Autor Tópico: OS ESTILOS  (Lida 12449 vezes)

Offline samurai

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.184
  • Votos: +0/-0
OS ESTILOS
« Online: Dezembro 04, 2007, 13:54:38 »
OS ESTILOS DE KARATÊ


Karatê é unitário, não se divide na sua essência, porém da variedade de formas de treinamento e postura, provenientes de variadas influências de regiões ou até outro povos, surgiram os vários estilos.

Exemplificando, diremos que toda árvore tem um tronco, esse seria a essência. Deste partem os galhos em tamanhos variados, adquirindo suas próprias formas. Assim, também, é o Karatê. Possui um tronco único que é a própria arte marcial e os vários galhos, que poderemos dizer, simbolizam os estilos.

Estilo é na verdade o método usado por cada um dos antigos mestres dentro das suas próprias características e concepções.

Atualmente, existem vários estilos: SHOTOKAN, SHITO-RYU, WADO-RYU, GOJU-RYU, SHORIN-RYU, KIOKUSHINKAI e outros. Destes o mais praticado e difundido no Brasil é o SHOTOKAN.

Estes são os estilos mais conhecidos universalmente e embora outros venham sendo difundidos em menor escala, ainda não possuem o necessário "status" para fazerem-se representar em competições de grande porte.

A grande diferença entre os vários estilo se evidencia quando da execução dos Kata. Enquanto alguns apresentam movimentos longos outros o fazem em formas curtas demonstrando diferenças posturais. Entretanto, as lutas são bastante parecidas, vez que as próprias competições federativas, através de suas regras únicas, provocam esta aproximação entre os estilos.


fonte: http://www.infonet.com.br/askase/estilos.htm


Simples e direto

OSS

Offline Mulinari

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 54
  • Votos: +0/-0
    • www.karateashi.hpg.com.br
Re: OS ESTILOS
« Resposta #1 Online: Dezembro 04, 2007, 17:25:42 »
Prezado Samurai,

Estive lendo o asunto deste forum "Os Estilos", e tomo a liberdade de postar este texto, texto este retirado de um site, sei que todos sabem o que esta escrito, e quais são esses estilos, mas creio que vale para praticarmos nossos conhecimentos!!!

Os Estilos de Karatê:

O Estilo de Karaté praticado por este ou por aquele clube dá a sensação de não fazer diferença nem apresentar uma especial particularidade. Porém, para os praticantes dos diversos estilos, as diferenças de concepção de técnica e mesmo das bases fundamentais, são bem distintas e muitas vezes, infelizmente, irredutíveis. Cada um julga estar na posse da verdadeira ciência e do verdadeiro segredo, caminhando, pois, na via do Karaté que considera melhor. Esses pontos de vista assemelham-se muitas vezes ao fanatismo das religiões e desembocam, como essas religiões, no mesmo fim. Há uma grande multiplicidade de "escolas" com diferentes estilos de Karaté. No Japão podemos contar 15 ou 20 diferentes. Estas serão as mais válidas pois estão mais codificadas, estabelecendo o programa de ensino através dos Katas e indicando ainda os Katas necessários a uma progressão de graduação.

O Shotokan – J.K.A

O lema do estilo Shotokan, o mais codificado e directamente ensinado e estabelecido pelo mestre Gichin Funakoshi e seu filho Yoshitaka Funakoshi, é "força, velocidade e endurance". No entanto, em princípio, é uma técnica baseada no trabalho a longa distância e em contracção de movimento. Os Katas oficiais são os Taykyokus, Heians, Tekkis, Kankus e Bassai, hoje editados minuciosamente em magníficos volumes por Masatoshi Nakayama, chefe instrutor da Japan Karaté Association. Contudo, mesmo no seio do Shotokan, existe ainda nova cisão baseada no ensino dos mestres Egami e Harada, Oshima e Murakami, que dirigem a Escola Shotokai. É um estilo muito fechado, que se detém, sobretudo, sobre o aspecto mental do Karaté. O Shotokan é o estilo mais difundido na Europa (agrupando cerca de 70 por cento de efectivos do Karaté no exterior do Japão) talvez por ser a técnica mais racionalizada e com um programa didáctico mais definido, mais sóbrio e clássico.

