Autor Tópico: "O Caminho da Espada"  (Lida 2347 vezes)

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 262
"O Caminho da Espada"
« Online: Junho 30, 2013, 19:49:24 »
Seguindo o princípio de Miyamoto Musashi, que Funakoshi usa em seus livros, qual deve ser a busca por desafios de um praticante de Karatê-Dô? Isso inclui o máximo de esforço na prática do Karatê em sua amplitude, mas e em questão de luta? Qual o tipo de desafio que um karateca deve buscar? Lutas mais pesadas na academia; campeonatos de shiai kumite; entrar em algum torneio de kickboxing ou MMA?
O que acham a respeito?
OSS!


Offline Arivaldo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.351
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #1 Online: Julho 01, 2013, 10:31:24 »
Olá Platão,
O entendimento que tenho sobre o tema em si e que o aperfeiçoamento do waza nos leva até um certo ponto. Acredito que Musashi (pura especulação) quando atingiu o ápice no waza viu que só isso não seria suficiente para ser o maior espadachim do Japão e se questionou sobre sua real habilidade. Buscou em outras artes (escultura, caligrafia, trabalho na terra etc) o que necessitava para atingir um estágio superior. Para alguns estudiosos no caminho da espada, Sasaki Kojiro era superior tecnicamente a Musashi.
Naquela época o desembainhar de uma espada era caso de “vida’ ou “morte” o que não acontece nas competições atuais (pontos, K1, Vale “quase” tudo etc) e serve apenas para levantar o ego e ser melhor”. Ai vem o questionamento ser melhor em que? Isso nos leva a onde?
Acredito no treinamento austero do Waza mais o correto aprendizado do “DO” está alicerçado no Shin Gi Tai... Outros colegas tem opinião até mais fundamentada que a minha, mas o que penso é isso ai.
Abs,
Ari – Santos/SP

Offline Pedro

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.859
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #2 Online: Julho 01, 2013, 11:22:07 »
Olá!
 Muito boa a colocação do Ari, mas o meu entendimento sobre uma Arte Marcial,
é que levamos uma vida toda para entender a sua essência, e desta forma não
podemos nunca desviar-nos do caminho, "tentando"mais conhecimento com outras
Artes, que não a que praticamos e entendemos como confiável e eficaz.
Treinar várias Artes marciais, na minha opinião, é um desvio de Caminho,
que não traz mais eficiência quando postas em pratica.
Como diz um Amigo, e sempre que posso o repito:
"Treinar na exaustão do corpo e agonia da alma".
Respeito, Disciplina e sinceridade.
Esse é o caminho do Karate
Oss
Pedro
Com o "Obi", amarre seu corpo ao seu espirito,e vai em frente.

Offline yama

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 4.615
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #3 Online: Julho 01, 2013, 11:50:28 »
Oss

o único problema é o seguinte:

----segundo o próprio Musashi ::::

         ele amava mais a sua espada do que qquer mulher....

essa é uma grande máxima, pois para ficar assim, que nem que ele , eu não quero não   :D :D :D :D :D :D


Oss
alberto
yama-Alberto S. Almeida


Offline Tsuki

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.054
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #4 Online: Julho 01, 2013, 13:54:17 »
Bobagem! Musashi nao era nada disso que a "midia" (romance) fala dele!
Era um japones muito forte, muito acima da media comum da época, e por isso era temido. Nao era considerado um samurai honrado, pois usava de todo tipo de malandragem para ganhar seus duelos, inclusive usar duas espadas contra uma. E estava muito longe de ser o maior samurai de todos os tempos!! Existiram muito samurais melhores que ele. Em sua própria época existiu um, que o Musashi figiu dele como o diabo foge da cruz! Morria de medo de ser desafiado por esse samurai: Jubei Yagyu.
MUsashi, quando soube que Jubei estava em Edo, servindo o Shogun, invadiu o castelo Yagyu com o intuito de enfrentar um membro mais fraco da familia, para dizer que venceu a familia Yagyu. Quando ele soube que Jubei estava chegando para passar uns dias com sua familia, fugiu como um rato pulando os muros do castelo!!! E nunca mais se aproximou dessa familia novamente.
Oq define um bom Karateka segundo Shoshin Nagamine:

"Punho infernal, coração santo."

