Mensagens Recentes

Páginas: [1] 2 3 ... 10
1
Encontros Karateca.net e Eventos de karate / KIMONO KARATE TRADICIONAL... LONA K12 E K10
« Última Mensagem: por Mittikimonos Online Setembro 19, 2017, 11:45:41 »
A Mitti desenvolveu o Kimono de Karate para atender aos Karatecas que sempre gostaram dos modelos da Meikyo, Desenvolvidos a partir de modelos originais com melhorias na gola ( Recheio interno tecido trançado) e aumento de 2cm na cava das angas, deixando assim um Kimono com alta qualidade corte exclusivo e perfeito acabamento.
 Sendo fornecidos em 2 lonas a K10 com peso médio de 1.700 e a Lona k12 em media 2.3 kg.
 com corte exclusivo Kata este kimono tem as mangas tradicionais acima do ante braço e calça mas curta atendendo a demanda daqueles clientes que gostam de um Kimono mas tradicional curto.
 Com a filosofia de resgatar a confecção da antiga japonesa.
A Mitti oferece produtos com alto nível a ser comparada com as melhores marcas internacionais.
Visite nosso site: www.pimentta.net.br ou produto.mercadolivre.com.br/MLB-688578006-kimono-para-karat-branco-adulto-lona-k10-mitti-_JM
2
Notícias do Fórum / Apresentação Mitti
« Última Mensagem: por Mittikimonos Online Agosto 18, 2017, 11:45:34 »
Bom dia a todos, A Mitti é uma pequena fabricante dedicada a produzir Karate gi de alta qualidade, com corte estudado e desenvolvido a partir de 2 marcas reconhecidas no mercado nacional e internacional, e a partir de sugestões de praticantes fizemos melhoramentos em nossa modelagem. O Karate gi produzido por nós, é feito com o corte tradicional curto na s magas e pernas, com acabamento em todas as barras com 6 costuras e oferecido em 3 tipos de lonas: A K12 (heavy kanvas), K10 (medium kanvas) e a lona leve para treinos todas em tecido 100% algodão de alta qualidade em encolhimento entre 3 a 4%previstos. Mangas largas e cava confortável para realmente facilitar os movimentos, calça com corte tradicional largo para não ficar prendendo movimentos. Feitos sem nenhuma economia em tecido, nós resgatamos o tradicional sistema de confecção de antigos e tradicionais kimonos com um excelente custo benefício, para atender ao mais exigente praticante que conhece um bom karate gi ao vestir pela primeira vez. Procure em nosso site, www.pimentta.net.br ou no whatsapp 11 97984-4928. Eduardo J. Rino
3
Notícias do Fórum / PROCURADO (No bom sentido)
« Última Mensagem: por 100stress Online Agosto 17, 2017, 20:50:16 »
Boa noite a todos!

Talvez este não seja o espaço adequado, mas creio que compreenderão.
O meu "relacionamento" com esta "amada" arte sofreu uma "interrupção" há alguns anos, mas agora posso retornar aos treinos. Estou a procura do Sensei Alberto Almeida (Yama), mas não sei se o mesmo ainda "está na ativa", bem como o eventual local onde ministre os treinos.
Eu gostaria de saber se alguém possui notícias sobre o mesmo e forma de contatá-lo, pois faz algum tempo que ele não acessa o karateca.net.

Grato pela compreensão. OSS!
4
Geral / Re:Reconhecimento do Karatê?
« Última Mensagem: por GEM Online Agosto 07, 2017, 16:37:04 »
Minha opinião é um pouco diferente. Eu acredito que o grande valor do karatê é propiciar uma série de benefícios ou opções que outras artes marciais não podem. Podem ser explorados o lado da aplicação no MMA, a marcialidade tradicional, a desportividade (karatê olímpico) e a filosofia da arte. Tive a oportunidade de participar de um Gashuko neste último final de semana onde pudemos treinar todas estas vertentes. Foi muito bom e produtivo. Mesmo quem não gosta do esporte, pôde treinar e sentir como requer preparação física. Quem não gosta da luta de contato, pôde treinar (chão e aplicação de técnicas de karatê no MMA) e sentir a dificuldade de quem treina esta vertente. E assim por diante.
Portanto, acho que o reconhecimento do karatê deve vir pela sua multiplicidade de práticas e públicos alvo.

OSS.
5
Geral / Re:Reconhecimento do Karatê?
« Última Mensagem: por Casriel Online Agosto 05, 2017, 11:31:01 »
Sou a favor do Karate no MMA. Não para contaminar o Karate com a cultura ruim do MMA, mas para contaminar o MMA e todo o mundo das artes marciais atual com toda a filosofia e respeito do Karate.