O Kiokushinkai

O Estilo Kiokushinkai, do Mestre Masutatsu Oyama. Oposto ao Shotokan, tem de espectacular o que o o Shotokan e o Shotokai possuem de sobriedade. Os volumes do Mestre Oyama estão recheados de proezas fantásticas em testes de quebra (Swiwari). Os Katas são mais complicados e pouco conhecidos na Europa: Osurhiho, Seienchin, Garyu, etc.. A guarda de combate é estabelecida a partir de Neko-Ashi-Dachi, posição que define praticamente a particularidade do estilo Kiokushinkai. Este método é praticado em todo o mundo e bastante difundido na América, onde mestre Oyama efectou um tournée que deixou todo o público abismado com tal potência.

O Goju-Ryu

O Estilo do velho Mestre Higaonna. Este verdadeiro gigante, de forças hercúlea, era partidário das blocagens estáticas, para dai poder efectuar o contra-ataque em contracção máxima. Daí resulta uma série de movimentos e posições mais altas e de pouca amplitude, mas de tremendo poder. Os Katas desta escola são os Sanchin, Tensho, Sanseru, Suparinpei , etc.. Este estilo é pouca estético e elegante mas muito eficaz no combate próximo. O lema deste estilo é: "Á força opõe a souplesse, à souplesse opõe a força". O mestre actual é o Mestre Morio Higaonna, 9º Dan. Também deste estilo o mestre Gogen Yamaguchi, mais conhecido por "gato", que numa idade avançada mantinha uma forma excepcional dirigindo a Escola Associação Goju-Kai (sub estilo do estilo Goju-Ryu e praticamente desconhecido na europa), com cerca de 6000 participantes. O mestre Gogen Yamaguchi faleceu em 1989 com 70 anos de idade. Uma das especialidades desta Escola é a execução dos Katas com uma respiração ventral sonora. Este estilo foi fundado no Japão por Chojun Miyagi e é praticado actualmente no Japão e na América. Gogen Yamaguchi, personagem e síntese do Zen-Karaté, 10.º Dan e patriarca do Goju-Kyu, é, com efeito, uma das figuras vivas que atestam o Karaté com forma quase sobrenatural. Sobrepõe-se, por isso, às querelas sobre a diferença dos estilos, tão apanágio nos graus mais baixas da Europa. Diz-se de Mestre Yamaguchi que o "seu olhar é tão penetrante corno um tigre", e o seu "poder semelhante ao de um leão". De facto, a impressão do contacto com um karateca que atingiu o fim do caminho, ou mesmo com os seus discípulos, deve ser única, pois contactar com mestres cuja evolução em "completa visão", "completa compreensão", "completa acção", "completa vocação", *completa aplicação", (as verdades do Zen), é receber deles os meios de atingir o "completo acordar", o fim do Karate-Zen, o "sayori".

O Wado-Ryu

Este estilo é a concepção do Karaté inteiramente japonesa, criada depois da guerra pelo japonês Hironari Otsuka. Este aprendeu o Karaté de Funakoshi, separando-se depois deste para ensinar o seu estilo de Karaté. Este estilo, baseado particularmente sobre as posições altas e de técnicas na maioria baseadas sobre a esquiva, tem como Katas fundamentais de ensino os Pin-An, Kushaku, Seishan, etc.. Os Katas Pin-An, diferem relativamente pouco dos Heians, podendo considerar-se os Katas Heians, como diferenças de interpretação. O sistema de treino é menos penoso que o Shotokan, não existindo a concentração de potência e sendo os movimentos menos sincopados. Este tipo de Karaté é representado na França pelo Mestre Mochizuki, conselheiro técnico da Federação Francesa de Karaté, e em Inglaterra pelo Professor Suzuki, autor do livro "Karate-Do Wado-Ryu".

O Shito-Ryu e as escolas Coreanas e Chinesas

A técnica representada em França por Nambu, foi inventada e codificada pelo Mestre Kenwa Mabuni. É a técnica de competição ideal, visando sobretudo o combate directo contra um único adversário (em contraste com o ideal do Karaté, que é combater um número de adversários sem limite), Possui interessantes Katas, que são também estudados na Escola Shotokan: os Shozuki, Saipa, Saifa, Kosoku, etc..

