Autor Tópico: De volta para a Tradicional  (Lida 667 vezes)

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 259
De volta para a Tradicional
« Online: Dezembro 15, 2015, 16:05:41 »
Oss!
Depois de indas e vindas. Comecei da FPK, depois fui para a Tradicional e depois voltei para a FPK. Fiz essas mudanças porque sentia que na FPK estava treinando igual uma maricas e na Tradicional estava ficando meio travadão. Resolvei voltar para a Tradicional, porque me parece algo mais funcional e "tradicional". Mesmo que não treinem tanta velocidade como na FPK, o treino é mais duro e as lutas são mais pegadas.
Só para abrir o debate mesmo.
OSS!


Offline Joe

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 52
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #1 Online: Dezembro 15, 2015, 16:35:16 »
Esse debate é muito complicado, porque na realidade, fala-se muito em tradicional vs karate olimpico, CBK vs JKA,  pula pula vs karate marcial...

Na realidade, em que pese toda a minha humildade de quem não é faixa preta ainda, mas já vem vivendo muito intensamente no meio do karate, posso dizer o que percebi.

Não existe essa ou aquela escola. Existe algo chamado Karatê-dô, e existe um esporte parecido com ele. Os campeonatos na realidade, de tudo que é federação, são relativamente parecidos entre si.

Há muito karateka "duro" da WKF e muito camarada que treina em dojo filiado a federações mais "tradionais" e não treina duro.

Isso vai de cada sensei, da linha de cada Dojo. O resto é discussão de sexo de anjo, na minha opinião.

Eu treino num dojô filiado à CBK, mas lá treinamos Karatê-dô, não se faz treino específico só para competição. Os karatekas que querem ser atletas (muito diferente uma coisa da outra) o sensei prepara para isso. Quem não quer, treina o Karatê "tradicional", todas as aulas.

Lá praticamos o Karatê Shotokan, não essa ou aquela "modalidade" de karatê...

Osu!

Offline Brasiliano

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 9
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #2 Online: Dezembro 20, 2015, 10:14:04 »
Diferença sim, pois o tradicional arte marcial,não é ensinado e nem praticado nas escolas esportivas treina- se apenas para competição e na maioria das vezes, tem panelinhas se vc treinar com esses caras leia-se pula pula cangurú não pode nem encostar um chute ou soco peito que eles ficam com medo. e reclamam com o sensei. eu não consigo me adaptar a este estilo bailarino .
BRASIL

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 259
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #3 Online: Dezembro 20, 2015, 19:09:58 »
OSS!
Falou tudo. Pensei que era só na academia que eu estava indo que tinha panelinha, rs. O sensei tem o grupinho seleto deles, a maioria composta de playboys puxa-saxos que ficam fazendo gracinha durante os treinos. Embora lá se treine a técnica também, mas não tem kime.
O mais estranho é a luta, sem dúvida. Não só pela ausência total de contato. Eles não têm a ideia do golpe único. Treinam sequencias com mais de três golpes, o que achei estranhíssimo.
OSS!


Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #4 Online: Dezembro 20, 2015, 19:47:01 »
Um Dōjō "tradicional" (sem me referir a escolas) é composto por um Sensei que coordena, elabora, indica graduações (se houver nesta escola um Shihan para graduar) ou gradua, e estipula uma hierarquia bem estruturada entre Senpai e Kohai.

Em um Dōjō assim, não existe fala-fala de aluno contra professor (porque não existe abertura para isso e porque não há motivos para isso), fala-fala de aluno contra aluno e discussões de validade das graduações em técnicas, porque quem é mais graduado (Senpai) realmente sabe mais que o menos graduado (Kohai).

Nos dias de hoje, essas características acima nem sempre são claras devido a entrada de alunos de outras "academias" oriundos de um professor mais ou menos esforçado. Mas, assim que esses novos alunos compreendem o "espírito" do Dōjō se enquadram imediatamente, cada um em sua hierarquia.

Falo tudo isso, porque a "escola" nem sempre contribui para isso, mas o bom Sensei deve expressar-se assim para que exista uma harmonia dentro do ambiente de treino (Dōjō).