Offline GUICOMES

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.282
  • Rio Grande do Sul. Superior.
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #5 Online: Julho 01, 2013, 14:07:12 »
Musashi foi bem mais esperto que a maioria dos japas da época.
Estimulava o estudo e aprendizagem de todo o possível durante a vida, o total oposto do pregado no hagakure e pelos samurai da época.
Treine o que funciona, descarte o que não funciona ou é menos prático. Quem treina igual aos outros tende a ser como o resto.
You are all aware of the price of failure. (skeletor)

Offline Tsuki

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.054
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #6 Online: Julho 01, 2013, 15:44:33 »
Musashi foi bem mais esperto que a maioria dos japas da época.
Estimulava o estudo e aprendizagem de todo o possível durante a vida, o total oposto do pregado no hagakure e pelos samurai da época.

MUsashi viveu em uma época em que o Código samurai nem era como conhecemos hoje! Foi Ieasu Tokugawa que começou a formalizar o código samurai. Tanto que Musashi nem era da casta samurai, "recebeu" o "cargo" de samurai atraves de suas malandragens.
Oq define um bom Karateka segundo Shoshin Nagamine:

"Punho infernal, coração santo."


Offline Moraes001

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 5
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #7 Online: Julho 01, 2013, 18:53:08 »
Osu!

Inicialmente quero dizer que gostei do comentaria (Arivaldo) no entanto lendo a bibliografia do O Sensei Funakoshi, ele deixa claro a não violência, ta ai um desafio! Se levarmos a palavra luta no pé da letra seria até a morte, não violência não a luta! O principal desafio seria vencer a si mesmo em nunca precisar usa o Karate-Dō, pois se usado o Karate-Dō não será bonito pois uma das partes seria severamente castigada, não estou dizendo que em meu Dōjō não existem treinos mais pesados mas no entanto treinar sabendo que o verdadeiro desafio é não ter que usar já me da bastante trabalho pois todos os dias estamos sujeitos ao acaso, sem falar na imagem negativa do Dō, quando no vídeo do moleque pedindo dinheiro no sema faro e o senhor ao dar a esmola fala: - De porrada nos caras lá .... Fala serio o Karate-Dō não tem uma atitude agressiva. Acho que não acrescentei nada de novo são minhas ideias.

Osu!   

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #8 Online: Julho 01, 2013, 19:29:10 »
Osu!

O epicêntro do tópico é "qual deve ser os desafios buscados pelo praticante de Karate-dō?".

As respostas de Ari Sensei e Pedro Sensei são dignas de quem faz a busca correta do Karate-dō.

Volto a bater em uma tecla um tanto "indigesta".
O objetivo do Karate-dō não é lutar! Os exercícios de luta dentro do Dōjō, servem somente para o aluno praticar o contato físico, inerente aos bloqueios (calejamento), ao Maai e ao espírito (Shin) inerente ao Karateka (estoicismo, etc.), preparando-o para uma situação extrema (Gi Tai) ou para o autodomínio (Shin).

A "trocação" de golpes é contrário a uma arte destrutiva como a que praticamos. O Sun-dome foi uma forma de "equilíbrio" encontrado por Shihan Nakayama para poder permitir o Kime entre lutadores dentro de uma competição (ainda que respeitasse a origem destrutiva do Karate-dō, dentro do conceito competitivo do Shobu Ippon).

A resultante disso tem sido bem negativa. Por um lado uma luta brutal, mas, que não mata porque é crime; por outro lado um faz-de-conta que se distancia da Arte Marcial...

