Autor Tópico: importancia do seiza  (Lida 5949 vezes)

Offline rogerkyokushin

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 12
  • Votos: +0/-0
importancia do seiza
« Online: Fevereiro 11, 2008, 23:22:20 »

                           Seiza
As vantagens do seiza foram sentidas pelos guerreiros, e sua prática passou a ser obrigatoriamente empregada no treinamento das artes militares da cultura japonesa, qualificados com a palavra “Caminho” - das Artes Militares (Artes Marciais, termo mais usual na atualidade), Caminho das Flores, Caminho da Arte, etc. Podemos dizer que todos são aperfeiçoados e sublimados por causa do seiza.
Numa escola de Formosa, até então considerados fracos, a relações entre a disposição mental e a prática do seiza foram demonstrados. Professores do Judô e Esgrima,adiaram o ensino de suas respectivas artes aos alunos recém matriculados, fazendo-os se exercitar na prática do seiza. Os alunos naturais de Formosa, não tinham nenhuma experiência de seiza. Havia os que sofriam bastante com apenas cinco minutos de prática, empalidecendo e caindo, ou então expelindo gazes. Fazendo-os prosseguir, com perseverança, passaram a agüentar dez, quinze, trinta minutos. Foram preciso cerca de dois anos para eles passarem agüentar uma hora. Depois de adestrados assim no seiza, passou-se ao aprendizado das técnicas. No fim do terceiro ano, muitos, além de alcançarem melhores resultados nos estudos, tinham obtido grau judô e esgrima. Quando esses alunos chegaram ao quinto ano, foram infelizmente derrotados na competição de esgrima, mas venceram todas as competições de Formosa no judô e participaram do Campeonato de Educação Física do Santuário Meiji, como representantes de Formosa. Os naturais de Formosa, considerados pouco fortes, foram assim recebidos no mundo das Artes Marciais. Esse exemplo mostra quão útil é o seiza para o aprimoramento do corpo e da mente. E podemos compreender a disposição do espírito com que os samurais praticavam o seiza.
                   A origem do Seiza
O termo Zen vem do sânscrito Dhyana, que na China modificou-se para Zen-na, posteriormente abreviado para Zen. Zen-na foi traduzido para “pensamento tranqüilo”. Os antigos comparavam a mente à água colocada dentro de uma vasilha e diziam que quando a vasilha se move a água se agita, mas que quando se mantém imóvel, o líquido permanece tranqüilo. Surgiu à idéia da pratica do seiza para a obtenção da tranqüilidade mental. Quando se está em pé, o centro de gravidade de nosso corpo se acha em posição elevada e, portanto não se tem estabilidade suficiente, o que acarreta em estado de inquietude mental. Quando se está deitado, a estabilidade do corpo é excessiva, o que provoca quietude mental também exagerada, provocando a sonolência. Quando se dorme, obviamente não se está no estado de quietude mental desejado. Quando tomamos a posição sentada, obtemos o grau ideal de estabilidade física e mental, sendo alcançado o estado de quietude mental mais conveniente. Assim optou-se pela posição sentada. Além disso, pensou-se nas melhores condições para obtenção da quietude mental: com os olhos fechados o praticante tem a sensação de estar balançando e se torna mais propenso ao sono. Os olhos devem ficar entreabertos. Não é aconselhável o corpo ficar apertado, aconselha-se vestes folgadas. A coluna vertical fica rigorosamente vertical e deve aumentar a quantidade de ar inspirada no processo da respiração. O ideal é a respiração abdominal. Assim, pouco a pouco os antigos foram estabelecendo a posição e as regras próprias para o Seiza
                       Influência do Seiza sobre o físico
Que esclarece a ciência moderna sobre o seiza? A respiração começa por ocasião do nascimento, quando o ar penetra no interior do corpo do bebê, produzindo o seu primeiro vagido. A vida depende da respiração. O fim da respiração é um dos sinais da morte, fim da vida. Existe profunda relação entre respiração e saúde. Para ter uma vida longa, é necessário ter uma respiração profunda. Praticando-se a respiração profunda, corpo e mente entram em quietude e são criadas melhores condições para a vida.
Um adulto saudável respira normalmente doze vezes por minuto. A emoção aumente esse número. A cólera a emoção mais fácil de se observar, pode leva-lo ará a quarenta vezes por minuto. O corpo fica extremamente exausto, o que prejudica a saúde. Quando se pratica o seiza, provocando uma tensão dos músculos do baixo ventre e regulando a respiração, dentro de dois ou três minutos a freqüência baixa para quatro e mesmo duas vezes por minuto. Nota-se um aumento da capacidade pulmonar que de 500cc (normal) passa a 1.000 ou 2.000.Também melhoram as condições da circulação sangüínea. Uma pessoa normal, respirando normalmente, conserva um terço de seu volume sanguíneo mais ou menos estagnado no baixo ventre. A respiração abdominal conseguida através do controle,acarreta uma circulação perfeita. Depois de Habituada com o treinamento, a pessoa consegue condições ideais de circulação sangüínea após os primeiros quinze minutos de controle. Os batimentos do coração, o pulso e a pressão também atingem condições ideais. Baixa a pressão daquele que a tem alta demais e vice-versa.
O gasto de energia pelo organismo. Um homem adulto, em repousa, necessita por dia um mínimo de 1.400 calorias. A prática do seiza e do controle da respiração faz baixar a quantidade para 1.000 calorias. A saúde é mantida com o mínimo de alimentação. A alimentação frugal dos antigos samurais e dos praticantes da Cerimônia do Chá está relacionada com essa prática.
                 A influência do Seiza sobre a mente
A ciência situa a mente na cabeça, no cérebro. Vimos com o seiza faz baixar o consumo de calorias. Essa economia é feita com as calorias gastas no cérebro, mas a prática do seiza diminui esse número mais da metade e em certas pessoas o faz baixar quase até zero. Isso mostra que o seiza não provoca esforço cerebral. No cérebro humano existem cerca de vinte bilhões de neurônios, cada um deles agindo como um tubo de vácuo num rádio. Cerca de 90% deles estão ocupados com funções inconscientes, e só os 10% restantes com as conscientes. Atuamos voluntariamente e conscientemente apenas sobre 5% de nossos neurônios, exercitando o pensamento, a memória, etc., sendo, portanto fácil à recuperação da fadiga sobre esta parte. Entretanto, quando agimos de má vontade, obrigados por outrem, aumenta a atividade inconsciente, uma vez que não o fazemos por vontade própria, colocando em atividade os 90% de nosso cérebro e provocando uma fadiga da qual não é fácil a recuperação. Além disso, o trabalho dos neurônios relacionados com o inconsciente é dez vezes mais rápido que dos ligados ao consciente. Os antigos diziam: - “torna-te o senhor em todas as circunstâncias” – recomendação para resolver todos os problemas da vida e obter a realização integral como ser humano. Quando agimos voluntariamente e independentemente em ralação a quaisquer circunstâncias, não atuamos sobre as células vinculadas ao inconsciente, o esforço é muitíssimo menor. O esforço voluntário produz o máximo em resultados com o mínimo de gastos. Esse espírito de dependência nasce espontaneamente com a prática do seiza. O treinamento nas artes tradicionais japonesas, como o Ikebana, o teatro Nô (as Artes Marciais como o Karate), etc., demoram longos anos e demanda que, através da prática do seiza, seja desenvolvido o espírito de independência, a fim de se conseguir o máximo em trabalho mental com o mínimo esforço. O caminho deve ser palmilhado com o espírito de independência.



