Autor Tópico: I-KARATE-BUDO E ALTO RENDIMENTO  (Lida 2828 vezes)

Offline Antonio Pêcego

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 560
  • Votos: +6/-3
  • 1985 no RJ, soltando a perna em exame para shodan
I-KARATE-BUDO E ALTO RENDIMENTO
« Online: Abril 16, 2008, 00:46:23 »
Furo de reportagem constante do site Karate Meninas, repasso abaixo parte do prefácio do novo livro a ser lançado do Geraldão. Oss !!!


"O Sensei Geraldo de Paula, técnico da seleção brasileira dos Jogos do Pan 2007 é autor do livro "Karate Esporte, Tática e Estratégia", sobre o karate desporto. O sensei também estará lançando, brevemente, um novo livro. Já é o livro sobre Karate mais aguardado do ano.

Ainda sem um título definitivo, provisoriamente está sendo chamado de "KARATE- Budo e Alto Rendimento". Mesmo ainda estando no prelo já é um livro muito esperado pela imensa comunidade karateca.

Em um furo de reportagem, o Site "Karate das Meninas" conseguiu o prefácio da tão aguardada obra. A introdução é tão interessante que é impossível lê-la e não querer comprar o livro. O mesmo ainda não tem uma data para lançamento.



Leia a seguir o prefácio na íntegra:

INDRODUÇÃO DO NOVO LIVRO


Já se passaram dez anos desde que escrevi meu primeiro livro, me parece que foi ontem, mas na verdade muita coisa aconteceu. Aprendi muito, revi muitos conceitos e conseqüentemente amadureci muito neste período, aprendi que não devemos ficar presos a “verdades absolutas” pois elas não existem, caí em contradição algumas vezes, pois aprendi que quem não se contradiz não recicla velhas idéias, e conseqüentemente não progride. Devemos nos vigiar sempre para que conceitos e idéias muito bons para o momento presente, não fiquem arcaicas e superadas e virem preconceitos no futuro, por isso digo sempre, viva a contradição responsável!

Tive tempo para estudar, fazer pesquisas, ter contato com os mais diversos profissionais da área esportiva de alto rendimento, da atividade física voltada a saúde e bem estar, e de outras atividades totalmente diferentes, Isso fez com que eu olhasse muitas coisas relacionadas a nossa modalidade por outro ângulo, outra ótica.

Participei de inúmeros debates, cursos e seminários das mais diversas modalidades, e revi conceitos, pois o aprendizado na área do esporte de alto rendimento não tem fim, “Achômetros” não tem mais lugar no esporte de alto rendimento. No treinamento desportivo, noventa por cento do que não tem comprovação científica não deve ser levado a sério, pois na maioria das vezes carece de comprovação e veracidade.

Meu objetivo ao escrever tudo isto, mesmo correndo o risco de ser taxado de ousado e pretensioso, é despertar os verdadeiros amantes da arte para que nos unamos independente de estilo, federação ou confederação, pois se o karate aparecer sempre de maneira positiva perante a mídia e o grande público, quem ganhará com isso são todos da comunidade karateista.

Paremos com essa discussão idiota e sem sentido sobre quem é o melhor, se é o karate esporte, karate arte marcial, karate sei lá o que, continua a mesma discussão, se é essa ou aquela entidade que é melhor.

A legislação permissiva e mal elaborada em nosso país, permite que a cada dia apareça uma nova entidade comandada por pessoas com intenção duvidosa querendo promoção pessoal, nesse momento quem acessar o site do Ministério dos esportes verá que tem NOVE confederações com status de administradora do karate no Brasil, por outro lado, vejo uma grande maioria dos karatecas jovens ou veteranos discutindo sobre qual delas é mais fraca ou mais forte, "como se aprendêssemos karate em confederação ou federação". Karate se aprende na academia com bons professores independente de estilo ou confederação. A função da Confederação é administrar, organizar, e fomentar o esporte, deve ajudar e também preservar tradições, porém a iniciativa deve e tem que vir das academias e associações, e principalmente pelos professores. No meu ponto de vista, exame de graduação não deveria ser da competência da confederação se realmente todos os karatecas fossem sérios, mas do jeito que esta, se isso acontecesse, seria uma verdadeira baderna! Uma torre de Babel. Ainda não adquirimos essa maturidade, a maioria não segue os princípios do Dojokun ao pé da letra, se no Brasil tivéssemos como constituição o Dojokun, não precisaríamos de nenhum outra lei.