Qual o objetivo que buscamos? Controlar a mente na prática intensiva do corpo (Sensei Ari já o disse: Shin Gi Tai).
A busca do "quem é melhor?", dos trofeus e medalhas, do corpo que cede o "primeiro lugar" tão logo alguém mais rápido (leia-se mais jovem) apareça... Tudo isso está bem longe do Karate-dō.

É o que os Mestres tem ensinado quando "se transformam" em Mestres...
Osu.
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Tsuki

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.054
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #9 Online: Julho 01, 2013, 22:27:06 »
Osu!

O epicêntro do tópico é "qual deve ser os desafios buscados pelo praticante de Karate-dō?".

As respostas de Ari Sensei e Pedro Sensei são dignas de quem faz a busca correta do Karate-dō.

Volto a bater em uma tecla um tanto "indigesta".
O objetivo do Karate-dō não é lutar! Os exercícios de luta dentro do Dōjō, servem somente para o aluno praticar o contato físico, inerente aos bloqueios (calejamento), ao Maai e ao espírito (Shin) inerente ao Karateka (estoicismo, etc.), preparando-o para uma situação extrema (Gi Tai) ou para o autodomínio (Shin).

A "trocação" de golpes é contrário a uma arte destrutiva como a que praticamos. O Sun-dome foi uma forma de "equilíbrio" encontrado por Shihan Nakayama para poder permitir o Kime entre lutadores dentro de uma competição (ainda que respeitasse a origem destrutiva do Karate-dō, dentro do conceito competitivo do Shobu Ippon).

A resultante disso tem sido bem negativa. Por um lado uma luta brutal, mas, que não mata porque é crime; por outro lado um faz-de-conta que se distancia da Arte Marcial...

Qual o objetivo que buscamos? Controlar a mente na prática intensiva do corpo (Sensei Ari já o disse: Shin Gi Tai).
A busca do "quem é melhor?", dos trofeus e medalhas, do corpo que cede o "primeiro lugar" tão logo alguém mais rápido (leia-se mais jovem) apareça... Tudo isso está bem longe do Karate-dō.

É o que os Mestres tem ensinado quando "se transformam" em Mestres...
Osu.

Mas aí vcs nao estão falando de karate! Vcs estão falando de SHOTOKAN!!

E nesse caso, os estilos de Okinawa poderiam dizer:

"O Shotokan nao nos representa!!!"

 ;D

Mas o pensamento de O sensei Funakoshi era parecido com os de outros mestres!

O Ensinamento básico dos estilos de Okinawa é:

"Karate deve ser treinado para melhorar a saúde e proteger sua familia!"

E nisso, realmente nao há uma atitude ofensiva, mas nao quer dizer que o pau não come dentro do dojo! Pelo menos nos treinos que ja vi de todos os estilos de Okinawa, o treino de calejamento e resistencia a golpes é levado muito a sério.
« Última modificação: Julho 02, 2013, 09:04:19 por Tsuki »
Oq define um bom Karateka segundo Shoshin Nagamine:

"Punho infernal, coração santo."

Offline Pedro

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.859
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #10 Online: Julho 02, 2013, 14:01:52 »
Olá!
Muito boa a explicação do Amigo Eros, muito boa mesmo!
"A trocação de golpes é contrária a uma Arte tão destrutiva
como o Karate ..."

Mesmo porque na ansiedade da trocação, perde-se a forma e a essência da Arte.
Oss
Pedro
Com o "Obi", amarre seu corpo ao seu espirito,e vai em frente.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #11 Online: Julho 02, 2013, 19:34:18 »
Sensei Pedro: Osu!

Amigo Tsuki,
Acho que o conceito Ikken Hissatsu é para o Karate-dō como um todo. Acho mesmo que se uma arte marcial busca a luta por tempo indefinido, ela é - por essência - deficiente.
Acho que o conceito de Todome-waza foi concebido no Tōde e "assimilado" pelo Karate-dō. É por isso que O-Sensei Funakoshi refere-se "a um conceito antigo". Portanto o chamado "Karate de Okinawa" está dentro do mesmo paradigma.

