Autor Tópico: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS  (Lida 17409 vezes)

Offline mauross

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 696
  • Votos: +0/-0
O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #15 Online: Março 27, 2007, 23:07:31 »
oss
Uma vassoura velha tem o seu valor.

Offline fightingdreamer

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 7
  • Votos: +0/-0
O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #16 Online: Março 28, 2007, 14:14:53 »
sou iniciante, estou treinando há uns 7 meses, e achei muito difícil no começo... agora, acho ainda mais! corrigir a técnicas, perder os vícios... tem que até aprender a andar de novo!
eu acredito que se não treinar com força, apenas vai ser uma beleza de se ver, mas  e quanto ao caso de uma defesa pessoal, por exemplo? é pelo menos o jeito que eu vejo... e me ajudou muito, no começo, quando o meu sensei disse pra que eu simulasse uma situação real, deu pra ver o kata de uma maneira totalmente diferente...

Offline Zkorpione

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 149
  • Votos: +0/-0
O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #17 Online: Março 29, 2007, 15:57:01 »
Eu vi esse perigo no Campeonato Brasileiro que ocorreu em Uberlândia... aff ainda bem que nós aqui não fazemos nem treinamos assim 8O
Coração de Karateca não bate, faz ippon.

Offline Mad_Dog

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 86
  • Votos: +0/-0
O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #18 Online: Março 29, 2007, 18:08:03 »
Interessante Sensei Paulo postar esta ideia...

         Infelizmente hj existe dois tipos de karate, o karate comercial e o karate real...

         Infelizmente o comercial esta tomando a maioria dos dojos. O comercial 'e q visa muita competicao, muita estetica... muita figura e nao vai nada para o real e forte.

         EU conheco uma karateca que da ate raiva de ve-la lutando fazendo seu kata pois 'e sem vida, sem suor, sem forca.

         So que gostaria de ampliar este topico para o treinamento em si, esta fraqueza nao so nos katas e tbm nos treinamentos em geral, kumite e frente-frente. O cuidado que temos de ter nos treinamentos de kata tbm deve ser ampliado para kumite. Eu odeio treinar frente-frente ou treinar kumite com alguem e este alguem ficar pedindo para ir devagar... : "CHUTA FRACO... CUIDADO COMIGO... OLHA NAO VAI ME MACHUCAR" affi....

         Comecei a dar aulas agora sabe... e quero iniciar meus alunos ja com a mentalidade de que c vc nao aprende a levar um golpe na academia nao vai saber acimilar este golpe nas ruas!

    Em resumo acho que todo o karate deve ser levado mais a serio nos treinos e que se deve observar muito este lance de se treinar com mais vigor e forca. E com certeza o que vemos nos Katas por ae 'e um tremendo balezinho de dar nojo...

          Meus katas nao sao bons, estao melhorando muito agora... estou treinando como louco :). Mas eu ainda uso no sandan meu kekomi.. meu pisao realmente faz tremer as paredes... e nao vou mudar isso pq o karate 'e forte... o JI TE por exemplo... fazer sem forca.... imagine o Jion sem forca... ta loko... sem condicoes

este tipo de topico 'e bom pq aqueles q estao iniciando a dar aulas agora.. iniciando a trilhar um novo caminho... podem ja tentar cultivar nos teus novos karatecas um karate ... mesclando oq de bom temos hj.. a evolucao real.. mas nao se esquecer do BUDO...


OSS amigos
arate baseado na Humildade, Mentes Focadas na Paz, Defender-se com FORÇA, Impulsionados pela Perseverança! Tigres do Norte - OSS

Tiozinho

  • Visitante
Vou falar do bunkai
« Resposta #19 Online: Março 29, 2007, 21:27:00 »
Concordando com o Katsumoto, achei a mudança no Godan ridícula. Parece que caparam o Katá. Se não for Fumikomi/Gedan Barai, que Katso poderia ser aquilo? Já que não se tira o pé do chão, seria uma espécie de ashi barai? Sendo que um movimento vai ao contrário do outro? Eu heim. O Tanaka uma vez me disse assim... Quem executa Kata como antes, não está errado, está desatualizado. Não exagero tanto no fumikomi, mas aquele vorteio raspando o pé no chão é de lascar. Fico no meio termo. Quem não gostar... paciência.
Já o legal do kata tradicional, são as possiveis aplicações dos katas. Isso proporciona uma história sem fim. Cada praticante imagina uma luta, um tipo de adversário e conseqüentemente, uma aplicação, um bunkai. Isso é uma das coisas que dá graça à coisa - desde que não seja uma aplicação ridícula e inverossível, como já tive o desprazer de assistir. E quanto ao kata em si, como já ouvi, é uma representação, e sendo uma representação, quase coisa de ator.

Ou alguém acredita que este gedan barai do Yahara no Unsu dele, barraria um mae geri do Shirai, por exemplo.



E ainda por cima de costas?

Mas ainda assim nem se compara com quem mesmo sem saber/conhecer somente se preocupa com a plástica.

