Autor Tópico: Apresentação  (Lida 309 vezes)

Offline Teles

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 4
  • Votos: +0/-0
Apresentação
« Online: Novembro 30, 2015, 17:20:23 »
Saudações a todos,


Primeiramente quero agradecer por visitar este tópico e ler minha apresentação.

Me chamo Alessandro, tenho 31 anos e estou iniciando minha jornada no Karate, como a maioria, imagino, tive o inicio da minha paixão por artes marciais na juventude ao assistir filmes do Bruce Lee, Van Damme e tantos outros.

Dos 5 anos quando comecei a praticar artes marciais até hoje, já tive a oportunidade de treinar diversos estilos, tendo pegado graduação em apenas dois aos quais me dediquei por mais tempo, Jiu Jitsu e Tae Kwon Do. Porém sempre tive em meus pensamentos a sombra de "está faltando algo", nada contra as artes que tive o prazer de treinar, mas o excesso de esportividade afastou algumas da tradição ou do Do, por assim dizer.

Hoje estou treinando Karate, e me sinto pleno, se chegarei a ser um faixa preta, só o tempo poderá dizer, mas são meus planos. Acompanho a história da arte a algum tempo, acesso o blog do Daniel, Pinto Karate Dojo, inclusive fiz aulas de Shotokan por 3 meses, mas confesso que estranhei a forma sem contato do Kumite, acredito por ser algo inerente aos iniciantes, hoje treino Shinkyokushin (kyokushin ?), não por achar mais eficiente esse ou aquele estilo de Karate, também não me atenho ao nome Kyokushin (verdade), Karate é Karate... mas por questão de oportunidade e vontade, me mudei de cidade e moro muito próximo a um dojo, também sempre tive curiosidade de praticar este estilo pois acompanhava lutas de K1..., como tenho um conhecimento em Tae Kwon Do a transição para as regras deste estilo me são naturais.

Sei que alguns dos membros do fórum não simpatizam com o estilo, já li alguns tópicos com discusão sobre estilo X contra Y, ou falando de Oyama, sinceramente, não pretendo participar destes de forma agressiva ou levantar bandeiras, acho que todos se fortalecem se caminharem juntos, espero fazer amizades e aprender mais sobre o Karate com os mestres e participantes do fórum.

Agradeço mais uma vez a todos que leram minha apresentação e desculpem por me prolongar.

Osu !
« Última modificação: Dezembro 02, 2015, 13:01:25 por Teles »

Offline Joe

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 52
  • Votos: +0/-0
Re:Apesentação
« Resposta #1 Online: Dezembro 01, 2015, 17:44:59 »
Ainda não havia lido o tópioo.

Bem vindo ao forum, sou quase tão novo quanto você aqui.

Também acho que estilos variam porque as pessoas são diferentes, cada um escolhe o caminho que lhe parece mais favorável ou agradável.

A questão do contato no Karatê é motivo de muita deliberação pelos mestres. Creio que num grau maior ou menor, todos eles, Funakoshi, Oyama e outros dedicaram algum tempo a essa reflexão e chegaram ao sistema que lhes serviu.

A maioria dos estilos de Karatê hoje não pratica kumitê com contato total, de modo a preservar os praticantes e permitir que mesmo aqueles não tão fortes ou sadios fisicamente possam estudar o Karatê-dô e serem capazes de melhorar sua condição física e mental e aprenderem a defender-se sem necessidade de estarem sempre se lesionando...

No Dojo onde eu pratico o Shotokan, os mais graduados fazem kumitê com algum contato, mas com todas as proteções, luvas, protetor bucal, etc... Praticamos tanto o karatê marcial como o esportivo.

Abraços!

Offline Teles

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 4
  • Votos: +0/-0
Re:Apesentação
« Resposta #2 Online: Dezembro 02, 2015, 12:59:44 »
Ola Joe, obrigado pelas palavras.

Concordo que visões diferentes de uma mesma arte sempre vão existir, mas todos os caminhos acabam buscando o mesmo fim.

Entendo a questão de preservar a integridade fisíca, e quem sou eu para questionar os mestres fundadores de cada estilo, independente de quão polêmica seja sua história , nesse caso me refiro a Oyama.

A grande verdade é que a maioria dos praticantes não vive de (ou "o") Karate e precisa trabalhar no dia seguinte, não tenho nada contra isso, todos sabem aonde o calo aperta, uns procuram artes marciais para defesa pessoal, outros para manutenção da saúde e uma parcela para vivenciar o Budo. No que tange a minha percepção sobre o Shotokan e o Shinkyokushin, eu apenas me adequo melhor ao que me foi apresentado pelo segundo, não que este seja melhor que seu predecessor, também não posso afirmar que se houvesse perseverado no Shotokan não teria encontrado oque procurava, na verdade larguei os treinos por 2 questões, acabei me afastando um período mais conturbado no trabalho e houve encerramento da atividade Karate no Sesc em Madureira \ Rio de Janeiro, onde treinava.