Autor Tópico: Subsídios para a História do Karate Brasileiro  (Lida 7824 vezes)

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #30 Online: Outubro 07, 2012, 20:50:35 »
Osu, amigos!

Muito obrigado pelos comentários.
Por favor, todos os que tiverem dados importantes, historicamente falando, que acham importante incluir no trabalho me enviem para comporem uma nova edição no futuro.

Tsuki, meu velho  ;D, acho que não recebi seu e-mail mano. Por favor me envie novamente. Certamente não deixaria ninguém esperando.

BigBoy, nem foi churrasco hoje. Comi na casa da sogra uma carne enrolada que "foi de comer chorando", de tão boa... Agora, o que me ocupou o dia inteiro foi deixar o jardim bonito, com grama cortada  :o.

Abraços, amigos!
Osu!
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Felipe Andrade

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 685
  • Votos: +0/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #31 Online: Outubro 07, 2012, 21:29:36 »
Sensei Eros, da uma olhada na sua caixa de spam, por que também lhe enviei e-mail sem resposta. Obrigado.
Furimukeba Tiisana Kinou, Me wo agereba Mugen no Ashita

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #32 Online: Outubro 08, 2012, 00:06:16 »
Osu, amigos!

Pois é Felipe! Foi isso mesmo que aconteceu. Antes mesmo de ler sua mensagem fui dar uma olhada na caixa de spam e estava repleto de mensagens (inclusive do pessoal que só participa do fórum como leitor).

Pessoal é o seguinte: se enviaram mensagem e não receberam o material é porque deu problema no recebimento. Vou conferir seguidamente a caixa de spam, mas, me avisem por MP também.

O pessoal que já recebeu pode enviar para quem quiser também.

Atenção

Já temos revisor para o estilo Gôjû-ryû, escola Gôjû-kai.
Em breve nova edição do nosso e-book.

Abraços!
Osu!
« Última modificação: Outubro 08, 2012, 19:06:24 por Eros José Sanches »
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Ruivão

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 66
  • Votos: +0/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #33 Online: Outubro 08, 2012, 00:48:57 »
Já venho agradecer, recebi o material.

Ainda não li todo mas o pouco que li já percebi que é surpreendente.

Obrigado ao Eros e todos que contribuiram para essa maravilhosa empreitada.

Oss

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #34 Online: Outubro 31, 2015, 08:53:06 »
Osu amigos.

Alguns aninhos fora, ocupando o tempo com exigências profissionais (em fevereiro eu me aposento!  ;D), reiniciei os trabalhos de estudo e pesquisa iniciados com essa "Síntese Histórica do Karate-Dō.

O que seria uma revisão passou a ideia de um livro. Bom, já começamos!!!

Por uma questão de ética, necessito deixar aqui, neste post, algumas considerações importantes para o pessoal que "consumiu" essa primeiro produto:

Há importantes revisões nos aspectos de:
- Questão dos "éditos de desarmamento";
- Mestres Precursores;
- Relações entre China e Okinawa;
- Invasão do feudo Satsuma;
- Evolução do Te, Tōde e Karate;
- Introdução do Tōde nas escolas e no Japão.

Os textos relativos a essa parte foram significativamente alterados, portanto, o material em posse dos amigos (como já sabíamos) está bastante deficiente.
Novas fontes (muitas mesmo) foram e estão sendo consultadas. Autores importantes, como MacCarthy estão sendo avaliados em suas tendências de "puxar brasa para o seu assado", mas, continuam sendo os mais abundantes em material.
Outros autores importantes como Joe Swift, Tom Ross, Andreas Quast, Thomas Hienze, Jin Down, entre outros, estão sendo minuciosamente lidos.

Isso tudo apenas para o primeiro capítulo do livro, que abordará a história.
O livro mesmo, objetiva fazer uma análise, o mais neutra possível, sobre a atual expressão da arte marcial nos dias de hoje (Budō, esporte, comércio, etc.).

Quem desejar ajudar, meu e-mail continua o mesmo.
Forte abraço,

Osu!
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.460
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #35 Online: Outubro 31, 2015, 12:44:33 »
Osu,

Eros Sensei,

Nem sabia sobre a existência de um tópico tão rico como este!

Em que pé anda todo apanhado histórico até o momento?

Há algum esboço?

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Cabadapest

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 990
  • Votos: +2/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #36 Online: Outubro 31, 2015, 21:29:10 »
Primeiro quero agradecer mais uma vez o material que recebi na época.
Quero informá-lo que "Karate-Dô - Uma Síntese Histórica da Arte Marcial de Okinawa" tem sido um referencial para minha pessoa enquanto praticante de Karate-do e enquanto profissional do ensino superior, pois tenho compartilhado com meus orientandos de TCC em Educação Física.
Quando publicar o livro, certamente serei um dos primeiros leitores. Se precisar de alguma contribuição, também estou a sua disposição.