Suguri

  • Visitante
O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #20 Online: Março 29, 2007, 23:31:51 »
concordo plenamente... isso naum eh erro... eh desatualizacao... mas tem varias aplicacoes na forma nova tbm... sem exageros... e concordo contigo... nada pior q bunkais fantasiosos hauhauhauahuahuhauhauahua

Lezon

  • Visitante
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #21 Online: Junho 07, 2007, 11:15:03 »
Meus caras,

Se os Katas fossem observados e avaliados pela sua eficácia, talvez os Katas que têm ganho os campeonatos ficassem pelo meio do caminho…

Digo isto com alguma propriedade e tristeza até, pois na verdade observo que tudo está a ser invertido em relação ao significado verdadeiro do Kata e à sua essência.  Num combate real há necessariamente zanchin, Ki e potência, em detrimento da beleza e de movimentos estéticos, fantasiosos e supérfluos, e que numa luta real não existe. Numa prova de Kata,  sabemos que também deve ter em conta o Chakugan, o Dachi e o Kihon, o Hara, compreensão real do Bunkai, Mas infelizmente, o que se observa ultimamente, é que se está a reverter e inverter as coisas, pois se premeia mais a beleza estética e de fantasia.

Um dia, não muito distante, visionei um vídeo do falecido Millon, atleta francês que foi campeão da Europa e do Mundo, e não só eu como os restantes que assistiram ao vídeo, pois estávamos num curso de arbitragem, ficamos decepcionados com o Dachi dele. Vimos  também um gedan barai com muita deficiência o qual não teria qualquer eficácia em uma realidade. Mas enfim, a sua velocidade e potência estavam lá e a estética também.

Por isso meus amigos, as provas de Katas são muito controversas e por mim elas só  deviam se feitas por estilos como é feito na WUKO, pois haveria muita mais justiça.

A WKF se não quer enveredar pela forma utilizada pela WUKO, o que eu acho lamentável que não o faça por causa do seu orgulho, então que criem 9 Katas padrão. Assim todos fariam os Katas iguais e a avaliação também seria muito mais igual e mais justa. Esta é a minha opinião, venham outras.

José Lezón 

Offline Antonio Pêcego

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 561
  • Votos: +6/-3
  • 1985 no RJ, soltando a perna em exame para shodan
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #22 Online: Junho 07, 2007, 20:01:00 »
Oss !!!

Concordo plenamente com as exposições do ARI, Tzuki e José Lezón.

José Lezón Shihan falou bem em velocidade e potência, diria que a essência do kata é a realização de uma luta imaginária contra vários adversários, defendendo e contra-atacando, daí que se tem que buscar a perfeição dos movimentos que têm que ser realizados com potência (velocidade x massa) e não força como se é pregado. 

Não se pode querer que a apresentação de um kata se equipare à sua aplicação (Bunkai).

Se vc não termina um kata exausto ou muito cansado, é porque fizeste gestos que se poderiam equiparar a um balé ou uma dança.

A essência do karate é o kihon e o kata, sendo o kumite o necessário complemento.  Quem tem kihon tem o karate forjado.  Quem tem kihon pode ser um bom, ótimo ou excelente executor de katas e, em conseqüência, na mesma proporção um lutador de kumite por ter a possibilidade de apresentar variantes, ser menos limitado do que aquele karateca que tem só o kumite, com um kihon e kata fracos.

No que tange à Arbitragem, concordo plenamente com José Lezón Shihan, porque o que vemos na prática é a falta de qualidade muitas vezes dos Árbitros para julgar katas de estilos diversos do seu, simplesmente porque não estudam, quando mais justo seria se houvesse campeonatos de kata de cada estilo, ou mesmo num mesmo certame competições diversas em kotos separados e divididos por estilo.

Oss !!!
Momo
"Conhecer os outros é sabedoria, conhecer a si próprio é Iluminação." Lao-Tzu

Offline katsumoto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.936
  • Votos: +1/-19
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #23 Online: Junho 07, 2007, 21:29:19 »

 Só para esquentar o debate, lembro-me de uma entrevista com Dominique Valera, quando foi perguntado se ainda treina Kata.
Ele disse:
-Treino sim, as vezes para treinar minha memória. Se o objetivo for melhorar a luta, prefiro Kumite, gosto mesmo é de bater em gente de VERDADE, a ficar imaginando como nos Katas. Aliás, vale também para o Makiwara, prefiro bater em gente de carne e osso, não numa madeira que não responde aos meus golpes.

Posso não concordar com tudo o que ele disse,mas que é um ponto de vista interessante, isso é.......
KATSUMOTO-Prof. Roberto Sant Anna

Lezon

  • Visitante
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #24 Online: Junho 07, 2007, 21:35:06 »
Caro A.Pêcego,

Também estou plenamente de acordo  quando  um Karateca  tem um bom Kihon, é à partida um bom ou ótimo executante de Kata. Nos itens (critérios) de avaliação do Kata, as Regras da WKF são claras logo no seu 1º.parágrafo diz:
 
- O Kata deve ser desempenhado com competência, e deve demonstrar uma clara
   compreensão dos princípios tradicionais nele contidos.