Lyoto foi para o MMA e não se corrompeu, levantou o nome do Karate e levou centenas de jovens que nunca pensariam em Karate, em respeito, em budo e tudo mais a entrar em dojos de Karate porque conheceram a arte através do Lyoto.

Se não a gente vai ficar limitado a dojos que tem todo um discurso de marcialidade e budo mas adoram uma competição de Karate WKF.
6
Pessoas e história do karate / Re:Aldo Borges de Campos
« Última Mensagem: por HELIO Online Julho 28, 2017, 23:20:17 »
Boa noite, eu também treinei com o Sensei José Félix na academia que era instalada em um pequeno salão na própria casa dele, treinei até a faixa laranja, tive o prazer de assistir algumas lutas dele com o prof Claudio, era de arrepiar.... participei de alguns campeonatos muito bons!
Tambem gostaria de saber se ainda tem alguma academia que treina esse estilo, pois voltei a treinar a três meses mas é difícil se adaptar!
Se descobrir alguma da um salve ai pra mim!
Abraços!!!
7
Geral / Re:Reconhecimento do Karatê?
« Última Mensagem: por Platão Online Julho 28, 2017, 19:40:42 »
OSS!
Talvez eu tenha me expressado mal. Acho essencial um karateca saber lutar, mas desde que caminhando junto com os princípios éticos do Karatê.
Acho que se o Karatê começar a entrar no MMA irá se corromper, e o público que procura o Karatê é justamente aquele que não se identifica com MMA.
Creio que MMA seja outra vertente de competição, como é o karatê olímpico/pan-americano. Creio que ter competição como finalidade corrompa o caráter da pessoa, mas nada contra quem compete.
Já entrei nesses ambiente de jiu-jitsu e etc. São ambiente pesados, sem paz, disputa de ego, uns caras querendo dar umas de fodões e etc. Temo que se o karatê entrar nisso, se tornará igual, pois terá que estar sempre pronto para desafios e deboches, que é de praxe para essas pessoas.
OSS!
8
Geral / Re:Reconhecimento do Karatê?
« Última Mensagem: por PSekiMG Online Julho 27, 2017, 19:05:32 »
Osu.

Felipe Andrade,

Certamente você discorda - e nisto concordo contigo novamente. Contudo (e sempre tem esse "contudo"), repito que não sou contrário ao que você expôs, mas infelizmente não há como promover a nossa arte marcial sem elencarmos as bases estruturais. Neste pondo, pondero: quais são elas?

Como o a arte marcial tradicional irá coexistir com o modelo competitivo? Na minha opinião, ambas se chamarem a mesma coisa é, como disse, ultrajante.

Continuemos. Tópico interessante...

Osu.
9
Geral / Re:Reconhecimento do Karatê?
« Última Mensagem: por Felipe Andrade Online Julho 27, 2017, 18:10:04 »

Vou expor o seguinte raciocínio: numa sociedade baseada no faz de conta, bitolada em redes sociais e fotografias para ostentação material, alguém cujas prerrogativas intelectuais, embora mínimas, que se atém a esses padrões sociais, preferiria se matricular numa academia do momento, cheia de propagandas, com uma visão totalmente voltada ao pódio e prometendo graduação via crédito bancário (pay-to-win, expressão comum no mundo dos gamers), ou num Dojo que não dá a mínima para essas questões, onde se pratica marcialidade à moda antiga (embora antenada aos avanços da ciência)?


Aí é onde eu discordo. As pessoas nao fazem idéia da grandiosidade do karate, so conhece quem o pratíca com verdade. Veja bem que nao estou nem deixando em dúvida a eficiencia de outras artes, mas acredito que o karate é superior a qualquer luta "em pé".

Continuando, acredito eu que o fenômeno muay thai + jiu jitsu também seja a formula perfeita vendida em suas cidades, porém o que alavancou esse slogan foi o MMA (tambem sei que a família Grace tem todo o mérito no quesito marketing do JJ, mas isso não  vem ao caso agora).

Agora meus amigos, como driblar o fervor nacional, em primeira análise, em cima dessas duas lutas se o parâmetro para efetividade marcial é  o mma?

Talvez minha realidade de convivência social seja diferente da dos amigos, mas onde vivo  (e nos arredores) as pessoas de menor ou maior intelecto que não  praticam nenhuma luta tem essa visão: luta em pé = MT, luta no chão = JJ.