OSU!
"Aquele que está consciente de suas próprias fraquezas será senhor de si mesmo em qualquer situação." Funakoshi.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #37 Online: Novembro 01, 2015, 12:00:31 »
Olá companheiros  :D! Osu!

Então...
Inicialmente gostaria de dizer que os erros que hoje ficam em evidência na apostila "KARATE-DŌ - Uma Síntese Histórica da Arte Marcial de Okinawa" são os comuns nos "retalhos" históricos encontrados na net.
Aqueles que lembram da saga para a elaboração dessa apostila, também lembrarão que a proposta era coligir dados, os mais fidedignos possíveis, do que andava disperso nos sites de vários estilos pela internet.
Aliás, os erros que estamos verificando são informações colhidas dos próprios mestres quando publicaram seus livros, isso em especial aos "éditos de desarmamento", à introdução do Tōde nas escolas de Okinawa e depois, no Japão.

O que temos agora, é o acesso a muitos trabalhos científicos de pesquisa histórica.
O interessante é que esses autores, embora pesquisem cientificamente os eventos passados, tem uma tendência a defender interesses particulares para "vender" o seu produto, afinal são "comerciantes" (no bom sentido) do Karate-Dō e se conseguirem coadunar uma descoberta científica histórica com o seu direcionamento de aulas, vão ter mais "credibilidade" como Sensei, e consequentemente mais alunos ($$$$$).

Assim, pesquisando esse "balaio" de informações eu estou procurando buscar a linha do meio, fazendo uma análise das expectativas da época, o seu cenário, as suas inter-relações e consequências.
Há muita coisa falada como se estivessem "batendo o martelo", mas, desconsiderando fatores importantes comportamentais e políticos do período. Ainda assim, será apenas a minha interpretação, contudo respaldado em fontes.
Admito o Patrick MacCarthy, porque ele é claro quando diz que aquilo é a opinião dele. O problema é que quem publica outro trabalho, supostamente histórico, baseado nele, cita-o como o "descobridor" daquela informação, do tipo: "MacCarthy descobriu isso", mas MacCarthy, na verdade "suspeita disso", e isso o autor que o referencia não cita e vai "vendendo o seu peixe", entenderam?  ;)

No meu livro, vou iniciar com um capítulo sobre a histórica do Karate-Dō, escrita imparcialmente, já com as novas informações inseridas (sem citá-las como "descoberta"), mas referenciando no texto o autor descobridor da referida "atualização" (o que não ocorreu na apostila). Ampara o texto ainda, muitas notas, também referenciadas, que aprofundam uma informação alheia ao corpo do texto. Quem está familiarizado com leituras históricas científicas entenderá bem o que eu estou falando.

Em outro capítulo discutirei os dados históricos com os eventos da atualidade, no Karate, mostrando imprecisões de condutas ditas como "resgate histórico", elucidando práticas atuais com base nas origens históricas (reishiki, por exemplo), etc. Será enfatizado os aspectos das organizações políticas e de linhagem, passando por sua história, além de questionar os valores (políticos e filosóficos) de graduações (a história das graduações será abordada no primeiro capítulo).

No capítulo central, defenderei a minha interpretação do Karate-dō, como Budō. Pretendo analisar o advento esportivo, seus benefícios sociais, sua consequência política, sua possibilidade de coadunação com o Budō. Será o momento de discutir o ensino do Karate para crianças, e até a política de ensino do Karate-dō.

Procurarei fazer um capítulo técnico, buscando o enfoque dos golpes com objetivo único do velho conceito do Ikken Hissatsu. Treinamentos, conduta ética, moral, aspectos jurídicos de lesões e mortes, aspectos psicológicos de ferir ou matar, serão outros elementos desse capítulo.

Acho que isso serve para deixar os colegas do fórum por dentro do que pretendo construir, com calma e sem tempo previsto para conclusão, nesse trabalho.
Para os amigos que não me conhecem, deixo o registro de que não sou "novato" em pesquisa histórica, tendo quatro livros históricos publicados.

No mais, não pretendo me afastar do fórum, então continuaremos a atualizar essas informações, pedir ajuda aos colegas e me disponibilizar para qualquer coisa.
Osu e forte abraço!
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Arivaldo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.352
  • Votos: +2/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #38 Online: Novembro 04, 2015, 20:51:54 »
Olá Sensei Eros,

Sucesso nesta empreitada. Aguardamos o laçamento do livro.

abs,

Ari

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.460
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #39 Online: Novembro 06, 2015, 13:06:00 »
Osu,

Eros Sensei,


Sua obra certamente subirá ao topo da minha lista literária.

Apenas expondo uma visão simplista sobre o Shotokan, todo conteúdo histórico se baseia em três partes: antes, durante e após a existência de G. Funakoshi, O-Sensei.

