Autor Tópico: Uema Sensei - Okinawa karate-do  (Lida 457 vezes)

Offline Arivaldo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.350
Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Online: Dezembro 07, 2015, 09:57:39 »
Conceituado Sensei do Okinawa Karate-do...




Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #1 Online: Dezembro 08, 2015, 23:24:45 »
Baixei alguns vídeos do Sensei Uema, Ari-sensei.
Acho uma verdadeira volta às origens do Karate-dō.

Vocês repararam como o conceito técnico muda no quesito estabilidade da base, quando comparado ao Shōtōkan? Aqui, o pé chega antes, firma a base, para a mão aplicar a técnica. Bem diverso do nosso mão é pé juntos.

Excelente vídeo!
Osu!
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.430
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #2 Online: Dezembro 09, 2015, 10:37:28 »
Osu,

A questão poderá parecer estranha, mas o "casamento alquímico" das mãos com os pés pode variar de acordo com a necessidade do deslocamento sem que a equação "f=ma" (força como resultado da massa multiplicado pela aceleração) seja descomposta.

Tratando-se de um soco simples, como o Oi Tsuki, é certo a instrução de que toda a força deve estar concentrada no punho? Suponho que sim. Muito complexamente, ainda há Sensei que diz o seguinte: "colocar todo o peso do corpo na mão". Difícil de compreender para um iniciante, mas esta é a potência de um Oi Tsuki! Neste sentido, o que se deseja de um bom praticante é desenvolver sua técnica de tal forma que sua massa reste concentrada no punho, e que este seja deslocado o mais rápido possível contra o adversário.

A questão não é tão simples e confesso que minha didática para tentar explicar isso é muito prolixa, ainda mais sobre o que digo a seguir. Esta massa, que deve se aglomerar no punho, não se desloca junto com o movimento de Oi Tsuki desde sua aceleração inicial! Alguém pode dizer: "danou-se". Quando alguém desfere um Oi Tsuki, o corpo anda, mas o punho somente se desloca no momento final. Mesmo em seu deslocamento, o punho ainda não concentra a massa necessária para a produção de força junto com a aceleração. A massa deve ser transportada para o punho milésimos de centésimos de segundos antes do impacto contra o oponente. Logo depois, o punho deve abandonar toda a energia para que não regresse pelo braço.

Grande questão: ambos os pés precisam estar fixos ao chão para que haja o movimento do quadril, um dos maiores responsáveis pela força do Oi Tsuki?

Antes de meditarem nessa pergunta, outra questão merece reflexão. Quando se pede para um praticante de Shotokan casar as mãos com os pés, quantos não exprimem força com ambos? O que quero dizer: quantos não batem os pés no chão para terem certeza de que o soco chegou no tempo correto? Aliás, isto é mais uma marcação do que uma exigência. Desta forma, se isto acontece com alguém, ou seja, bater os pés no chão, será que o punho está recebendo a massa e a aceleração, necessárias ao surgimento da força?

Será que um soco pode chegar antes dos pés? Será que os pés podem chegar antes do soco? Afinal, se o pé funciona apenas como sustentação (supondo, neste exemplo, o deslocamento para Oi Tsuki), qual a importância deste chegar antes ou depois do soco?

Sobre a questão acima, visualizem o diagrama do Oi Tsuki. Em Zenkutsu-dachi, o pé da frente se agarra ao chão para que o joelho dianteiro forme um gatilho de disparo, como de um velocista. Após o disparo, postula-se a chegada do pé traseiro juntamente com o punho, ok? Fora esta determinação, em que influencia o pé traseiro no deslocamento do Oi Tsuki se o gatilho é dado pela perna dianteira?

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #3 Online: Dezembro 09, 2015, 14:28:43 »
Osu amigos!

Caro PSekiMG, achei muito interessante sua leitura técnica acerca do Oi-zuki, conforme seu exmplo.
Para fins de estudo, gostaria de transmitir minha interpretação do mesmo Oi-zuki, para gerar a boa discussão de estudo e consequentemente aprender com o amigo. Fica também um material para estudo dos demais membros.



