Autor Tópico: Vergonha Literária no Shotokan Brasileiro  (Lida 416 vezes)

Offline PSekiMG

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.452
  • Votos: +0/-1
  • Não existe atitude ofensiva no Karate ― Shoto.
Vergonha Literária no Shotokan Brasileiro
« Online: Janeiro 31, 2016, 16:51:54 »
Osu,

Segurei a criação deste tópico por muito tempo, mas acho que chegou a hora de realizar um breve desabafo pessoal sobre o Shotokan Brasileiro.

Caso tenha lido a obra Karatê-Dō Kyōhan da Editora Cultrix, certamente se surpreendeu com um prefácio à edição brasileira escrito por um Aikidoka. Estranho? Creio que não, pois Wagner Bull Sensei, críticas à parte, possui bagagem literária suficiente para escrever sobre qualquer tema relacionado as artes marciais japonesas.

Infelizmente Wagner Bull Sensei figurou o "estranho no ninho" quando redigiu o prefácio à edição brasileira do Karatê-Dō Kyōhan. Imaginar que ninguém do Shotokan no país tenha competência para tecer uma ou duas palavrinhas sobre a obra de Funakoshi Gichin O'Sensei é decretar falência múltipla de órgãos! Prefiro pensar que a Editora Cultrix tenha escolhido um Aikidoka para prefaciar sua publicação em razão dos titulares por direito não se entenderem e, daí por diante, comprar uma briga infindável.

Contudo, se em nenhum momento a Editora Cultrix procurou os responsáveis pela difusão do Shotokan no país, independentemente do utópico nível hierárquico descentralizado existente, onde ninguém é detentor exclusivo de absolutamente nada, ainda mais se tratando de conhecimento, técnica, filosofia e história, caberia pressão para que se retratasse sobre o descaso com a arte marcial e seus praticantes.

Mas se ela, a Editora Cultrix, procurou alguém do Shotokan para prefaciar a edição brasileira do Karatê-Dō Kyōhan, mas por puro analfabetismo intelectual (ou mesmo formal) não se dispôs a escrever, este seria o momento ideal para banir dos anais da história qualquer incompetente que se intitulasse Sensei, mas não soubesse, ao menos o mínimo, sobre aquilo que pratica e ensina.

De toda forma, creio que toda comunidade do Shotokan resta imensamente agradecida ao Wagner Bull Sensei por traduzir "O Texto Mestre".

É tudo.

Osu.
« Última modificação: Fevereiro 01, 2016, 00:11:20 por PSekiMG »
A força física sem respeito nada mais é que força bruta, e para os seres humanos não tem nenhum valor ― Shoto.

Offline kawase777

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 17
  • Votos: +0/-0
Re:Vergonha Literária no Shotokan Brasileiro
« Resposta #1 Online: Fevereiro 01, 2016, 08:32:27 »
Osu.

Chega a ser difícil acreditar que este livro não foi traduzido por algum Sensei brasileiro de Karate Shotokan.

Acredito que aqui tenham bons Sensei, sera que talvez a editora não tenha feito uma procura mais profunda ?

De qualquer forma estarei comprando esta obra e lendo para tirar minhas conclusões de como ficou a tradução, esse Waganer Bull Sensei parece ser uma pessoal muito respeitável, mesmo sendo de outra modalidade de arte marcial acredito que qualquer um que tenha um real interesse pelo que proporciona uma arte marcial pelo Caminho, seria capaz de traduzir essa obra.

Triste ver que não acharam nenhum Sensei de Shotokan que pudesse fazer isso.

Osu!

Offline Platão

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 264
  • Votos: +1/-0
Re:Vergonha Literária no Shotokan Brasileiro
« Resposta #2 Online: Fevereiro 01, 2016, 10:02:59 »
Osu,

banir dos anais da história qualquer incompetente que se intitulasse Sensei, mas não soubesse, ao menos o mínimo, sobre aquilo que pratica e ensina.


Osu.

OSS!
Acho que não sobraria muita gente então. Conheci muitos professores que "ensinam assim, porque aprenderam assim". Essa é a resposta deles quando perguntados sobre algo.

Offline Cabadapest

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 989
  • Votos: +0/-0
Re:Vergonha Literária no Shotokan Brasileiro
« Resposta #3 Online: Fevereiro 03, 2016, 07:30:33 »
Especulando o assunto:
O tradutor para o inglês deste livro é Tsutomu Ohshima, ligado ao grupo Shotokai, portanto opositor da proposta esportivista do grupo Shotokan de Nakayama. Se desconsiderarmos os aspectos técnicos, a filosofia do Karate Shotokai se aproxima mais do Aikido do que do Karate Shotokan. Existem representantes do Shotokai no Brasil?
Não acredito que tenha algo a ver, isto é coisa de vendedor de livros, mas nada me surpreende sobre as intrigas do Karate.
Não conheço a versão traduzida, mas Karate Kyohan é uma obra prima, destarte este desconforto, ainda acho que foi importante ser traduzida.
Não pretendo adquirir.
Osu!
"Aquele que está consciente de suas próprias fraquezas será senhor de si mesmo em qualquer situação." Funakoshi.