Autor Tópico: Entrevista com Lyoto  (Lida 2120 vezes)

Offline E.Nakau

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 26
  • Votos: +0/-0
Entrevista com Lyoto
« Online: Agosto 10, 2008, 09:55:39 »
Retirado do orkut

artigo publicado no UFC.com
Traduzi este belo artigo publicado no UFC.com, e como fã do Lyoto, traduzirei as próximas partes quando aparecerem.

As Crônicas de Lyoto - Parte Um: As Lições de Nossos Pais
Por Thomas Gerbasi

5:30 AM. Uma hora desumana para a maioria de nós, incluindo Lyoto Machida. Porém, ele levanta sem hesitação, assim como levantou-se a cada dia em seus quase 30 anos, deparando-se com o homem que sempre será seu adversário mais difícil: seu mestre, herói e pai - Yoshizo.

Lição Número Um: Disciplina.

"Acredito que não há resultados sem disciplina," disse Lyoto. "Por esta razão, atletas precisam quebrar maus hábitos para obter resultados. Acordar cedo para treinar caratê com meu pai é a parte mais fifícil. 5:30 da manhã todo dia. Meu pai escolheu esse horário jutamente para dificultar o treino."

Desde seus três anos de idade, Lyoto pratica caratê Shotokan, a arte marcial ensinada por seu pai. O jovem Lyoto aprendeu caratê muito rapidamente, e mesmo após suas conquistas no mundo do MMA, o caratê continua sendo a base de seu estilo, tornando-o uma raridade neste esporte onde o wrestling, jiu-jitsu, muay thai e boxe são os focos mais valorizados.

Curiosamente, embora muitos fãs do esporte desconsideram o caratê como uma base aceitável no mundo do MMA (devido em parte ao preconceito ligado a outros supostos "mestres" de caratê criados em academias de shopping e jovens de oito anos recebendo faixas pretas), o caratê de Lyoto guiou sua série de 12 vitórias, continuando invicto no mundo do MMA, e trouxe-o a uma das lutas principais do evento UFC 84 do dia 24 de maio, contra o ex-campeão dos meio pesados Tito Ortiz. Considerando que seu cartel inclui vitórias sobre adversários como BJ Penn, Rich Franklin, Stephan Bonnar e Rameau Thierry Sokoudjou, podemos concluir que Machida está no caminho certo.

Podem perguntar aos seus últimos adversários, como David Heath, que sabia que enfrentar este canhoto em sua luta no UFC 70 seria uma tarefa difícil.

"Machida tem um estilo muito complexo, e vou precisar ralar para combater certos elementos desse estilo para controlar o ritmo e fazer a minha luta," disse Heath, que acabou sendo dominado por três rounds e perdendo por decisão unânime, em uma luta que ficou devendo em termos de ação, mas mostrou que decifrar o estilo de Lyoto é como tentar resolver um grande cubo mágico.

"Meu estilo complicado é fruto do treinamento caratê que sempre pratiquei, e fruto de tudo o que meu pai ensinou-me," disse Lyoto, cuja disciplina no Octagon é complementada pela voz de seu pai.

Outra lição importante: nunca desista de seus sonhos.

Quando Machida luta, não verão emoções em seu rosto. Não verão uma expressão de pânico quando ele estiver em apuros, e não detectarão sangue nos olhos quando o adversário estiver em apuros. O esporte é uma competição. É uma luta a ser ganha, mas Lyoto está disposto a fazer o que for preciso para vencer. Se isso significa partir ao ataque desde o início, Lyoto atacará. Se a melhor estratégia requer esperar na retaguarda até o adversário cometer um erro, Lyoto esperará, independente de quanto tempo for necessário.

Inevitavelmente Lyoto vencerá, seja por pura técnica ou a precisão e força de seu contra-golpe de esquerda - um soco desferido com a velocidade e precisão exemplificados pelo astro canhoto do boxe Manny Pacquiao. Novamente, a força vem do caratê, e as décadas de treinos repetitivos finalmente renderam seus frutos. Nunca houve outra opção para Lyoto quando ele era criança, crescendo em Salvador. Mesmo enquanto via seus amigos fazendo todas as coisas que crianças e adolescentes fazem, Yoshizo continuou botando ele para trabalhar.

"Acredito que cheguei a este ponto porque eu sempre me esforcei muito com este objetivo em mente," disse Lyoto. "Sempre treinei duro, e continuo treinando muito. Faço inúmeras séries durante muitas horas de treino. Enquanto meus amigos brincavam e festejavam, eu treinava."

Agora que Lyoto e sua mulher tem um filho a caminho, ele entende a razão de tudo o que seu pai fez por ele, enquanto preparava-o para competir tanto no caratê quanto na vida, com lições impressas inescapavelmente em sua mente, corpo e alma. Não foi um caminho fácil, mesmo com seu cartel invicto no MMA, marcado como uma das maiores promessas do esporte. No começo, ele precisou fazer a transição de competições de caratê para lutas de verdade.

"A adaptação mais complicada foi a transição do caratê competitivo para o caratê usado em lutas," disse Machida. "Ë uma grande diferença. Nas competições, cada movimento é controlado. Não usava joelhadas, e competi por muito tempo. Quando entrei no mundo do MMA, tive dificuldades porque meu subconsciente tentava controlar todos os golpes."

Porém, ele conseguiu adaptar seu caratê para criar um jogo de MMA completo, e quando ele compete, ele mantêm sua confiança silenciosa. Ele não abre a boca para falar mal dos adversários, e não costuma fazer previsões de luta."

Meu pai ensinou-me a sempre respeitar meus oponentes, nunca imaginando que eles são fracos.

Portanto Lyoto treinará para cada oponente com a mesma intensidade inabalável, seja ele um ex-campeão como Ortiz ou um desconhecido em uma luta preliminar. A esta altura em sua carreira, perder não é uma opção para Machida, que trabalhou demais para acabar perdendo agora. Para Lyoto, talvez haja algo mais importante do que a vitória - deixar seu pai orgulhoso.

"Meu pai respeita minha carreira e gosta de assistir minhas lutas, mas sempre encontra falhas," disse Lyoto. "Nada é bom ou perfeito o bastante para ele, o que é ótimo para mim, porque eu quero continuar melhorando."

Portanto, a 5:30 da manhã do dia seguinte, Lyoto Machida levantará novamente.