Como exemplo, temos aqui na cidade um lutador profissional do ufc que volta e meia da uns treinos na academia de um amigo. Com sinceridade, quem deixaria de treinar com um lutador do ufc pra treinar karate? E olha que meu Sensei é visto como um verdadeiro samurai nos quatro cantos da região.

Amigos, o desabafo do companheiro Platão já foi o meu também. Mas percebi que se nao deixarmos um pouco de lado a parte filosófica/espiritual do desprendimento de vaidades que o Do prega, e sair para o mundo mostrando o karate como luta de verdade (gostem ou não, como o Lyoto fez) iremos sumir na poeira.

Na realidade, minha preocupação maior no momento é  como faremos para o tradicional coexistir com o olimpico.

Ps: Desculpem  a falta de acentuação . Por algum motivo meu tablet na está  aceitando em algumas palavras.
10
Geral / Re:Reconhecimento do Karatê?
« Última Mensagem: por PSekiMG Online Julho 27, 2017, 10:29:58 »
Osu.

Felipe Andrade,

Sobre isto:

Meu argumento é que não se pode mudar o princípio de uma arte marcial, que é lutar (lutar = defesa pessoal = assistente da justiça, como disse sensei Funakoshi).

Compreendemos da mesma maneira estas recomendações, ressaltando que a arte marcial, embora consolidada em filosofias essenciais, inspiradas nas sabedorias milenares, ainda sim preza pela eficácia, motivo pelo qual o artista deve sempre buscar harmonizar o corpo e a mente para que juntos possam trilhar o Caminho. Neste caso, vale advertir que o treino puxado, realizado com veemência e vigor é o mantra e a meditação do praticante. Sem isto, não dá para se dizer karatedoka. Se não dá para treinar sempre (sim, hoje o tempo está muito mais corrido do que em 80 ou 90), ao menos seguir as recomendações do H. Kanazawa Sensei, quando orienta em seu livro "Faixa Preta", práticas mínimas, pelo menos duas vezes por semana.

Lembro também que é possível adotar o Karate-Do como modo de vida, assim como fez o Mestre, mas isso não exclui a necessidade da prática, motivo pelo qual as bases intelectuais e espirituais dessa filosofia não podem se tornar exclusividades, pois, neste caso, somente o conteúdo impalpável do homem estaria sendo nutrido, quando sabemos que o trabalho exaustivo do corpo repõe qualquer devaneio ou egocentricidade da mente no seu devido lugar: no porão da inexistência.

Assim sendo, a finalidade última das artes marciais é a luta, o combate, o confronto. Ora, como algo que prega a harmonia e a paz interior partiria ao encontro desses eventos? Seria contraditório e logo seguiria desacreditada. Contudo, treina-se como se quela fosse a última oportunidade, como se somente aquele momento existisse - e, neste caso, luta-se, principalmente contra o ego.

Sobre este outro:

Quanto ao assunto do tópico, concordo que o karate está anos luz à frente de outras artes, mas acho que deveriamos concorrer  à  luz do sol sim. Daqui a alguns anos os dojos "tradicionais" estarao fechados e parte da culpa vai ser desse "budo" exacerbado. Restarao os dojos olimpicos e estaremos reclamando disso.

Vou expor o seguinte raciocínio: numa sociedade baseada no faz de conta, bitolada em redes sociais e fotografias para ostentação material, alguém cujas prerrogativas intelectuais, embora mínimas, que se atém a esses padrões sociais, preferiria se matricular numa academia do momento, cheia de propagandas, com uma visão totalmente voltada ao pódio e prometendo graduação via crédito bancário (pay-to-win, expressão comum no mundo dos gamers), ou num Dojo que não dá a mínima para essas questões, onde se pratica marcialidade à moda antiga (embora antenada aos avanços da ciência)?

As pessoas colhem aquilo que semeiam. Neste sentido, se alguém divulga seu local de treino neste meio que mencionei, certamente vai receber pessoas daquele nível. Não vejo qualquer problema em divulgar o estabelecimento, mas se valer de propaganda (marketing) é a prova cabal de que há muito mais política naquele canto do que marcialidade. Honestamente, prefiro treinar só do que pessimamente acompanhado.

Depois do K-olímpico, poucos serão os Dojo, mantedores das tradições técnicas e filosóficas, pois o que mais teremos serão centros de treinamentos e academias especializadas em pé, mão (sobrancelha, chapinha etc).

Nem digo mais que treino Karate-Do. Tão somente Shoto-kan. É ultrajante demais o que se pratica utilizando o termo tão cuidadosamente cunhado por O-Sensei G. Funakoshi. É um processo de subversão de valores, muito embora tenha precedente.

Osu.
Páginas: [1] 2 3 ... 10