Autor Tópico: adestrando o jutsu  (Lida 2069 vezes)

Offline retsudo tanaka

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 299
  • Votos: +2/-2
adestrando o jutsu
« Online: Julho 18, 2008, 12:58:11 »

Não sou especialista, historiador nem nada parecido com isto. De forma que o que eu escrevo são apenas impressões que são expostas para, quem sabe, ajudar a mim mesmo a construir uma narrativa sobre o que é karatê como tradição marcial.

A idéia que tenho já foi exposta aqui no fórum. A exclusão do sufixo Jutsu e a inclusão do sufixo Dô nas tradições marciais japonesas têm certa recorrência.  Segundo informação que li foi a partir do Governo Meiji que artes marciais tradicionais japonesas tiveram que trocar seus sufixos.

Como todos nós sabemos JUTSU equivale a algo como técnica em japonês. DÔ, por sua vez, engloba o conceito de Via, Caminho, no aspecto filosófico que cabe no termo.  Querendo significar de fato Modo de Vida. Talvez diretriz ética, moral e religiosa que regem cada ação de indivíduos que optam escolher-la como modelo.

O  sufixo jutsu – que complementava o nome da arte marcial – queria passar a idéia de que tinha como foco a excelência na técnica de guerra, combate ou confronto. É razoável acreditarmos que enquanto esse sufixo permeava a filosofia de treino dos adeptos o que se vislumbrava era a busca pela excelência da técnica como INSTRUMENTO LETAL.

Por sua vez, o sufixo Dô, para usar uma imagem recorrente hoje, buscava forma, podemos dizer, cidadãos.

Neste processo a maioria das artes marciais japonesas foram “adestradas” e perderam muito da sua capacidade de técnica eficaz. Ju-jutsu virou judô, kenjutsu virou kendô, aikijutsu virou aikidô e o sufixo jutsu foi retirado do karatê.

O que ficou foi uma doutrina de vida que cada vez mais é mais valorizada do que a técnica. A incorporação da doutrina é importante e deve ser valorizada. O problema está no fato de que muitos de nós nos escondemos  atrás do Dojokun e similares para justificar falhas na formação técnica de combate.

“Meu oizuki não é tão bom, mas eu sei o dojukun de cor e salteado”.

O que parece interessante é que hoje muita gente do “caratê” esportivo fala muito Dô. Isso gera uma certa incoerência quando acompanhamos a postura dos atletas e seus técnicos no koto. Vemos simulação de agressões para penalizar o adversário, falta de postura, reclamações com arbitragem e etc.

Acho que é por isso que cada vez mais quem é do karatê tradicional gosta de citar o sufixo jutsu. Não que o Dô seja esquecido, mas porque ele já está absolutamente vulgarizado a ponto de servir como mil e uma desculpas para todos os propósitos. Inclusive políticos.

Em minha opinião se o DÔ fosse mais importante que JUTSU eu preferiria estudar xintoísmo ou uma filosofia qualquer que me permitisse vislumbrar um postura  magnânima da vida.

Na melhor das hipóteses o Dô no karatê serve como instrumento educacional para as crianças. O que é muito bom. É bom, mas não basta. Junto com Dô e necessário prepararmo-nos a  nós e as crianças pelo jutsu. Ele também nos permite fortalecer o caráter, criar o espírito de esforço e até conter o espírito de agressão. Não pelo medo, mas pela consciência da sua técnica.

E sinceramente, não estou dizendo que os membros do fórum do karatê esportivo são menos ou mais karatecas. Respeito todos. Não tenho nada contra competição. Respeito quase todos os senseis das mais diferentes organizações.

Offline Luiz

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.124
  • Votos: +1/-1
Re: adestrando o jutsu
« Resposta #1 Online: Julho 18, 2008, 13:39:55 »
Eu já acho que esse assunto vai ter as mesmas respostas do tópico criado a algum tempo atraz com título "No karate não existe kihon, kumite e katá"

Ou seja, acredito que chegaremos na mesma resposta, Karate sem Do ou Jutsu não é Karate.