Oss!!!

Marcos mulinari
OS ESTILOS DE KARATÊ


Karatê é unitário, não se divide na sua essência, porém da variedade de formas de treinamento e postura, provenientes de variadas influências de regiões ou até outro povos, surgiram os vários estilos.

Exemplificando, diremos que toda árvore tem um tronco, esse seria a essência. Deste partem os galhos em tamanhos variados, adquirindo suas próprias formas. Assim, também, é o Karatê. Possui um tronco único que é a própria arte marcial e os vários galhos, que poderemos dizer, simbolizam os estilos.

Estilo é na verdade o método usado por cada um dos antigos mestres dentro das suas próprias características e concepções.

Atualmente, existem vários estilos: SHOTOKAN, SHITO-RYU, WADO-RYU, GOJU-RYU, SHORIN-RYU, KIOKUSHINKAI e outros. Destes o mais praticado e difundido no Brasil é o SHOTOKAN.

Estes são os estilos mais conhecidos universalmente e embora outros venham sendo difundidos em menor escala, ainda não possuem o necessário "status" para fazerem-se representar em competições de grande porte.

A grande diferença entre os vários estilo se evidencia quando da execução dos Kata. Enquanto alguns apresentam movimentos longos outros o fazem em formas curtas demonstrando diferenças posturais. Entretanto, as lutas são bastante parecidas, vez que as próprias competições federativas, através de suas regras únicas, provocam esta aproximação entre os estilos.


fonte: http://www.infonet.com.br/askase/estilos.htm


Simples e direto

OSS
Marcos Mulinari
Cel.: 11 8181-9178

thoryu

  • Visitante
Re: OS ESTILOS
« Resposta #2 Online: Dezembro 04, 2007, 17:31:38 »
Pensei, pensei, respondi outro tópico,,,

Bom, Os americanos Chamam aquela coisa ridícula de pijama de cetim dourado de Karate.

Os Havaianos têm o Kempo

O Chuck Norris pratica uma Arte Marcial bem legal que esqueci o nome  se nomeia de Karate.

A coisa é muito complexa. Dentro da nomeação Karate existe até aquelas coisas de ginástica olímpica que é chamado de Karate Tricks.

Não é tudo Karate.

Mesmo a dicotomia Esportivo x Tradicional, já está num funil que exclui centenas de práticas físicas que se auto-denomeiam Karate.

Dentro deste Funil, existe por exemplo os Karates em cuja forma de Kumite os lutadores ficam exageradamente próximo, comparando com ass outras formas de Karatê.

Seriam todos o mesmo Karate? Há Karatês que apesar de vindo de Okinawa na Origem, parecem mais Muai Tay. Outros parecem Tae Kwon Do.

Acredito que não é somente Kata o parâmetro de diferenciação. Sei lá, talvez sejam as regras do Kumite, que inclusive, por exemplo no caso do Kyokushin e suas dezenas de derivações, não permitem apontar golpe de mão em direção ao rosto. Em compensação permitem um Mawashi Jodan com contato total. Vai saber.

Uma coisa totalmente subjetiva que nem eu mesmo entendo, é; por qual razão eu tendo a ter simpatia por práticas tradicionais e repulsão por modernismos como capacetes, pantufas, e Karate-Gis de cetim dourado?

Oss, Hai.

Lezon

  • Visitante
Re: OS ESTILOS
« Resposta #3 Online: Dezembro 04, 2007, 19:37:59 »
O Wado-Ryu

Este estilo é a concepção do Karaté inteiramente japonesa, criada depois da guerra pelo japonês Hironari Otsuka. Este aprendeu o Karaté de Funakoshi, separando-se depois deste para ensinar o seu estilo de Karaté. Este estilo, baseado particularmente sobre as posições altas e de técnicas na maioria baseadas sobre a esquiva, tem como Katas fundamentais de ensino os Pin-An, Kushaku, Seishan, etc.. Os Katas Pin-An, diferem relativamente pouco dos Heians, podendo considerar-se os Katas Heians, como diferenças de interpretação. O sistema de treino é menos penoso que o Shotokan, não existindo a concentração de potência e sendo os movimentos menos sincopados. Este tipo de Karaté é representado na França pelo Mestre Mochizuki, conselheiro técnico da Federação Francesa de Karaté, e em Inglaterra pelo Professor Suzuki, autor do livro "Karate-Do Wado-Ryu".

