Autor Tópico: Kyokushin e Derivados  (Lida 16270 vezes)

Offline sato1

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 69
  • Votos: +0/-0
Re:Kyokushin e Derivados
« Resposta #60 Online: Janeiro 03, 2012, 16:02:24 »
Opa, sensei Pedro eu sou do Rs, Rio grande, treinava na academia Okinawa até me mudar devido a concurso público e estou tendo que praticar outras lutas no momento porque na minha cidade não tem o mesmo estilo. Bom que morasse em Sampa pois aí tem muito mais praticantes de bom nível, aqui é osso arranjar companheiros de treino.
Tem um pessoal que representa o Kagawa numa cidade meio próxima da minha sendo que ia ter que viajar pra treinar lá, mas também não conheço o nível no momento e não sei se aceitariam minha faixa marrom lá sendo que é da JKA. No momento vou ganhando experiência no muay thai mesmo, treinando com um pessoal semi-profissional, está sendo show de bola. Oss.

Para o colega de kyokushin digo que conheço bem esse estilo, já estive em várias academias e nunca vi socos altos no kyokushin, tanto que se ve a distância de luta irreal e a maneira de socar aberta visando costelas e peito que em geral usam. Os chutes são importados do TKD(giratórios) e do boxe thai(caneladas sem hikite).
É lógico que o Francisco Filho treinou Muay thai para lutar os K1, ele estava totalmente condicionado a lutar de guarda baixa e em distância curtíssima, oferecendo a cara pra bater. Teve que se reciclar, isso é inegável mas nem vale citar esse cara, pois é um genio das lutas e seria bom com qualquer arte marcial.
Enfim não entenda como nada pessoal, mas isso aí tudo que falei são fatos,é 2012 tá tudo filmado, não tem como negar.

Offline BigBoy

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.245
  • Votos: +1/-0
Re:Kyokushin e Derivados
« Resposta #61 Online: Janeiro 03, 2012, 18:14:54 »
Gente,

No Kyokushin treinandos sim soco no rosto.
Somente em nossos campeonatos não usamos por não usar nenhum tipo de proteção.
E na época que o Sensei Francisco filho foi lutar K1, ele não foi teinar thai e sim foi fazer uma adaptação do seu corpo pra essa competição.
Como todos sabem, não usamos luvas ele foi fazer um trabalho para se adaptar com as luvas, tanto para socar quando para receber pancada com as luvas.

Po gente, assim, criticar sem conhecimento é f#$!, picaretas existem em td quanto é lugar, mas vamos parar de criticar o que não conhecemos e vamos vivenciar ...
Oss!!


Olá Chucrutis,

   Veja, por favor, o último registro da página 3 deste tópico. Foi o
meu primeiro post sobre o assunto e, como houve uns probleminhas antes,
preocupei-me em fazer a citação do CRIADOR DO TÓPICO, no qual ele pergunta
para todos "se gostam ou não gostam e o porquê".

   Bom, escrevi o que pensava e meu colega sato1 fêz um comentário a
respeito. Pois bem, a gente continuou divagando sobre o assunto, proposto
por alguém que se anunciou como praticante de Kyokushin.

   Se em algum momento você acredita que o conteúdo é ofensivo à AM em si
ou a alguém, lembro-lhe que caso queira poderá denunciar para a moderação.
E de minha parte, peço-lhe que não me leve a mal, caso algum texto meu
tenha sido entendido por você como malcriação. Nossas conversas são
acerca das coisas e não das pessoas que as publicam. Escreva-nos, colega.
Será sempre um prazer podermos prosear acerca das coisas e olha que sobram
seções pra isso, incluindo a "Off Topic".

   Agora o estranho é isso: perguntam-nos nossa opinião e depois
o clima azeda se o conteúdo é malcriado. DUAS VEZES neste mesmo post.

   Um exemplo de um lutador de kyokushin que me deu embasamento para
afirmar tais coisas é uma entrevista de 2010, em que transcrevo-lhe
algumas partes[1]:

Na Holanda o treinamento dá muito foco no aprimoramento das combinações
de mãos e pés. Deu para aprender muitas coisas novas nesse sentido?

Sim, já consigo me soltar mais na parte de sequências. Vim realmente
para aprender o máximo que pudesse e conhecer novos métodos de
treinamento. Agora tenho dinâmica diferenciada, que certamente será útil
para os próximos combates.


E houve alguma inovação, algo que você nunca tinha feito?
Eles fazem bastante treino com saco de pancada ‘dirigido’. Geralmente
quando batia no saco de pancada, fazia livre. Achei muito bom esse novo
treinamento. É muito intenso e afia as habilidades de forma mais
específica.


Quais os detalhes aprendidos você gostaria de destacar?
O treinador sempre pedia para aplicar os chutes circulares (lowkicks,
médios e altos) com a canela. Quem vem do caratê é mais acostumado a
desferir alguns destes golpes com o pé. Mas não tive muitos problemas
nessa parte, me acostumei a chutar com a canela também, e agora posso
usar os dois tipos (de chute). O jogo de pernas também é bem diferente
e muito mais elaborado. Temos de nos movimentar mais lateralmente para
que os ataques e defesas funcionem melhor.


Migrar do caratê para o kickboxing é complexo, pela dinâmica de luta e
regras diferentes. No geral, como tem sido esse período pra você?

Atualmente temos mais acesso a vários tipos de treinos e treinadores,
está um pouco mais aberto nesse sentido. Mas o instinto natural de luta
(no caso, do caratê) é bem difícil de ser modificado. Raciocinar e fazer
coisas diferentes em cima do ringue - e no calor da luta - sempre é
complicado. Por isso, continua sempre uma adaptação complexa.


[1] http://superlutas.com.br/blogs/fernando/2010/05/14/exclusivo-ewerton-teixeira-e-os-treinos-na-holanda

[]´s
BigBoy