Autor Tópico: "O Caminho da Espada"  (Lida 3500 vezes)

Offline Tsuki

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.054
  • Votos: +1/-0
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #15 Online: Julho 03, 2013, 14:50:28 »
Platão,

Acho relativo... Lyoto comparado com quem? Com um policial militar praticante de karatê que realmente põe a vida em risco todos os dias? Comigo, um contabilista que nunca pegou numa arma de fogo nem descarregada?

Tudo varia muito... um karateca pode se sentir completamente mortal se for o melhor de sua academia onde é respeitado, e criar uma imagem de si mesmo que pode fazê-lo não temer lutar com ninguém. Ao mesmo tempo que o próprio Lyoto pode se descontrolar numa briga de bar, pois o treinamento não é para brigar e sim para fazer estratégia de combate e fazer mais pontos que seu adversário...

Acho que essa é uma pergunta que se formos responder pelas hipóteses, sim! Um cara acostumado a combater em torneios diversos, terá mais autocontrole numa situação de stress. Entretanto, não dá para avaliar pelas hipóteses, pois as hipóteses são situações pensadas para justificar algo que pensamos em condições perfeitas. Somente o fato de ter um parente em risco na situação já pode mudar o estado de controle da pessoa numa situação qualquer.

É isso que penso!


Como o descontrole que tenho visto da tropa de Choque aqui no ES. Segundo um Oficial de alta patente daqui, os soldados da choque são treinados para suportar pressão sem se descontrolar a sair batendo em todo mundo. mas na pratica nao é oq tem ocorrido, segundo ele mesmo. Mas aí está a questão, eles são treinados, mas entram pouco em ação aqui no Estado. Segundo um policial daqui mesmo, eles ficam treinando, treinando e treinando, e ficam loucos pra ir pra rua colocar o treinamento em pratica. Quando chegam nas ruas se descontrolam e saem batendo em geral sem nem pestanejar.

Na minha opnião, o treinamento só vale quando já estamos a decadas fazendo isso, e quando estamos levando isso pra nossa vidia cotidiana. E claro, quando nao estamos loucos pra colocar em pratica na rua oq aprendemos no dojo. Senão, em vez de evitarmos uma confusão, acabamos por criar uma.
Oq define um bom Karateka segundo Shoshin Nagamine:

"Punho infernal, coração santo."

Offline André125

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 140
  • Votos: +0/-0
Re:"O Caminho da Espada"
« Resposta #16 Online: Julho 03, 2013, 22:48:27 »
Sensei Pedro: Osu!

Amigo Tsuki,
Acho que o conceito Ikken Hissatsu é para o Karate-dō como um todo. Acho mesmo que se uma arte marcial busca a luta por tempo indefinido, ela é - por essência - deficiente.
Acho que o conceito de Todome-waza foi concebido no Tōde e "assimilado" pelo Karate-dō. É por isso que O-Sensei Funakoshi refere-se "a um conceito antigo". Portanto o chamado "Karate de Okinawa" está dentro do mesmo paradigma.



Bem, até onde sei, o conceito de "Ikken Hisatsu" é moderno, comparado com o Tode. Nao me lembro o nome agora, mas ele se deve a um mestre de Funakoshi sensei, que praticava Jigen ryu, e esse conceito foi aprefeiçoado por Nakayama sensei que era kendoka e vinha de uma familia tradicional no kendo, inclusive familia de samurais.

Conheço pouco dos estilos de Okinawa, mas até onde já vi, eles nao assimilaram o Ikken hisatsu como foi assimilado no SHotokan. nao digo que nao exista, mas se existir nao é como vemos no estilo de Funakoshi sensei.

OSU!


Tsuki os estilos de Okinawa também objetivam o Ikken Hissatsu, tanto é que todos treinam Kotekitae(calejamento), devido a ciência de todos os mestres da real eficacia dos golpes do Karatê, treinando calejamento com frequência para no caso de um luta de verdade se algum golpe passar na esquiva ou defesa o seu efeito seja pelo menos minimizado, além do que como todos sabem o peso da idade, os mestres também sempre treinam objetivando pontos vitais para que com o tempo seu karatê não se torne menos eficiente, abraço!