Offline yama

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 4.615
  • Votos: +11/-0
Re: importancia do seiza
« Resposta #1 Online: Fevereiro 12, 2008, 01:44:45 »
Oss

Artigo excelente RogerKyokushin.

Eu tenho grandes dificuldades em me manter nesta postura por deformidades articulares,vou me atentar mais a ela,para poder tirar o maxímo de beneficío que a posição possa me dar.

Oss
alberto/Santos.

P.S. por acaso voce não conhece Seriwaza Sensei ele tinha grande estima por esta postura e suas correções.
yama-Alberto S. Almeida

Offline DoghQuch

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 318
  • Votos: +0/-7
Re: importancia do seiza
« Resposta #2 Online: Fevereiro 12, 2008, 07:02:40 »
Oss Yama!

Quando estiver praticando sozinho (ou se as pessoas presentes não se importarem), você pode fazer sentado com as pernas cruzadas, eu acho mais difícil por causa da minha postura mas para a maioria das pessoas é mais fácil pois não força as juntas.

se você conseguir manter a coluna ereta, os resultados são os mesmos que a postura ajoelhada.


Agora, uma pergunta sincera, qual o objetivo do Mokussô no início e final do treino?
Meu primeiro Sensei não era um homem de grandes conhecimentos teóricos e simplesmente dizia que era para se "preparar" para o treino. E o meu atual parece não se importar muito com o porque das coisas....
"E depois de tudo, céu e terra aí estão, como se nada tivesse acontecido.
  A essa altura, a vida e as ações de um homem têm o peso de uma folha
  seca no meio da ventania..."