Ser mais contundente nos treinos é um fator que está intimamente relacionado com o Sensei, mas deve possuir o respaldo da Escola.
Ser "tecnicamente efetivo" em uma escola esportiva é, no mínimo, curioso...
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Brasiliano

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 9
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #5 Online: Julho 26, 2016, 23:47:32 »
OSS!
Falou tudo. Pensei que era só na academia que eu estava indo que tinha panelinha, rs. O sensei tem o grupinho seleto deles, a maioria composta de playboys puxa-saxos que ficam fazendo gracinha durante os treinos. Embora lá se treine a técnica também, mas não tem kime.
O mais estranho é a luta, sem dúvida. Não só pela ausência total de contato. Eles não têm a ideia do golpe único. Treinam sequencias com mais de três golpes, o que achei estranhíssimo.
OSS!
concordo plenamente tem panelas e se vc encostar fica de fora até de exame,esportivo muito ruim e fraco.
BRASIL

Offline Brasiliano

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 9
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #6 Online: Julho 26, 2016, 23:51:44 »
SOU DO RIO DE JANEIRO E JÁ SAÍ  DE 2 ASSOCIAÇÕES POR ESTE MOTIVO ALÉM DA PANELA , GRUPINHOS SE ENTRAR UM GOLPE CHUTE OU SOCO QUE É NORMAL NA MINHA OPINIÃO OS CARAS FICAM CHEIOS DE MELINDRES E NÃO TEM JEITO TEM QUE IR EMBORA COMO FIZ PROCURO AQUI TÁ DIFÍCIL ENCONTRAR DOJO SÉRIO,RIO DE JANEIRO.
BRASIL


Offline Brasiliano

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 9
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #7 Online: Julho 26, 2016, 23:56:35 »
POR ISSO QUE O KARATÊ NÃO TEM O CRESCIMENTO QUE MERECE POIS SÓ VISAM LUCRO E ESPAÇO EM MÍDIA , AQUI NO RIO DE JANEIRO QUEREM TANTO QUE O KARATÊ SEJA OLÍMPICO QUE JÁ INVENTARAM OUTRA FEDERAÇÃO:LIKERJ, SÓ AQUI DEVE TER UMAS 10 FEDERAÇÕES COMO PODE ISSO? É BRASIL.
BRASIL

Offline Himura IOGKF

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 12
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #8 Online: Julho 27, 2016, 07:11:59 »

O objetivo da IOGKF Brasil é preservar e difundir o karate tradicional, na sua forma original, que remonta ao Bushi Chojun Miyagi, fundador do Okinawan Goju-Ryu Karate-do e que tem sido transmitido até nós pelo Sensei Morio Higaonna, Mestre supremo (Saiko Shihan) 10ºdan e também pela nova geração Sensei Tetsuji Nakamura Instrutor chefe mundial (Shuseki Shihan) 7ºdan.

Dá uma olhada no nosso site:

www.iogkfbrasil.com.br

Offline Gustavo-RJ

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.468
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #9 Online: Julho 27, 2016, 10:20:44 »
Brasiliano,

Eu conheço alguns, moras aonde?
"Ai se eu te pego, ai, ai."
Gustavo-RJ

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.430
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #10 Online: Julho 30, 2016, 14:41:31 »
Osu.

Tanto o Joe quanto Eros pontuaram questões pertinentes - e sem sombra de dúvida caminham com a razão. Contudo, vou buscar algo mais anterior a isso tudo para tentar esboçar o que penso sobre isso.

Quem pesquisar - e não é tão difícil atualmente - vai compreender que num passado não tão distante o Shotokan era um só, principalmente no Brasil. Contudo, após inúmeras desavenças entre os pioneiros da arte marcial no país, o estilo vem se deteriorando ao ponto de haver uma cisma, um rompimento entre o que é "tradicional" e "esportivo".

Por vezes os praticantes do Shotokan utilizam a expressão "tradicional" para designarem o Karate-do legítimo, ou seja, que detém uma linhagem mais aproximada ao legado de G. Funakoshi O-Sensei. Neste sentido, pouco importa o nome do Dojo ou a qual entidade ele está filiado, pois havendo sucessões de reconhecimentos, ou seja, certificados (diplomas) assinados por membros da linhagem (Funakoshi, Nakayama, Kanazawa etc.), basta ao praticante procurar manter a qualidade desta tradição - e ai é questão de honra mesmo.

Já outras pessoas usam o termo "tradicional" para se referirem a federações ou escolas que não priorizam a competição (ou priorizam, mas dentro de suas próprias regras). Contudo, nem sempre um instrutor desta vertente é alguém que recebera reconhecimento da linhagem do estilo. No caso do Shotokan, há até mesmo instrutores "tradicionais" sem qualquer diploma, embora isto não os impeça de conhecer e praticar as técnicas do estilo.

Na modalidade esportiva, que se baseia nas técnicas do Karate, podem até existir instrutores altamente qualificados e legítimos por linhagem e certificação, mas o que comumente se percebe em lugares desta vertente é o total distanciamento da marcialidade, motivo pelo qual alguns terminam dando-lhe o rótulo de ginástica, balé ou qualquer outra designação pejorativa.

