resposta #11 Online: Agosto 14, 2007, 08:49:30 »
Katsumoto, posso ter me expressado de forma equivocada, mas para mim tanto o judo como o Jiu Jitsu são lutas de chão, só que o Judo emprega variadas técnicas de projeção no corpo-a-corpo, daí a minha preferência como complemento ao Karate.

Oss !!!
Momo
"Conhecer os outros é sabedoria, conhecer a si próprio é Iluminação." Lao-Tzu

Offline Simoes

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 621
  • Votos: +4/-0
    • http://www.kyokai.com.br
Re: Karate c/c ...
« Resposta #12 Online: Setembro 19, 2007, 17:05:58 »
Voltei a este tópico porque recentemente li uma reportagem na revista Veja Rio sobre o professor Hermanny (é assim que se escreve).

Ele está com 76 anos em plena forma pelas fotos, e em atividade, dando aulas de ginástica para a terceira idade em uma academia de Ipanema no Rio de Janeiro. Pela reportagem fiquei sabendo também que ele foi preparador físico da seleção brasileira de futebol em duas copas do mundo (66 e outra que não estou lembrando)

Infelizmente o professor Hermanny não dá mais aulas de Judô, mas segundo a reportagem ainda treina sozinho. Para mim foi muito bom rever o professor aparentemente em uma forma física excelente para a idade, e trabalhando em uma época da vida que muitos estão em casa de pijama e chinélinho.

Lezon

  • Visitante
Re: Karate c/c ...
« Resposta #13 Online: Setembro 19, 2007, 17:50:55 »
Meus amigos, um Karateca que interiorizou o Budo, caminhará nele até ao dia final.

Se Deus mo permitir, eu estudarei, treinarei e ensinarei ao "caixão"!

Hai!!!  Oss!!

Offline Avi

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.933
  • Votos: +2/-1
Re: Karate c/c ...
« Resposta #14 Online: Setembro 19, 2007, 17:57:29 »
Nesse ultimo fim de semana assisti as lutas do mundial de judo no sportv. De fato a coisa é encarada por todos, inclusive os atletas como esporte mesmo, não sei como era antes de ser olimpico mas agora é um esporte e não arte marcial.

Gostaria de saber caso alguem aqui seja praticante e tenha assistido, se foi impressao minha mas sendo a imobilização do solo tambem ippon, varias daquelas lutas poderiam facilmente ser terminadas com tecnicas de bjj. Qual a regra pra depois q foi pro solo voltar em pé? Tem algum tempo maximo pra tentar um triangulo ou um arm lock quando  vai pro chao? A impressao q eu tive é q se alguem ali fosse um bom faixa preta de bjj ganhava as lutas por ippon no solo, não vi ninguem se defendendo de mata leao ou chave americana por exemplo.

oss
"Permanecer no Eucarístico, em silêncio, espera e adoração, lapidando almas para Ele."