OSS
[/quote]

Bom, eu só me vou referir ao Wado porque é o meu estilo. No entanto, tenho a certeza que o que vou dizer também servirá com toda a certeza para os outros estilos.
A descrição que o Mulinari fez o favor de extraír de um site, estaria actualizada à cerca de 30 anos atrás. Hoje tudo é diferente, mais concrectamente no que concerne às representações do estilo. Por exemplo, no que respeita ao Wado, as coisas mudaram radicalmente. Então, o Mestre Mochizuki que é referido, representa na federação Francesa a sua arte que é YOSEIKAN BUDO e não o Wado-Ryu.

Tatsuo Suzuki que está de facto em Inglaterra de quem fui discíplo até 3º.Dan, representa a sua própria organização que é a WIKF-Wado International Karate-do Federation.

Depois, existe ainda a Wado-Ryu Karate-do Renmei de Jiro Ohtsuka, filho do fundador.

Finalmente, a JKF Wado-Kai que é a entidade que representa o estilo Wado-Ryu na WKF e que também tem o recohecimento do governo Japonês.

Resumindo e concluindo sobre as organizações Wado: todas as organizações de Wado existentes  que não sendo a JKF Wado-Kai, são organizações fundadas por Mestres dessidentes da Wado-Kai.

Sobre o estilo em si havia mais coisas a dizer, mas acho que já disse o essencial numa entrevista que já dei ao Karateca.net.

Hai!!! Oss!! 
« Última modificação: Dezembro 04, 2007, 19:40:03 por Jose Lezon »

Offline samurai

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.184
  • Votos: +0/-0
Re: OS ESTILOS
« Resposta #4 Online: Dezembro 05, 2007, 08:07:12 »
thoryu

Chuck Norris pratica tang soo do (coreano)

O kempo havaiano e Kenpo americano tem origens em Okinawa

O Muay-thai praticado na Tailandia é muito diferente do que vemos aqui e na europa.
usam bases longa como no Shotokan tem katas, etc.

Kumite mais proximo ou mais distante só tem um segredo treinar MAAI.

Karate Tricks pura demonstração ( ninguem fica pulando e virando na rua).

esportivo e tradicional - só existe o esporte porque criaram a arte para guerra.


No final é tudo igual depende da forma como se ensina, é mais facil defender uma ideia ja estabelecida do que criar uma visão diferente do mesmo ideal.
Mas quando alguem o faz primeiro é louco, picareta, fanfarrão para só depois ser aceito ou tolerado pelos demais.

soco é soco e só tem efeito quando se treina com vontade.

Se for assim O Sensei Carlos Rocha estaria cometendo um crime contra o karate tradicional, pois lançou um livro de defesa para mulheres, baseado no KARATE, mais não diz que é karate.
Ensinou o kata parado aos seus alunos e o pessoal do forum que foi lá treinar, algo que não existe no Shotokan, mais ele criou devido sua visão da eficacia da arte.
E nem por isso teve que tirar o Karate de seu DOJO.



OSS

Offline katsumoto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.936
  • Votos: +1/-19
Re: OS ESTILOS
« Resposta #5 Online: Dezembro 05, 2007, 09:10:30 »
Samurai,

Nao concordo com a comparação que vc fez do Sensei Carlos Rocha.
Simplesmente porque ele treinou Karate com alguem de nome, de pedigree, literalmente viu a viola em caco. Adquiriu o seu conhecimento sendo martelado todos os dias. Pessoas assim estão em outro patamar no Karate.
A pergunta seguinte encerrra a discussão...
_ Com quem esses fanfarrões treinaram??
- Quem os graduou???
 Treinar o Kata parado não é diferente de treina-lo andando, ele não inventou nada, o movimento EXISTE, chama-se KIRI KAE, que significa trocar a perna. Esse treinamento é comum nos Dojos da JKA do Japão.
Sobre o livro, Karate supostamente seria para DEFESA PESSOAL não é mesmo??
Portanto nada errado na publicação.
Ja existem Karate demais no Japão. Brasileiros criando estilos deveriam dar outro nome a arte, menos Karate....pelo menos é o que eu penso.
Karate é arte do Japão.
KATSUMOTO-Prof. Roberto Sant Anna