Agora,
não confunda minha afirmação de que o Karate-dō não é para trocação com a inexistência de luta (Kumite) no Dōjō. Apenas estou fazendo um paralelo em o que é realidade (Jissen Kumite) e o que é o Jyū Kumite de treino (nem me refiro ao Shiai, porque não me diz respeito).

Como falei acima, o Jyū Kumite é necessário para o desenvolvimento de elementos físicos e mentais do Karateka. Portanto é indispensável. Contudo, jamais será uma luta real.

Espero ter conseguido me expressar melhor. Abraços.
Osu.
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Tsuki

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.054
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #12 Online: Julho 02, 2013, 21:52:28 »
Sensei Pedro: Osu!

Amigo Tsuki,
Acho que o conceito Ikken Hissatsu é para o Karate-dō como um todo. Acho mesmo que se uma arte marcial busca a luta por tempo indefinido, ela é - por essência - deficiente.
Acho que o conceito de Todome-waza foi concebido no Tōde e "assimilado" pelo Karate-dō. É por isso que O-Sensei Funakoshi refere-se "a um conceito antigo". Portanto o chamado "Karate de Okinawa" está dentro do mesmo paradigma.



Bem, até onde sei, o conceito de "Ikken Hisatsu" é moderno, comparado com o Tode. Nao me lembro o nome agora, mas ele se deve a um mestre de Funakoshi sensei, que praticava Jigen ryu, e esse conceito foi aprefeiçoado por Nakayama sensei que era kendoka e vinha de uma familia tradicional no kendo, inclusive familia de samurais.

Conheço pouco dos estilos de Okinawa, mas até onde já vi, eles nao assimilaram o Ikken hisatsu como foi assimilado no SHotokan. nao digo que nao exista, mas se existir nao é como vemos no estilo de Funakoshi sensei.

OSU!
Oq define um bom Karateka segundo Shoshin Nagamine:

"Punho infernal, coração santo."

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 262
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #13 Online: Julho 03, 2013, 12:07:31 »
Muito boa as respostas. Eu não sou a favor de competições para ganhar medalhas e troféus, ou inflar o ego e servir de show business como no UFC. Mas no referente a aperfeiçoar o espírito, perder o medo e sempre tentar se superar. Não acham que competições podem contribuir com isso? Não acham que, por exemplo, o Lyoto tem muito mais auto-domínio e conhecimento de si do que um outro karateca que nunca se expôs a uma situação de estres e perigo semelhante?
OSS!

Offline Alexander dos santos

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.011
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #14 Online: Julho 03, 2013, 13:54:48 »
Platão,

Acho relativo... Lyoto comparado com quem? Com um policial militar praticante de karatê que realmente põe a vida em risco todos os dias? Comigo, um contabilista que nunca pegou numa arma de fogo nem descarregada?

Tudo varia muito... um karateca pode se sentir completamente mortal se for o melhor de sua academia onde é respeitado, e criar uma imagem de si mesmo que pode fazê-lo não temer lutar com ninguém. Ao mesmo tempo que o próprio Lyoto pode se descontrolar numa briga de bar, pois o treinamento não é para brigar e sim para fazer estratégia de combate e fazer mais pontos que seu adversário...

Acho que essa é uma pergunta que se formos responder pelas hipóteses, sim! Um cara acostumado a combater em torneios diversos, terá mais autocontrole numa situação de stress. Entretanto, não dá para avaliar pelas hipóteses, pois as hipóteses são situações pensadas para justificar algo que pensamos em condições perfeitas. Somente o fato de ter um parente em risco na situação já pode mudar o estado de controle da pessoa numa situação qualquer.

É isso que penso!