Offline Pedro

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.859
  • Votos: +14/-25
Re: importancia do seiza
« Resposta #3 Online: Fevereiro 12, 2008, 08:43:33 »
Olá!
Depois de um longo e tenebroso inverno de bons posts,surpreendeu-me esse novo texto.
Atenção pessoal! Vamos dar uma atenção especial a esse assunto e, quem possa colaborar para maiores informações que nos passe para melhorarmos o nosso Karate.
Realmente os benefícios de Seisa são enormes,não só para a saúde como tbm. para uma sensivel melhora no Karate.Lembro-me que ainda na Mushim,eu aprendi com meu Amigo Carlão,a ficar seguindo o seu exemplo,além dos 30 minutos nessa posição,e a melhora não foi sentida só fisicamente como tbm.no fortalecimento do espirito.
Parabéns Caro companheiro RogerKyokushin, seu nick name deveria ser RogerShotokan.
rsrsrsrsrsrs1111
Oss!
Pedro
Com o "Obi", amarre seu corpo ao seu espirito,e vai em frente.

Offline fran

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 409
  • Votos: +0/-0
Re: importancia do seiza
« Resposta #4 Online: Fevereiro 12, 2008, 09:48:50 »
DoghQuch

Sobre a sua pergunta sincera acho que na simplicidade o seu Sensei respondeu bem.
O Mokussô na minha modesta opinião tem realmente essa finalidade: no Dojô nós o utilizamos no inicio do treinamento realmente como um preparo, de certa forma nos desligarmos das tarefas exteriores, do que fizemos durante o dia para iniciarmos o treinamento concentrados.
Mokussô tambem utilizamos na metade do treino após o Kumitê para diminuir a adrenalina, descansar e aproveitar para a mente refletir sobre como lutamos, o que poderiamos ter feito diferente ou deixamos de fazer.
E no final, inversamente ao que fizemos no início do treinamento nos desligarmos das atividades fisicas e podermos voltar naturalmente às tarefas fora do Dojô.

Offline yama

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 4.615
  • Votos: +11/-0
Re: importancia do seiza
« Resposta #5 Online: Fevereiro 12, 2008, 12:39:48 »
Oss

Doghquch.

Fran Sensei foi isso que aprendi  também.

Mas e  Seriwaza Sensei,o especialista,ninguém mais ouviu falar dele ??? ??? ??? ??? ??? ???

Oss
alberto/Santos.
yama-Alberto S. Almeida

Neto110

  • Visitante
Re: importancia do seiza
« Resposta #6 Online: Fevereiro 12, 2008, 18:46:23 »
Eu acho ótimo o Seiza, mas meu joelho não. MInha artrose piora quando faço. Alguns alunos tem deformidades articulares graves e também não podem, por isto... não faço, só ensino como e por breves períodos de tempo.

Antes que seja crucificado: minhas arituclações dos joelhos estão desgastadas, envelhecidas além do tempo, se eu forço mais o desgaste piora e a necessidade de uma cirurgia de prótese de joelho se torna mais premente.

k_man

  • Visitante
Re: importancia do seiza
« Resposta #7 Online: Fevereiro 12, 2008, 20:18:53 »
Já fiquei até uma hora direto em seiza e foi tranquilo. Chega uma hora em que as pernas adormecem, e aí fica fácil. O problema é depois, quando vc levanta e o sangue começa a circular, é um formigamento e uma dor quase insuportáveis. Mas karateca que é karateca tem que aguentar no osso... :)

Offline Troyman

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 667
  • Votos: +4/-16
Re: importancia do seiza
« Resposta #8 Online: Fevereiro 12, 2008, 20:54:30 »
Zen é um estado de espírito em que o físico precisa estar completamente desligado da mente.  O mecanismo se dá quando conseguimos esvaziar completamente o pensamento, coisa que muito poucos conseguem.  Para se atingir esse estado podem-se utilizar alguns artifícios práticos que levam a uma fase próxima do estado Zen, e, com muita repetição, vai-se aproximando da perfeição, coisa que só o tempo de prática pode proporcionar.  Um dos principais artíficios é, além da postura e da posição das pálpebras já mencionadas aqui neste tópico, é a respiração, a qual deve ser profunda, abdominal e de preferência ruidosa (como um gato ronronando) em baixo volume, de forma que só a pessoa que está praticando a ouça.  Este procedimento desvia a atenção da mente para longe dos pensamentos involuntários, induzindo um estado pré-Zen.  Com a repetição o praticante vai se acostumando ao processo e com o tempo a respiração pode começar a ser dispensada.  Eu, particularmente, pratico o Hitsu-Zen (meditação em posição de pé, normalmente na base musubi-dachi, com a mão direita apoiada sobre a mão esquerda e com os polegares unidos) antes de começar uma aula, logo após o cerimonial de abertura, e no final da aula, antes do cerimonial de encerramento.