Lezon

  • Visitante
Re: OS ESTILOS
« Resposta #6 Online: Dezembro 05, 2007, 09:54:53 »

Chuck Norris pratica tang soo do (coreano)

O kempo havaiano e Kenpo americano tem origens em Okinawa

O Muay-thai praticado na Tailandia é muito diferente do que vemos aqui e na europa.
usam bases longa como no Shotokan tem katas, etc.

Kumite mais proximo ou mais distante só tem um segredo treinar MAAI.

Karate Tricks pura demonstração ( ninguem fica pulando e virando na rua).

esportivo e tradicional - só existe o esporte porque criaram a arte para guerra.


No final é tudo igual depende da forma como se ensina, é mais facil defender uma ideia ja estabelecida do que criar uma visão diferente do mesmo ideal.

OSS


Muito bem, o Samurai deu a sua visão sobre o assunto e que não deixo de concordar.

Aproveitando a oportunidade porque vem a "talho de foice", mais feliz eu estou por ter de facto enveredado por praticar KARATE! É que dentro das chamadas artes marciais e /ou quaisquer outras lutas que são dezenas delas, felizmente que optei pelo Karate.

Digo isto porquê?

Como muito bem sabemos, há uns anos atrás começou a surgir em força a chamada "defesa pessoal" e dentro desta os nomes mais variados...depois começamos a assistir a um markting fantástico, slogans bombásticos que quase ofuscavam por completo o Karate (na ideia deles)...Então nos dias de hoje isso se evidencia ainda mais, pois constantemente vemos anúncios com afirmações de existência de cursos com garantia de eficácia total, habilitando as pessoas a defenderem-se, etc,etc,etc.

Tenho lido e relido muito sobre a questão e pela experiência que tenho estou mesmo feliz por fazer Karate, pois ele é abrangente em todos os aspectos de luta. O Karate tem praticamente tudo!  Depois cada um deve explorá-lo correcta e convenientemente.

Defesa pessoal não é arte marcial, mas todo o apendizado bem ministrado é de facto importante. Quanto à sua eficácia, assim como em outra qualquer arte de luta, ela depende muito de vários factores. O desconhecido é imprevisível…no entanto, a eficácia começa primeiro a estar dentro de nós próprios. É evidente que há situações e situações…

É óbvio também que quantos mais anos se tiver de prática de qualquer Arte, seja ela Marcial ou de defesa pessoal, mais aptos estaremos nós para nos desenrascarmos de uma situação difícil. Agora sermos totalmente eficazes  isso é muito subjectivo e vai uma distância muito grande…

Que ninguém se iluda fazer um ou dois cursos de defesa pessoal, ou mais, e já fica habilitado a poder defender-se…mentalizem-se sim que devem treinar sempre muito e durante anos, pois quanto mais tempo o fizerem mais aptos ficarão para se defenderem.

Este é o conselho que dou a quem procura treinar comigo. E para a total eficácia só dou mais ou outro conselho: procurem sempre não estar no “problema”…

Hai!!!  Oss!!

« Última modificação: Dezembro 05, 2007, 14:08:57 por Jose Lezon »

Offline samurai

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.184
  • Votos: +0/-0
Re: OS ESTILOS
« Resposta #7 Online: Dezembro 05, 2007, 10:18:29 »
Citar
Nao concordo com a comparação que vc fez do Sensei Carlos Rocha.
Simplesmente porque ele treinou Karate com alguem de nome, de pedigree, literalmente viu a viola em caco. Adquiriu o seu conhecimento sendo martelado todos os dias. Pessoas assim estão em outro patamar no Karate.

Concordo com voce o Sensei Carlos esta em outro paramar.
Mais quantos treinaram com ele no inicio e ficaram no meio do caminho, neste caso o Homem faz a diferença, a escolha dele no principio e hoje em dia sua visão da arte.


Citar
A pergunta seguinte encerrra a discussão...
_ Com quem esses fanfarrões treinaram??
- Quem os graduou???.