OSS...
"Aqui se cultiva o corpo e a mente"

Offline Ookami

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 9
  • Votos: +0/-1
  • Aprimore sua mente de modo contínuo (G. Funakoshi)
Re: adestrando o jutsu
« Resposta #2 Online: Julho 18, 2008, 15:02:58 »
Inspire 'jutsu', expire 'dō'
Inale 'jutsu', exale 'dō'

Cobre de si mesmo 'Jutsu', reparta com os outros 'Dō'
Busquemos o 'Jutsu', apresentemos o 'Dō'

Eu vejo dessa forma: 'Jutsu' para mim, 'Dō' para o meu próximo

Oss! :)
Each criature has its own nature, what's yours?

Antoine

  • Visitante
Re: adestrando o jutsu
« Resposta #3 Online: Julho 18, 2008, 18:17:50 »
Aprender e saber Matemática, faz des-aprender ou impede de aprender a língua Portuguesa?

Não.

O Problema está em quem usa usa matemática (engenheiros, físicos, matemáticos, etc...) e escrevem como um débil mental.

Do outro lado, onde usuários profissionais da língua portuguesa não sabem equação de primeiro grau.

E o mesmo em outras disciplinas.

Exceto se concordarmos todos que conhecimento ocupa espaço, nada é excludente.

Ou seja, acho que o maior fodão em Kumite, devia aplicar o Dojo Kun no Dojo e na vida.
O maior fodão na porrada em Karate (treino, competição e auto-defesa) tem que ser bom carater e exemplar cidadão. Oss.

Offline Antonio Pêcego

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 560
  • Votos: +6/-3
  • 1985 no RJ, soltando a perna em exame para shodan
Re: adestrando o jutsu
« Resposta #4 Online: Julho 18, 2008, 20:32:21 »
Ou seja, acredito que chegaremos na mesma resposta, Karate sem Do ou Jutsu não é Karate.

OSS...

Perfeito...um completa o outro.  Oss !!!
Momo
"Conhecer os outros é sabedoria, conhecer a si próprio é Iluminação." Lao-Tzu

Offline Jose Fernando Pimentel

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 272
  • Votos: +5/-5
Re: adestrando o jutsu
« Resposta #5 Online: Julho 19, 2008, 11:54:24 »
Do é um caminho didático para se chegar ao Jutsu. O Jutsu puro é de maior dificuldade de compreensão para o ocidental, pois seu escopo foi criado em meio a valores de uma sociedade samurai, que tinha em seu dia a dia vivências que corroboravam para o entendimento do Jutsu. O Jutsu puro fazia parte de um contexto sociológico e cultural que nós não vivemos hoje. O Do é um caminho para entebder esses conceitos.

Oss.

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.456
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re: adestrando o jutsu
« Resposta #6 Online: Julho 20, 2008, 10:01:34 »
Oss,

Vi num site uma explicação que diz a diferença antre "Dô" e "Jutsu", não sei se está 100% correto, mas faz sentido:

http://mon.no.sapo.pt/Mon02/o%20que%20%E9%20jutsu.htm

NA MINHAOPINIÃO:

Se para conseguirmos aprender uma técnica (qualquer coisa, não precisa ser Karatê) devemos repetir seqüências 1.000 vezes por dia, para no final do mês conseguirmos dominá-la - isso é "Jutsu". FAZER essas repetições sem tempo determinado - isso é "Dô".

Não sei se tecnicamente isso está correto, mas foi o que eu entendi.

Oss.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Jose Fernando Pimentel

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 272
  • Votos: +5/-5
Re: adestrando o jutsu
« Resposta #7 Online: Julho 20, 2008, 13:13:16 »
Repetir a mesma técnica 1000 vezes por dia é suicídio articular, podem perguntar a qualquer fisioterapêuta. Jutsu é guerra, combate efetivo, cujo único objetivo é a vitória no campo de batalha. Do é todo extrato retirado das praticas Jutsu que tenham cunho educacional. Jutsu um dia acabará em vida ou morte, Do não acaba e se perpetua como método educacional. A sua cabeça tem que se preparar de forma diferente para um e para outro.