No "antes", existem inúmeras informações relativas ao contexto marcial, desde sua introdução na China até sua chegada no arquipélago Ryu Kyu. Honestamente, realizar um apanhado disto sem "derrapar" num conto, anedota, lenda é um verdadeiro trabalho de paciência. Contudo, existe uma parte não tão remota, como o intercâmbio cultural entre Ryu Kyu e Fujian, a invasão de Satsuma etc. Haveria necessidade de se buscar por arqueologia, uma vez que os instrumentos da época, baseados num local, poderiam revelar fatos não narrados ou pertencentes apenas a ilha.

No "durante", O próprio O-Sensei pode ser usado como recurso métrico para medir a verossimilhança das informações. Além dele, todo Sensei contemporâneo pode servir como parâmetro, mas as coisas parecem travadas em Nakayama, Gigo, Egami... Um ponto que acho bastante pertinente é "a visão de Funakoshi" sobre seu próprio estilo marcial. Quais valores os acompanha.

No "após", vai ser difícil criar uma linha objetiva sobre o que é o Shotokan. Por exemplo, a arte marcial que aprendi já teve certa modificação após Nakayama. Não posso dizer que o Karatedo que pratico é 100% Shotokan se Shotokan for uma medida baseada tão somente em Nakayama, sem levar em consideração as contribuições feitas por seus alunos, ou seja, aqueles instrutores credenciados que foram sorteados pelo mundo todo para mostrarem o que é Shotokan. Dentre os nomes, Enoeda, Kanazawa, Okuda, Nishiyama, Yahara etc. Atualmente, por exemplo, a visão de Kanazawa Sensei já não é mais a mesma de Nakayama. Não em tudo, obviamente, mas algo já não é mais igual ao que costumava ser. E por ai vai.

Estarei ansioso pela publicação do vosso livro! Principalmente pensando nas novas gerações do Shotokan, que já precisam de boas e mais atualizadas referências literárias para compreenderem a história da arte marcial que praticam. Eu mesmo não teria paciência mais para levantar todo material que levantei até hoje e, honestamente, ninguém merece mais catar informação nesta Era da Informação.

Sucesso!

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
  • Votos: +0/-0
Re:Subsídios para a História do Karate Brasileiro
« Resposta #40 Online: Novembro 06, 2015, 18:20:54 »
Arivaldo-sensei, muito obrigado! Você foi sempre um incentivador.  :D

PSekiMG,

Sua visão é exatamente semelhante à minha!
Sobre seus "antes", "durante" e "após", deixa eu registrar aqui no fórum o caminho (Dō  ;) ) seguindo:

"Antes": inicio minha pesquisa na história de Okinawa, buscando evitar erros anacrônicos. Tenho um bom material de referência.
Busco fundamentar as relações com a China, até para poder explorar a novidade de MacCarthy sobre uma possível origem do Te (Ti'gwa) no Muai Boran do Sião (Tailândia). É neste "antes" que repassamos toda a origem do Tōde, com foco nas "36 Famílias", na origem dos Pēchin, etc.
Não focarei (da mesma forma que foi com "A Síntese...") a evolução das artes marciais chinesas. A discussão tem início em Okinawa.

"Durante": é o momento para focar em O'Sensei Funakoshi e seus contemporâneos. Procurar as motivações de Itosu-sensei, a introdução do Tōde nas escolas, a contribuição inestimável para a metodologia de ensino militar através de Chōmo Hanashiro e Kentsui Yabu. Torna-se premente deslindar as questões políticas e militares da ação japonesa na evolução do Karate (Botokukai). Passaremos pelo período da consequência da Segunda Guerra e o Karate no reinício. SAC, JKA são elementos históricos imprescindíveis nesse momento da pesquisa.

"Após": minha linha será buscar pelas linhagens oriundas da JKA. Já rastreei os mais importantes Seniores que originaram as principais agremiações que existem hoje. É o momento de abordar "Shōtōkan" e "Shōtōkai". Questionar coisas como "Foi Funakoshi o fundador do Shōtōkan?". Ainda é nesse momento que faremos a introdução histórica de um dos focos do livro, a esportivização. Passaremos também à introdução do Karate-dō no Brasil (nessa parte, sem maiores informações das já divulgadas na "Síntese...").

Bom, desejo lembrar aos amigos que esse livro não é uma obra histórica, então, estamos abordando aqui apenas o primeiro capítulo, para amparar minhas discussões posteriores, sendo a principal a evolução do Karate-dō.

Desde já, solicito ajuda daqueles que acreditam poderem ajudar de alguma forma, me passando links, ou informações que sabem e podem ajudar (em especial na história do Karate-dō no Brasil - sei que muitos aqui são atores dessa história  ;) ).

Lembro que ainda posso enviar a apostila (e-book), "KARATE-DŌ - Uma Síntese Histórica da Arte Marcial de Okinawa". Como ela já está disseminada na net, não tenho porque ficar segurando só porque alguns conceitos estão equivocados. Quase todos (ou todos?) os livros escritos pelos mestres amparam o que está escrito lá.  ???

No mais, agradeço pelas palavras de incentivo dos amigos.
Abraços.

OSU!
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)