Autor Tópico: Diferença no giro do quadril  (Lida 1149 vezes)

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 267
  • Votos: +1/-0
Diferença no giro do quadril
« Online: Janeiro 05, 2016, 14:55:23 »
OSS!
Alguém aí tem uma explicação técnica sobre o giro de quadril na Tradicional?
Na FPK o giro de quadril é como em todas artes marciais, você joga para frente com o braço que vai golpear, na Tradicional também, porém o quadril retorna à posição centra antes de terminar o golpe (vai e volta).
Achei complicado me adaptar no início, parece que o do modo da FPK é mais fácil e acumula forças, porém nesse modo da Tradicional sinto que a travada no fim do golpe é bem maior.
OSS!

Offline GUICOMES

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.282
  • Votos: +0/-0
  • Rio Grande do Sul. Superior.
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #1 Online: Janeiro 05, 2016, 17:05:00 »
Sabe usar o quadril em kibadachi e em shinzentai?
Aquela vibração deve estar presente em todo o resto do karate. Você tem que aprender a usar giro do quadril, a vibração e o arremeço. Por isso treinar kihom nestas bases é tão importante.

Sem a vibração existe uma "emulação" do uso dos quadris, e não o uso correto.
Treine o que funciona, descarte o que não funciona ou é menos prático. Quem treina igual aos outros tende a ser como o resto.
You are all aware of the price of failure. (skeletor)

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.456
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #2 Online: Janeiro 05, 2016, 20:40:57 »
Osu,

Platão,

Tu já treinou alguma vez usando a Makiwara? Se não, tenta lá aplicar um Oi-Tsuki à la FPK. Depois tente novamente pelo modo do que você chama por "tradicional". Daí volte neste tópico e nos conte como foi a experiência.

;D :D ;)

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 267
  • Votos: +1/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #3 Online: Janeiro 05, 2016, 21:25:04 »
Curiosamente só na academia da FPK tinha makiwara, já que a da tradicional é dentro de um local comum à várias outras artes marciais, enquanto o da FPK era exclusivo para o karatê.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #4 Online: Janeiro 05, 2016, 22:14:58 »
Osu!

O uso dos quadris está bem claro nas obras Karate Dinâmico (Capítulo 2 - Aplicação da Força nos Quadris) e O Melhor do Karate, Vol 2 (Capítulo 1 - Os Quadris), ambos de M. Nakayama-sensei.

O movimento rotacional atua em conjunto com a cintura escapular (cintura pélvica + cintura escapular), ou seja, quadris e ombros. Existem dois movimentos básicos na aplicação das técnicas: shomen e hanmi, respectivamente, tronco de frente (geralmente empregado em ataques) e tronco de lado (aplicado em bloqueios). Há outras técnicas variantes como o Gyaku-hanmi.

O movimento de "chicotear" com o quadril, penso ser uma má interpretação desses conceitos.
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 267
  • Votos: +1/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #5 Online: Janeiro 07, 2016, 11:24:04 »
Interessantes respostas! Obrigado!
Poderia esclarecer o que você diz com "emulação" e "vibração"?
Quanto a "chicotear" me pareceu a expressão correta para o presente caso, oi zuki. E quanto ao "kizame zuki", que faz o movimento inverso do ombro para deixar o quadril de frente no golpe?
OSS!
« Última modificação: Janeiro 07, 2016, 11:25:46 por Platão »

Offline Cabadapest

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 990
  • Votos: +0/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #6 Online: Janeiro 07, 2016, 11:56:34 »
Vale a pena conferir a explicação de André Bertel no link abaixo, veja a conclusão traduzida:

"Conclusão: Há muitas técnicas no karatê, por isso, devemos praticar o melhor modo de realizá-los para nós, e dependendo da situação, que sempre é imprevisível. Um hanmi cheio, hanmi menor, um shomen cheio, um shomen relaxado ou o gyaku-hanmi extremo... Muitas pessoas agora tomam uma visão aparentemente religiosa sobre como os quadris devem usar-se. Em vez de tomar a palavra de alguém para ele, descubra para você praticando técnicas contra o makiwara, bolsa e outro aparelho de impacto. Daí o treino com um parceiro em várias formas de kumite, como as situações muitas vezes modificam-se como podem otimizar-se as suas técnicas." André Bertel, a Nova Zelândia 2011.

http://andrebertel.blogspot.com.br/2011/01/correct-shomen-hanmi.html

OSU!
"Aquele que está consciente de suas próprias fraquezas será senhor de si mesmo em qualquer situação." Funakoshi.

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.456
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #7 Online: Janeiro 07, 2016, 17:05:35 »
Osu,

Cabadapest,

Este é o "pulo do gato": experimentar. Se a pessoa nunca experimentar o que faz - e isto não significa dizer participar de competições - jamais saberá como o próprio corpo reage à técnica. Neste caso, não é a técnica que molda o corpo, mas o corpo que molda a técnica. De outra forma, todos os praticantes de marciais seriam exatamente iguais - e isto não seria verdade, mas nem de longe.

Platão,

Agora que o Cabadapest conseguiu trazer uma ótima observação vinda diretamente de Bertel Sensei, tente fazer o que lhe disse em publicação anterior: Oi-Tsuki no Makiwara. Se não houver Makiwara, tente com saco ou aparatos de impacto, mas não deixe de testar.

Depois, nos conte como foi! 8)

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #8 Online: Janeiro 07, 2016, 18:35:46 »
Osu!