Uma das questões mais importantes, creio eu, é que não é uma federação ou confederação quem irá definir a qualidade e tradicionalidade de uma arte marcial. Assim como alguns colegas do fórum, creio que somente o Sensei seja o responsável por tudo aquilo que acontece num Dojo - independentemente de título que detenha (Shihan, Kyoshi etc.).

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 259
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #11 Online: Agosto 03, 2016, 17:58:58 »
Você achar Shotokan tradicional hoje em dia é tão difícil quanto água no deserto.
As academias que se dizem tradicionais, na verdade, na grande maioria, são karatê esportivo treinado sem visar competições. O kata nessas academias é apenas uma coreografia sem funcionalidade nenhuma. O bunkai deles é só para passar em exame, com cenas que beiram os filmes do Van Dame.
Golpes traumáticos em pontos vitais, torções, quedas e imobilizações não existe nessas academias.
Enfim, há muitas academias que se dizem tradicionais, mas só se nomeiam assim por treinar soco e chute com kime, bem de vez em quando ainda por cima.
Esse tipo de treino só serve se você quiser ser um cara fitness e amarrar uma faixa na cintura para pensar que é lutador.
OSS!

Offline Joe

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 52
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #12 Online: Agosto 26, 2016, 16:49:03 »
Sinal dos tempos. E vai piorar com as Olimpíadas.

De qualquer modo, difícil é achar bons Dojos, seja "tradicionais" (alguns só tiram onda, vc vê o sensei de hakama, graduados quebrando tabuinhas... mas em essência, nada efetivo) seja "esportivos" (aí é que não tem mesmo treino duro)...

No final repito: quem faz o Karate é o sensei. Cada dojo vai lhe dar o que tem para dar, não importa a federação a que é filiado ou a "escola" que siga. Shotokan é Shotokan: é procurar um sensei que o ensine como você quer aprender...

Osu

Offline Brasiliano

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 9
Re:De volta para a Tradicional
« Resposta #13 Online: Setembro 05, 2016, 00:11:00 »
Osu.

Tanto o Joe quanto Eros pontuaram questões pertinentes - e sem sombra de dúvida caminham com a razão. Contudo, vou buscar algo mais anterior a isso tudo para tentar esboçar o que penso sobre isso.

Quem pesquisar - e não é tão difícil atualmente - vai compreender que num passado não tão distante o Shotokan era um só, principalmente no Brasil. Contudo, após inúmeras desavenças entre os pioneiros da arte marcial no país, o estilo vem se deteriorando ao ponto de haver uma cisma, um rompimento entre o que é "tradicional" e "esportivo".

Por vezes os praticantes do Shotokan utilizam a expressão "tradicional" para designarem o Karate-do legítimo, ou seja, que detém uma linhagem mais aproximada ao legado de G. Funakoshi O-Sensei. Neste sentido, pouco importa o nome do Dojo ou a qual entidade ele está filiado, pois havendo sucessões de reconhecimentos, ou seja, certificados (diplomas) assinados por membros da linhagem (Funakoshi, Nakayama, Kanazawa etc.), basta ao praticante procurar manter a qualidade desta tradição - e ai é questão de honra mesmo.

Já outras pessoas usam o termo "tradicional" para se referirem a federações ou escolas que não priorizam a competição (ou priorizam, mas dentro de suas próprias regras). Contudo, nem sempre um instrutor desta vertente é alguém que recebera reconhecimento da linhagem do estilo. No caso do Shotokan, há até mesmo instrutores "tradicionais" sem qualquer diploma, embora isto não os impeça de conhecer e praticar as técnicas do estilo.

Na modalidade esportiva, que se baseia nas técnicas do Karate, podem até existir instrutores altamente qualificados e legítimos por linhagem e certificação, mas o que comumente se percebe em lugares desta vertente é o total distanciamento da marcialidade, motivo pelo qual alguns terminam dando-lhe o rótulo de ginástica, balé ou qualquer outra designação pejorativa.

Uma das questões mais importantes, creio eu, é que não é uma federação ou confederação quem irá definir a qualidade e tradicionalidade de uma arte marcial. Assim como alguns colegas do fórum, creio que somente o Sensei seja o responsável por tudo aquilo que acontece num Dojo - independentemente de título que detenha (Shihan, Kyoshi etc.).

Osu.
8)
Oss!
Depois de indas e vindas. Comecei da FPK, depois fui para a Tradicional e depois voltei para a FPK. Fiz essas mudanças porque sentia que na FPK estava treinando igual uma maricas e na Tradicional estava ficando meio travadão. Resolvei voltar para a Tradicional, porque me parece algo mais funcional e "tradicional". Mesmo que não treinem tanta velocidade como na FPK, o treino é mais duro e as lutas são mais pegadas.
Só para abrir o debate mesmo.
OSS!
BRASIL