Acredito que o principal objetivo do Zen (Za-Zen - sentado, ou Hitsu-Zen, em pé, não importa) é o esvaziamento da mente, que a prepara para absorver de forma mais eficiente os ensinamentos das técnicas que vão ser executadas durante a aula.  Isto remete a uma fábula budista que fala de um discípulo que vai estudar com um velho monge que o convida para uma xícara de chá.  Ao servir o discípulo, o monge propositadamente vai enchendo a xícara até que ela começa a transbordar.  O discípulo chama a atenção do mestre que diz: "Assim como não consigo por mais chá nesta xícara, não conseguirei colocar minhas idéias na sua mente, pois da mesma forma como a xícara já está cheia de chá, a sua mente está cheia de suas próprias idéias.  Então, é necessário que você esvazie a sua mente antes de começar a aprender o que tenho para lhe ensinar.  Vamos meditar".

Saudações e muita serenidade Zen para todos!   ;)
ACTroyman
Zen Do-Kan (Filiada à IUSKF - Shin Shu-Kan)
RJ

Roberto Pimentel

  • Visitante
Re: importancia do seiza
« Resposta #9 Online: Fevereiro 12, 2008, 23:06:26 »
A posição de zazen é extremamente dificil para nós ocidentais.
São dois os motivos. Primeiro a proporção de comprimentos femur/tibia é diferente e segundo não temos o hábito de sentarmos nessa posição desde criança.

Em alguns templos budistas pode-se encontrar o "banco de zazen". É um banquinho baixinho com o assento inclinado. Agente senta e mantem as pernas sob o banco na posição, mas não sobrecarrega os joelhos ou tornozelos com peso. É uma adaptação a realidade bastante inteligente.

Eu fiz alguns marca "made in home" e usamos de vez em quando. Fica bom.

Me disseram que com uma busca na internet se encontra para aquisição, mas éum pouquinho caro.

Saudações.

Offline rogerkyokushin

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 12
  • Votos: +0/-0
Re: importancia do seiza
« Resposta #10 Online: Fevereiro 12, 2008, 23:45:56 »
boa noite,falando a respeito do seiza,ja tive muita dificuldade de me manter nesta posiçao por muito tempo,mas atravez de muito esforço e dedicaçao,melhorei minha postura, e hoje consigo meditar tranquilamente no seiza por horas,e so encontrar a posiçao exata dos joellhos ,que esta ,nao causara desconforto nenhum, mas tem a opçao que nosso caro colega mensionou, que e o banquinho de meditaçao (shoggi).ja experimentei meditar nele uma vez e e otimo,logo comprarei um para mim.oss.

Offline DoghQuch

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 318
  • Votos: +0/-7
Re: importancia do seiza
« Resposta #11 Online: Fevereiro 13, 2008, 06:57:50 »
Oss!

Esse tópico está rendendo, que bom!!  ;D

Bem, vou usar os exemplos do Yoga porque são os melhores que tenho.
Em termos de meditação, esvaziar a mente é só o início, mas certamente é o estado mais útil para o guerreiro já que precisa manter a consciência mas deixar a mente fuída e sem perturbações.

Nós, meros mortais, podes almejar alcançar mais dois estágios, além de poucas pessoas mais "sensíveis" a esses assuntos que podem chegar mais longe. (desconheço o que existe daí para frente)

Cada estágio tem um objetivo e não deve ser tentado antes de dominar o anterior. Após esvaziar a mente com sucesso durante TODO o período meditativo o praticante deve aprender a focar sua mente e o terceiro passo virá naturalmente com a prática quando sua mente se abre para outras possibilidades.

Mas um conselho para os amigos, nós ocidentais (PRINCIPALMENTE os Brasileiros) não nascemos com os dons para essas coisas e nem possuímos a disciplina dos orientais. É claro que estou generalizando, mas a grande maioria de nós possuí mentes extremamente ativas, excessivamente criativas e portanto é difícil meditar por longos períodos.

Por isso, minha professora sempre diz que não devemos tentar meditar por mais de 15 ou 20min (e isso é empírico, ela é uma Sra. de grande experiência), caso contrário a mente se desliga e ficamos sonolentos ou o corpo se cansa e começamos a nos mexer. Isso não é ruim, certamente uma meditação de 20min não é menos eficiente do que uma de 2h, além disso, com a prática, esse tempo vai aumentando.

Espero ter sido útil.
"E depois de tudo, céu e terra aí estão, como se nada tivesse acontecido.
  A essa altura, a vida e as ações de um homem têm o peso de uma folha
  seca no meio da ventania..."