Não sei se isso importa muito, pois se o sensei dele esta longe ou ja morrer o erro continua.
 
Citar
Treinar o Kata parado não é diferente de treina-lo andando, ele não inventou nada, o movimento EXISTE, chama-se KIRI KAE, que significa trocar a perna. Esse treinamento é comum nos Dojos da JKA do Japão..

Mais aqui no Brasil ate hoje só vi a Mushinkan treinar e ensinar.

Citar
Sobre o livro, Karate supostamente seria para DEFESA PESSOAL não é mesmo??
Portanto nada errado na publicação..

Nada errado, a ideia foi mostrar que pode usar outro nome para a mesma coisa, quantas pessoas de outra arte não compraram o livro, e será que comprariam se fosse Karate para mulheres.

Citar
Ja existem Karate demais no Japão. Brasileiros criando estilos deveriam dar outro nome a arte, menos Karate....pelo menos é o que eu penso.
Karate é arte do Japão..

Karate apesar de banalizado por muitos ainda é um nome forte é mais facil apoiar-se nele do que criar outro.

Não defendo ninguem apenas procuro ver as coisas de uma forma mais simples, do tipo sim e não nada de talves.
Mais ou menos como o Gustavo disse "Se me bater respeito senão não respeito", a diferença é que antes de lutar procuro aprender sobre ai descarto o que não me serve.

OSS

Kaiko

  • Visitante
Re: OS ESTILOS
« Resposta #8 Online: Dezembro 05, 2007, 12:43:04 »
Olá amigos,

Gostaria de dar minha opinião sobre a questão. Para mim, karatê é arte marcial desenvolvida no Japão, o gi é branco por tradição e há estilos mais tradicionais, e os menos tradicionais que, mesmo alterando detalhes técnicos mantém um mínimo de coerência com suas raízes. Que Jigoro Kano tenha adaptado o JJ, ou que Funakoshi tenha adotado o sistema de faixas a partir do Judo, posso quase afirmar de que o objetivo não foi o marketing.

Agora, acho que importa sim a formação do professor. Trabalho com educação, claro em outra área, mas o princípio é que quem ensina, deve  ter uma base sólida e clara. Aparecer do nada dizendo que tem tal graduação, é o mesmo que ir a uma consulta em um médico com diploma adulterado (como já aconteceu).
No caso do denominado "Sistema Brasileiro de Karatê", toda a reviravolta que foi proposta para essa arte marcial exigiria uma patente diferente. Se até os termos teriam que ser traduzidos, a coerência seria não utilizar "karatê" para se promover. Isso é moralmente inaceitável. É o mesmo que vender achocolatado em pó "Dizzioli", com a Marca "Nescau", pois essa é mais conhecida, e poderá aumentar o mercado consumidor...

Nesse caso, respeito muito mais o Tayando, que é bastante achincalhado, mas que adotou sua própria identidade, explica de certo modo suas raízes e esta taí. O país é livre, treina quem quer. Igual para o Bushido-ryu. Mantive um diálogo com um colega do Forum que defende essa arte marcial e ele me explicou que isso a fundamentou. Moro na região onde se concentra a maior parte dos dojos do Bushido e eles têm bastante alunos, e não usaram o karatê, base da arte, para difundir seu nome, ou seja para se "vender". Claro, isso não excluí a formação do professor, que deve ser verificada pelo praticante antes de iniciar os treinos. Cada um é livre para decidir se isso importa ou não. Para mim, importa. Gosto de aprender com quem se preparou, sofreu e foi reconhecido dentro de uma linha coerente de prática, e não alguém que pula de galho em galho até virar um "suposto" mestre ninja.

Não gosto de simplificar o karatê se "esse me bate, ou eu bato nele". Álias, essas "coisas modernas" ou "o novo" (que para mim não tem nada de moderno ou novo, trata-se apenas de um "copião" do que já existe, e reembalado por alguém que se intitula o revolucionário da coisa) pode até ser eficiente (o que é um termo subjetivo também). Mas o karatê, para mim, e portanto isso é uma opinião particular, é um método de combate forte, eficiente, e que carrega consigo uma história, uma tradição que deve ser respeitada. Trata-se de um conjunto indissociável.


OSS.