Observando a foto, na aplicação de um Oi-zuki de esquerda, vemos o movimento já em andamento (Fig. 1), com a perna de trás (dō-kyaku) deslocando-se à frente. Note que o quadril permanece quanto possível na mesma posição em que se encontrava, de Zenkutsu-dachi imóvel, pois só a perna de trás que iniciou sua movimentação. Ao iniciar essa movimentação ela (perna/pé esquerdo – de trás) principia empurrando o chão, impedindo assim de sobrecarregar as costas ou mover o pé da frente; imediatamente a esse impulso inicial é o pé/perna da frente (jiku ashi) que assume a “responsabilidade” da técnica, estabilizando o equilíbrio, sustentando o quadril/corpo (Fig. 2) na mesma posição e criando uma “mola” que será fundamental para o poder do soco. É da formação dessa “mola”, chamado Fumidashi, que se inicia a propulsão cinética (Fig. 3), alavancada pela distensão da perna direita (jiku ashi), que agora ficou atrás, e do movimento rotatório do quadril (kaiten), culminando no tsuki, em harmoniosa combinação de pé da frente (dō-kyaku) e da mão. O pé/perna da frente não tem responsabilidade, ao meu ver, na força do impacto, salvo o fato da aproximação propriamente dita. A força vem da fixação do pé direito (de trás) contra o solo, que suporta a resistência da massa impactada (como uma broca subterrânea que sustenta uma construção sólida), em uma ligação do pé (que empurra o solo), conduzindo a força daí gerada pela perna para o quadril (cintura pélvica), que rotaciona, arremessando essa força para a cintura escapular (ombros) que a conduzem à mão e desta para o alvo.

Osu.
« Última modificação: Dezembro 09, 2015, 14:31:17 por Eros José Sanches »
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)


Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.430
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #4 Online: Dezembro 10, 2015, 10:58:44 »
Osu,

Eros,

Ótimo por compartilhar tal figura e explicações. Creio termos dito a mesma coisa, só que em perspectivas diferentes.

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #5 Online: Dezembro 10, 2015, 20:30:13 »
Obrigado PSekiMG.

Você reparou como na série "O melhor do Karate", muitas (mais muitas mesmo!) imagens da transição dos movimentos, nas diversas bases, exemplificam exatamente essa percepção técnica que compartilhamos aqui?
As imagens das várias fotos apresentando os diversos "momentos" dos movimentos são uma fonte apreciável de estudo.
Estas imagens que compartilhei aqui vem destas obras.

É por isso que essa série, juntamente com "Karate Dinâmico", são imprescindíveis para os estudos do Karate-dō shōtōkan.  :)

Abraços!
Osu.
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline Arivaldo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.350
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #6 Online: Dezembro 15, 2015, 16:10:34 »
O karate de Okinawa não deve ser analisado pelo ponto de vista das mudanças efetuadas por Nakayama Sensei para o Shotokan...por exemplo no karate de Okinawa trabalha-se média e curta distância não tem movimento longo, outro exemplo o conceito do golpe definitivo Nakayma Sensei importou do kenjutsu não existia no Okinawa karate...o karate de okinawa é de origem chinesa e seus movimentos são circulares trabalhando mais nas articulações do que na contundência dos golpes...Asai Sensei desenvolveu um karate mais voltado as origens e bem próximo do shurite...

abs


Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.430
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #7 Online: Dezembro 15, 2015, 18:05:21 »
Osu,

Bem observado, Arivaldo!

Quando expus minhas observações sobre "pés e mãos juntos", indagando se esta premissa era 100% verdadeira do ponto de vista físico, minha intenção era apenas de rever os conceitos mecânicos aplicados, uma vez que nos Kata de Uema Y. Sensei os deslocamentos dos movimentos "parecem" diferentes.

Neste quesito, creio que a implementação do Eros foi de grande valia, pois mostrou que a JKA, através da sua literatura, revela as intenções dos deslocamentos no Shotokan com relação ao casamento de mãos e pés.

Contudo, observem a passagem do 7º para o 8º movimento do Tekki Sodan:



Adianto que este Uchi-Uke do 8º movimento em nada serviria se não fosse pelo 7º movimento. Neste caso em específico, para não citar outros e outros presentes no Shotokan, se o punho não "casa" com os pés, a equação "f=ma" (de força) não será completa.