Sem querer polemizar, apenas contribuir, reafirmo que a técnica já está pronta. Precisamos estudar e praticá-la, seja onde for. No kihon, kata ou kumite a técnica sempre estará baseada nos princípios dinâmicos que a regem.

Movimentos de kaiten são pouquíssimo estudados nas práticas diárias. Pelo menos estudados da forma correta, até porque muitos professores simplesmente a desconhecem.
O papagaio fala (constrói mentalizações e as transforma em palavras) ou apenas reproduz sons combinados de forma a parecer palavras?
Daí a maioria do autodidatismo nas práticas do Karate.

Por exemplo, o kizami-zuki. A mão que dispara o golpe é arremessada do quadril (e pelo quadril), que inicia uma rotação conjuntamente com a cintura escapular (linha dos ombros) saindo da posição shomen para hanmi. Ao se encontrar em completo hanmi, corpo lateralizado em direção ao oponente, a mão atingiu o alvo.
Ou seja, kizami-zuki é um ataque com o tronco lateralizado em relação ao oponente (hanmi).

Agora um oi-zuki. Da mesma forma a mão é disparada pelo arremesso do quadril, que diferentemente da técnica anterior se encontra em hanmi. Como é "oi" entende-se que esse disparo da mão é concomitante a uma passada (ver conceito de fumidashi). O apoio do pé pivô (jiku-ashi) causará a energia que rotacionará o quadril para shomen, finalizando o golpe, ficando (diferente de kizami-zuki) com o corpo de frente ao oponente, em shomen.

Há karateka que faz uma releitura técnica do Karate, até por falta de conhecimento técnico de seus professores, adaptando-se da melhor forma possível. No entanto isso não quer dizer que a técnica esteja correta.

Já pararam para ver que em muitos congressos de um Shihan convidado as aulas acabam em kihon básico? Acredito que sejam por coisas desse tipo.

Osu.
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.456
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #9 Online: Janeiro 08, 2016, 09:17:56 »
Osu,

Eros,

Acho que não há polêmica em suas colocações, pois a técnica realmente "já está pronta". Ocorre que quando se fala em "a técnica se adapta ao corpo" e não "o corpo se adapta a técnica", isto não significa dizer que é possível subverter a técnica para torná-la mais fácil de ser aplicada ou que é possível ignorar os fundamentos para ajustá-la ao praticante pouco inclinado a realmente conhecer as potencialidades do golpe.

O que digo sempre, agora de forma mântrica, é para que testem o "achismo" diante de aparatos, sacos ou Makiwara. Assim será possível auferir a real mecânica, por exemplo, de um Oi-Tsuki.

Platão,

Sobre o umbigo restar apontado para frente na finalização de um Oi-Tsuki, não há o que relativizar. O quadril em Oi-Tsuki deve estacionar com o umbigo voltado para o alvo (de frente para o oponente) juntamente com o punho disparado. Esta técnica não só impede que a força retroaja ao impacto como também previne qualquer deslocamento do ombro. A batida deve soar como uma "porrada numa estaca" - seca!

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #10 Online: Janeiro 09, 2016, 18:55:20 »
PSekiMG-sensei, Osu!  :)
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Felipe Andrade

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 685
  • Votos: +0/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #11 Online: Janeiro 13, 2016, 03:41:36 »
Ué!?!?!?!

Bertel se rendeu a JKA!?!?!?!?!?!?!?
Furimukeba Tiisana Kinou, Me wo agereba Mugen no Ashita

Offline Cabadapest

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 990
  • Votos: +0/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #12 Online: Janeiro 13, 2016, 08:26:02 »
Ué!?!?!?!

Bertel se rendeu a JKA!?!?!?!?!?!?!?

Ou o contrário.
Polêmicas com certificados ou não reconhecimento por parte de instituições que asseguram possuir o VERDADEIRO SACERDÓCIO do Sensei Asai não impediram a JKA reconhecer as capacidades técnicas de Bertel.

A propósito, sua aplicação do giro no quadril é esclarecedora:


Osu!
"Aquele que está consciente de suas próprias fraquezas será senhor de si mesmo em qualquer situação." Funakoshi.

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.456
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #13 Online: Janeiro 13, 2016, 09:01:14 »
Osu,

Acredito que "se render" não é um bom termo, uma vez que Bertel Sensei certamente terá mais benefícios a oferecer para a JKA do que o contrário.

É como o Cabadapest comentou: quando as instituições "Asaianas" ignoraram Bertel Sensei, a JKA rapidamente o acolheu. Se isto foi interesse? Lógico que sim. Contudo, duvido que algum japonês da JKA, por mais orgulhoso que seja por ter seus olhinhos puxadinhos, ignore o que o Bertel Sensei tem a dizer e a mostrar sobre Karate-Do.

Não vou entrar no mérito da questão, até mesmo porque a resposta sobre o caso me foi passada pela própria fonte, mas Bertel Sensei só não foi chamado de "bonito" pela esposa do Asai, que queria lhe aplicar um verdadeiro golpe, mais doloroso do que qualquer um que seu falecido marido pudesse fazer.

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 267
  • Votos: +1/-0
Re:Diferença no giro do quadril
« Resposta #14 Online: Janeiro 13, 2016, 19:06:17 »
OSS!
Ótimo vídeo.
A potência dos golpes do Andre Bertel é impressionante. A impressão que dá, se alguém for lutar contra ele, é o que oponente nem vai ver de onde veio o golpe.
OSS.