Lezon

  • Visitante
Re: OS ESTILOS
« Resposta #9 Online: Dezembro 05, 2007, 14:14:55 »
Amigo Kaiko,

Concordo com tudo o que disse.

Hai!!   Oss!!

thoryu

  • Visitante
Re: OS ESTILOS
« Resposta #10 Online: Dezembro 05, 2007, 17:12:17 »
Kaiko, parabéns pelo post.
Eu escreveria a mesma coisa, se tivesse a manha.

Offline Mulinari

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 54
  • Votos: +0/-0
    • www.karateashi.hpg.com.br
Re: OS ESTILOS
« Resposta #11 Online: Dezembro 05, 2007, 18:09:54 »
Prezado Kaiko,

Gostaria de dizer que treino Karatê desde 1983, iniciei meus treinos e me formei Fx Preta no Shotokan, posterior diversos acontecimentos do destino.... iniciei meus treinos no Sistema Brasileiro de Karatê, posso lhe dizer com toda a certeza que talvez hoje o SBK tenha alguns problemas quanto a formação de seus Karatecas, creio que hoje os Karatecas não estejam tão bem treinados, com no passado, mas é algo que se muda.

Mas, tenho que dizer também, que me formei nas turmas da antiga, e que , nunca havia treinado algo parecido, com tanta eficácia, com aplicações tão bem elaboradas e com um combate fora do comum.... (creio que o nosso Amigo Samurai, possa falar um pouco sobre o perfil de um Karateca do SBK, pois acho que le veio do SBK), não quero falar sobre reconhecimento nas federações , etc.... tanto que eu mesmo estou retornando meus treinos para o Shotokan (sem abandonar o SBK), mas que fique claro, que retorno só pelo fato de ser reconhecido por uma federação (cuja qual mantém seus figurões, alimentados pelo dinheiro dos outros, ou seja, pelo dinheiro dos reconhecidos) não retorno buscando melhora meu Shiai ou Jyu Kumite... pois esses, verdadeiramente aprendi a usar no SBK, pelo motivo que no SBK sabia ou sabia, e tenha a certeza que sempre foi assim, e com muita técnica. Técnica essa já não mais tão apurada pelos atuais alunos, mas que eu tenho como objetivo pessoal, de fazer com que voltemos a ter a mesma eficácia e qualidade do passado.

Quanto a chamar o estilo do SBK de Karatê, não vou nem tentar argumentar, pois creio que não tenho capacidade e habilidade para isto.... mas lembre-se que tem muitos e muitos Dojos espalhados por aí, que talvez achemos em nossa concepção que não deveriam nem estar abertos, muito menos dizer que ensinam Karatê, mas também não tenho capacidade e habilidade para avaliar, então devo respeitar o meu, o seu, e qualquer outro que eu venha a encontrar em minha jornada.


Oss!!!

Marcos Mulinari




Olá amigos,

Gostaria de dar minha opinião sobre a questão. Para mim, karatê é arte marcial desenvolvida no Japão, o gi é branco por tradição e há estilos mais tradicionais, e os menos tradicionais que, mesmo alterando detalhes técnicos mantém um mínimo de coerência com suas raízes. Que Jigoro Kano tenha adaptado o JJ, ou que Funakoshi tenha adotado o sistema de faixas a partir do Judo, posso quase afirmar de que o objetivo não foi o marketing.

Agora, acho que importa sim a formação do professor. Trabalho com educação, claro em outra área, mas o princípio é que quem ensina, deve  ter uma base sólida e clara. Aparecer do nada dizendo que tem tal graduação, é o mesmo que ir a uma consulta em um médico com diploma adulterado (como já aconteceu).
No caso do denominado "Sistema Brasileiro de Karatê", toda a reviravolta que foi proposta para essa arte marcial exigiria uma patente diferente. Se até os termos teriam que ser traduzidos, a coerência seria não utilizar "karatê" para se promover. Isso é moralmente inaceitável. É o mesmo que vender achocolatado em pó "Dizzioli", com a Marca "Nescau", pois essa é mais conhecida, e poderá aumentar o mercado consumidor...