Enquanto isso a tempo passa, e nada de efetivo é feito para mudar essa situação, continuamos com as discussões que não levam a nada, que só nos diminui como modalidade e faz com que nosso espaço seja ocupado por modalidades de muito menor expressão no cenário nacional e mundial, tanto no karate esporte como no karate arte marcial, (que pra min podem ser unos, já que princípios são imutáveis, só muda quando o competidor não teve ensinamentos fidedignos.) a outras modalidades que conseguem mais destaque porque tem um mínimo de organização e união entre si.

Durante os Jogos Pan-americanos Rio/2007, eu vi um número infinito de pessoas, muitas delas tradicionalistas ferrenhos, irados com os meios de comunicação! Porque o karate não esta sendo transmitido ao vivo?

Porque não se dá mais espaço ao karate?

Gritavam eles como se a culpa não fosse de todos nós.

Que bom! Viva a contradição, só mudaremos se assumirmos que somos humanos e imperfeitos e que devemos estar em constante mudança, desde que seja para o bem, para melhor.

No fundo todos nos queremos ver o karate em destaque, TODOS NÓS, o problema é o falso orgulho, o medo de cair em contradição, aceitar as mudanças, crescer com as mudanças, promover as mudanças.

Quando você quer ser médico, você entra numa faculdade e estuda tudo que é relacionado a medicina e também faz outros cursos que poderão ajudá-lo em sua futura profissão, tais como estudo de idiomas, informática etc. Num primeiro momento pode ser que não tenha muito a ver, naquele momento poderá não ter utilidade pratica, mas vai lhe fazer falta depois que você se formar, você deve ter um conhecimento amplo e geral sobre a medicina, mas quando você se formar, poderá ter mais sucesso profissional e tornar-se um especialista, a medicina é muito ampla, quase infinita! É impossível você saber tudo sobre medicina em uma única vida. E a especialização fará de você um profissional melhor, nem por isso outra pessoa que optou por outra especialização, se torna menos medico ou menos útil e importante que você, é idiotice sentar para discutir quem é melhor, se é o ortopedista ou o ginecologista, o otorrinolaringologista ou o pediatra, quer discussão mais inútil e ridícula que essa?

Estou citando esses exemplos até meio que grosseiros para exemplificar que quando vemos determinadas discussões estando fora, ela nos parece absurdas! As vezes vemos pessoas discutirem, brigarem e ate se matarem por falta de consenso, e no calor da peleja não conseguem enxergar que estão lutando pelo mesmo ponto e vista, só que vistos de ângulos diferentes. Se você olhar uma grande montanha de perto, não conseguirá ver como ela realmente é grandiosa! Mas se observá-la de vários ângulos de uma distancia razoável, verá que ao mudar esse ângulo, conseguirá vislumbrar uma montanha aparentemente diferente, duas pessoas pode ver uma mesma coisa de ângulos diferentes, mas não quer dizer que a essência desta coisa muda só porque é diferente aos seus olhos.

Porque continuarmos nos degladiando desta maneira se todos queremos o bem do karate?

O que eu sei e você também, é que se continuarmos nesse embate, qualquer dos lados que ganhar, não se sagrará vitorioso. É como a guerra entre aqueles povos irmãos no oriente médio, que tem a mesma origem histórica, lutam em nome de Deus, brigam por uma terra cheia de riquezas e tradições, mas que esta fadada a desaparecer completamente, no fim, não mais existirá, pois se destruirão mutuamente. Estranho não?

No karate é muito parecido, os “fóruns” de discussões que vemos na NET e em outros meios de comunicação, parecem mais rinhas de galos do que qualquer outra coisa, é claro que existem exceções, mas muitas vezes sinto vergonha, pois o karate não merece isso.