Como as artes marciais de um modo geral veem da China, mais precisamente baseadas nos conceitos da dualidade da Escola Chan (remontando Bodhidharma), seus movimentos necessitam da dualidade, por exemplo, do treinamento de Choko-Tsuki. Enquanto um punho se dirige ao alvo, outro se recolhe para que o movimento do quadril seja pleno.



No caso do Oi-Tsuki, a questão desta dualidade é configurada pela perna dianteira, que produz o gatilho do movimento, e o punho que se desloca em direção ao alvo. O pé que se encontra trás anteriormente ao desferimento do golpe Oi-Tuski, A DEPENDER DO DOJO, pode chegar ao mesmo tempo do punho, chegar antes do punho ou mesmo depois do punho - e isto não significa que a equação "f=ma" esteja incompleta.

Com relação às origens do Shotokan, é evidente que o estudo das novas "nomenclaturas", interpretações advindas no período Nakayama, merecem total atenção e não estão disponíveis nas séries O Melhor do Karatê, nem no Karatê Dinâmico.

Sobre Asai T. Sensei, creio que seu Karatê, diferentemente do modo já enraizado e praticado nas escolas advindas exclusivamente da JKA, se baseia numa equação que prioriza a repetição da velocidade ao deslocamento da massa. Ou seja, seus movimentos são muito mais rápidos, mas a concentração de massa no punho é inferior. Contudo, não são todos os aspectos de sua arte que se valem disto. Asai T. Sensei possui técnicas do Shotokan insuperáveis - o cara era um monstro e um Karateka genial!

Bom tópico!
Espero que continue assim.

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline Eros José Sanches

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 188
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #8 Online: Janeiro 07, 2016, 20:02:57 »
Osu.

Desculpem. Acabei ficando um tempo "off" e não vi a continuidade desse tópico.

Ariovaldo-sensei, realmente esse não é o melhor local para discutir conceitos técnicos de Shōtōkan.  :P

Mas. algo que o amigo escreveu me chamou a atenção.
Acredito sim que o conceito de golpe definitivo (Ikken Hissatsu) vem de Okinawa. Nakayama-sensei reporta-se a expressão existir desde "antigamente", sem necessariamente abordar o Ken-jutsu.
Funakoshi-sensei também da mostras disso quando, referindo-se aos treinamentos, em sua autobiografia:

Quero dizer que se você estivesse em combate e devesse desferir um golpe, não deveria ter dúvida absolutamente nenhuma de que esse golpe decidiria tudo.

De qualquer forma a informação me interessa para minhas pesquisas. Existe alguma fonte?

Osu!
"A popularidade internacional alcançada pelo Karate-do é recente, mas essa é uma popularidade que os professores de Karate devem fomentar e usar com grande cuidado" (Gichin Funakoshi, 1956)

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.430
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Re:Uema Sensei - Okinawa karate-do
« Resposta #9 Online: Janeiro 08, 2016, 09:36:32 »
Osu,

Eu acredito que o Karate é muito versátil para somente existir uma única forma de se fazê-lo. Assim como a escrita, tão priorizada por O-Sensei G. Funakoshi, o Karate também pode ser diferenciado, mesmo no Shotokan. Se o Karate fosse o idioma e o Shotokan uma palavra de seu vocabulário, é certo que para se escrever "CASA" em português devemos utilizar um "C", dois "A" e um "S" na ordem correta para que haja compreensão daquilo que se encontra embutido na palavra. Embora alguém possa entender a escrita da mesma palavra com "K", pois foneticamente não haveria alteração, isto não significa dizer que "KASA" está correto. Entretanto, é normal que algumas pessoas tenham a grafia mais bela do que a de outro, mas forte do que a de outro ou mais rápida do que a de outro. Até digitalmente falando é possível perceber que pessoas preferem tipologias diferentes para escreverem seus textos. Esta é a beleza do Karate - poder ser comum à todos, mesmo diante das diferenças. Tenho certeza que o Karate de todos está mais diferente do que àquele praticado há 5 anos atrás. Ou seja, será que está mais bonito, mais correto? E daqui há mais 5 anos? O Karate é produto da constante transformação.

Osu.
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.