Depois diz, durante o desempenho dos  participantes em Individuais ou em Equipas, os Juízes deverão observar, a seguir descreve os 10 ítens a serem observados, e que todos nós já sabemos.

Bom, agora no que respeita à arbitragem, ainda mais concordo com a sua afirmação de que os Árbitros não estudam os Katas dos outros estilos, se bem que com a obrigatoriedade dos Katas Shitei, os Árbitros têm que pelo menos estudar os dois Katas de cada estilo. Mas geralmente se ficam por aí e nada mais…De qualquer modo, penso que os  Katas deviam participar sim, mas por estilos e serem avaliados por Juízes competentes do mesmo.

Esta é a minha opinião, por isso eu aprecio e dou mais valor à organização WUKO, no que essencialmente diz respeito à prova de Katas que a acho muito mais justa e séria.

Hai!!!

José Lezon

Lezon

  • Visitante
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #25 Online: Junho 07, 2007, 21:44:13 »
Caríssimo Katsumoto,

Dominique Valera, é um algo excêntrico...grande Karateca em Kumite, campeão da europa e do mundo, mas dado a certas excentricidades...

De facto não é de todo verdade quando disse que gosta de bater em gente de verdade, pois, se o fosse, não teria pegado numa cadeira e dado com ela em cima do Tomy Morris, árbitro que estava arbitrando seu combate ...

Mas enfim, cada um é como é, e os exemplos devem ser dados e julgados...

Saudações. Hai!!!

Jozé Lezon

Offline yama

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 4.615
  • Votos: +11/-0
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #26 Online: Junho 08, 2007, 02:58:20 »
Oss

Sensei Lezon se poracaso o Sr. se lembrar de mais casos pitorescos como este,divida conosco, isso é sempre interessante,pois demosntra que os campeões são iguaizinhos ou as vezes mais geniosos que nós simples mortais,que de simples não temos nada ;D

Oss
alberto/Santos.
yama-Alberto S. Almeida

Offline Antonio Pêcego

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 561
  • Votos: +6/-3
  • 1985 no RJ, soltando a perna em exame para shodan
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #27 Online: Junho 08, 2007, 09:26:43 »
Caro Katsumoto e demais colegas,

Excêntrico ?? pelo que descreve e José Lezón Shihan noticia, diria, com todo o respeito, que Dominique Valera pode ser até um grande lutador à nível mundial, mas não tem a compreensão exata da essência do karate, filosoficamente falando, nem mesmo é um guerreiro (bushi) que tem de ter as qualidades da fidelidade, paciência, decisão, controle e etiqueta, considerando o espetáculo vergonhoso que prestou na competição citada José Lezón Shihan.

Só quem já bateu muito ou ainda bate em makiwara sabe a sua importância no treinamento do Karate que dispensa comentários.

Funakoshi já afirmava com propriedade em uma de suas obras (Karatê-Dô O Meu Modo de Vida) que o Karate começa e termina com cortesia, sendo certo que quando um karateca se apresenta bem ou mal, a grande pergunta é: Quem é o seu Mestre ?

Para melhorar o Kumite temos que executar treinos específicos como todos nós sabemos, mas sem sombra de dúvida quem tem muito kihon e kata diminui as limitações que possam existir ao criar mais variantes em eventual combate.

Oss !!!
Momo
"Conhecer os outros é sabedoria, conhecer a si próprio é Iluminação." Lao-Tzu

Offline dida

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 38
  • Votos: +0/-0
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #28 Online: Junho 08, 2007, 11:28:45 »
Oss.
Desculpe a pergunta, mas alguem saberia informar de que modo faleceu o atleta francês Millon,  que foi campeão europeu, e tem  vários videos gravados, inclusive alguns são vendidos ( informalmente)   em Torneios de Karate, por aqui.? Pelo que sei, ele era muito jovem.
Eu sempre achei, que para Torneios de Karate, ou outras Artes Marciais, de maior porte, regional para cima, deveria ser obrigatório o teste-  antidoping- desculpe a franqueza. Tal como é feito para futebol, ou em Olimpíadas.
Obrigada.
Oss.

Offline dida

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 38
  • Votos: +0/-0
Re: O PERIGO NO APRENDIZADO DOS KATAS
« Resposta #29 Online: Junho 08, 2007, 11:54:47 »
Oss.
Não concordo com a opinião de Katsumoto San,  que bater em gente de verdade é melhor que em Makiwara( citando  D. Vallera), como sendo um ponto de vista interessante.
Acredito que, velocidade, Deai, inteligência, estratégia, Ki,  têm mais a ver com Arte Marcial, do que  com luta livre;  o falecido   Mestre  T. Asahi, um dos maiores nomes mundiais da Arte Marcial, como sabemos não era  um homem musculoso, apenas ossos e pele, mas o Ki  ....  extraordinário.... Quase sobrehumano. E do pouco que conheço, Karate não é agressão, sim  defesa.
Se quer ficar batendo em gente por aí,  vai  para o ringue de luta livre  .....
Praticar Karate-Dô  , é  aprender a defender-se de agressores, e mais toda a filosofia
ligada à Arte Marcial.  Afinal, andar armado não seria o suficiente?....
Oss.