Já passou da hora de sentarmos educada e cavalheirescamente na mesma mesa, deixarmos as diferenças de lado, pensarmos no bem coletivo, e realmente pensar e refletir sobre o Dojokun, o fato de você treinar o karate esportivamente, não quer dizer que é uma pessoa que menospreza os princípios do karate e sua origem, não quer dizer que esteja traindo a arte, sabemos que a fase competitiva é só um estagio, e que os verdadeiros karatecas geralmente se revelam quando param de competir, que voltam a ter o prazer de treinar da maneira mais simples, voltam e sentem prazer em executar a pratica de fundamentos básicos, nesta fase como é gostoso fazer um kata básico, treinar um kihon somente com gedan-barai, ágüe-uke, soto-uke,uchi-uke, shoto-uke, e como ataque treinar somente oi-tsuki e mae-gueri! Praticar o mokussô, meditar com paciência e mente mais tranqüila, a competição passou, agora tudo é menos agitado, hora de navegar em mar de águas calmas.

No karate, a competição é só uma fase que nem todos precisam passar, é claro que é muito importante, pois traz benefícios quando você se colocar a prova, não para os outros, mas para si mesmo. Dentro do amplo universo que tem no karate, a competição se bem canalizada, contribui para o auto controle, auto-estima, aperfeiçoamento do caráter do praticante, ajuda a ampliar horizontes, aumenta a cultura geral pelo contato com povos diferentes, e eleva o nome do país positivamente por todo o mundo.

Totalmente desnecessária as discussões acirradas e pejorativas de ambas as partes sobre karate esporte ou arte marcial, afinal! Um rio pode ser mais extenso que o outro, pode ser mais caudaloso que o outro, mas o destino dos dois é um só, ambos desaguarão no mar.

A pessoa que só gosta da noite e da lua, pode se espernear o quanto ela quiser, mas não impedirá o nascer do dia, não impedira o sol de brilhe, é simples! Não gosta do sol? Procure a sombra. Não gosta da noite? Curta mais o dia... é simples assim.

As mudanças são constantes no esporte, a pesquisa científica no alto rendimento, faz com que se você não estiver atento o tempo todo, e considerar-se o dono da verdade, achar que já sabe de tudo! Só de pensar assim, já estará defasado. Em quase todos os esportes, as coisas mudam rapidamente, as regras evoluem constantemente, para fazer com que o esporte seja voltado para o espetáculo, e conseqüentemente o bem estar dos espectadores. No karate não é diferente, apesar das mudanças terem sido pequenas neste período, (nos últimos dez anos) foram bastante expressivas se levarmos em consideração a origem do karate e a resistência de alguns que torcem o nariz quando se fala em karate como modalidade esportiva prestes a entrar nos Jogos Olímpicos. É claro que essas regras podem e devem ser aperfeiçoadas! Eu por exemplo acho que deve haver mais tolerância com toques no rosto já que usa-se proteção, tanto soco quanto chutes, golpes na região chudan devem ser pontuados somente quando o contato é nítido, e caso haja nocaute chudan com golpes permitidos e corretos, quem o aplicou jamais deve ser desclassificado, acho que devido a grande variedade de golpes que temos no karate, outros golpes devem ser repensados e acrescentar como válidos em competição, tais como: Empi, Hiza-gueri, e alguns golpes de mão aberta direcionado a regiões especificas do corpo. Acho também que quando um atleta simular uma contusão com a intenção de ganhar uma luta, deve ser desclassificado imediatamente e até suspensão de acordo com a gravidade.

Por pensar assim é que não diferença no karate esporte do karate arte marcial, obedeço as regras, mas discordo de muitos pontos nela, porem não é ficando de braços cruzados criticando de fora que as coisas vão mudar, cabe a min e a você expor nossas idéias e mudar as coisas, estando de fora e esbravejando, não conseguiremos mudar nada para melhor, por isso continuo lutando fora também fora do dojô.

A tecnologia de ponta é constante em todos os esportes, os equipamentos esportivos, os materiais utilizados pelos atletas para melhorar sua performance, as novas descobertas voltadas á preparação física, preparação técnica, suplementação nutricional, psicologia esportiva, fisiologia, biomecânica entre outros.

O treinamento desportivo, tem que ser levado a serio por professores, técnicos, e todos os demais profissionais da área, deve ser estudado sempre, para que não se cometa erros graves do passado, onde praticantes tiveram que encerrar suas carreiras prematuramente, inutilizados por alguns treinamentos absurdos que preconizava-se na época, como método infalível para ter grande performance no karate.

... continua no II

« Última modificação: Abril 16, 2008, 00:52:47 por Antonio Pêcego »
Momo
"Conhecer os outros é sabedoria, conhecer a si próprio é Iluminação." Lao-Tzu