Nesse caso, respeito muito mais o Tayando, que é bastante achincalhado, mas que adotou sua própria identidade, explica de certo modo suas raízes e esta taí. O país é livre, treina quem quer. Igual para o Bushido-ryu. Mantive um diálogo com um colega do Forum que defende essa arte marcial e ele me explicou que isso a fundamentou. Moro na região onde se concentra a maior parte dos dojos do Bushido e eles têm bastante alunos, e não usaram o karatê, base da arte, para difundir seu nome, ou seja para se "vender". Claro, isso não excluí a formação do professor, que deve ser verificada pelo praticante antes de iniciar os treinos. Cada um é livre para decidir se isso importa ou não. Para mim, importa. Gosto de aprender com quem se preparou, sofreu e foi reconhecido dentro de uma linha coerente de prática, e não alguém que pula de galho em galho até virar um "suposto" mestre ninja.

Não gosto de simplificar o karatê se "esse me bate, ou eu bato nele". Álias, essas "coisas modernas" ou "o novo" (que para mim não tem nada de moderno ou novo, trata-se apenas de um "copião" do que já existe, e reembalado por alguém que se intitula o revolucionário da coisa) pode até ser eficiente (o que é um termo subjetivo também). Mas o karatê, para mim, e portanto isso é uma opinião particular, é um método de combate forte, eficiente, e que carrega consigo uma história, uma tradição que deve ser respeitada. Trata-se de um conjunto indissociável.


OSS.
Marcos Mulinari
Cel.: 11 8181-9178

thoryu

  • Visitante
Re: OS ESTILOS
« Resposta #12 Online: Dezembro 05, 2007, 20:14:05 »
Colega Murinari; Tendo 17 anos de shodan Shotokan já seria sandan ou mais.

Caso pretenda seguir carreira no SBK, dando prioridade à esta entidade, usufruindo nesta o státus do seu maior Dan, não espere que seja esta graduação seja reconhecida por todos karatecas e instituições. Talvez daqui uns vinte ou trinta anos a SBK vire unanimidade - apesar de que as unanimidades possam ser burras.

Se eu fosse vc prestava para nidan em shotokan.

Ou então vai fundo na SBK. Cada um, cada um.

Não se trata de aversão ao novo. Se trata de aversão à auto proclamação de Nono Dan por um "Sensei". E um Karateca que faz isso, faz qualquer coisa. Fazendo qualquer coisa, quem pode saber que Karate pratica e ensina? Com respeito à você,
Oss, Hai.

Offline Luiz

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.124
  • Votos: +1/-1
Re: OS ESTILOS
« Resposta #13 Online: Dezembro 06, 2007, 06:56:01 »
Engraçado que todo mundo aqui diz que Dan não quer dizer nada, faixa muito menos, o que vale é o Karate de cada um mas...

Quando aparece um nono dan na parada irrita todo mundo... :D

Eu não me manifestei até agora porque eu não to nem ai pro Dan que o cara é ou deixa de ser, mas já que postei vamos la...

Sinceramente no vídeo eu achei também uma movimentação com pouca velocidade e ausência de Kime, digo isso pois foi citado que é dissidente do Shoto-kan e não vi Shoto-kan treinado dessa maneira ainda.

Com certeza não é o melhor vídeo para divulgação do estilo.

OSS...
"Aqui se cultiva o corpo e a mente"

Offline Mulinari

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 54
  • Votos: +0/-0
    • www.karateashi.hpg.com.br
Re: OS ESTILOS
« Resposta #14 Online: Dezembro 06, 2007, 07:34:33 »
Luiz,

Concordo com suas observações!!!!

Marcos Mulinari
Engraçado que todo mundo aqui diz que Dan não quer dizer nada, faixa muito menos, o que vale é o Karate de cada um mas...

Quando aparece um nono dan na parada irrita todo mundo... :D

Eu não me manifestei até agora porque eu não to nem ai pro Dan que o cara é ou deixa de ser, mas já que postei vamos la...

Sinceramente no vídeo eu achei também uma movimentação com pouca velocidade e ausência de Kime, digo isso pois foi citado que é dissidente do Shoto-kan e não vi Shoto-kan treinado dessa maneira ainda.

Com certeza não é o melhor vídeo para divulgação do estilo.

OSS...
Marcos Mulinari
Cel.: 11 8181-9178