Autor Tópico: Reconhecimento Oficial do Karate  (Lida 15436 vezes)

Lezon

  • Visitante
Reconhecimento Oficial do Karate
« Online: Agosto 06, 2007, 19:28:59 »
Meus caros,

O tema que proponho à discussão, sei que é polémico, mas eu não resisti em o apresentar porque acho que ele servirá para acordar algumas consciências...

Por favor não me julguem mal, pois a minha única intenção é pura e somente lutar para que as pessoas acordem para a realidade, que vejam bem o quanto é lamentável e triste o estado em que vive o Karate neste país, essencialmente na sua desorganização com a complacência governamental que eu considero de desprestigiante e inadmissível.

Este tema vai com toda a certeza trazer aqui ideias e opiniões que já têm sido expressadas em outros tópicos, mas agora deverá ser mais e melhor aprofundado, e, peço eu, que seja debatido com elevação e sempre na perspectiva não só do engrandecimento do Karate, como essencialmente pelo bem comum da sociedade, da qual fazem parte os nossos próprios filhos, etc.etc.

Punhamos pois de lado os nossos interesses pessoasi, de clubes, associações, federações, estilos e outros, e vamos sim tratar de aprofundar as consequências que podem advir da falta de reconhecimento oficial não só das instâncias mundiais mais representativas, como principalmente por parte do governo do próprio país.

Esqueçamo-nos de nós e vamos pensar nos nossos jovens que têm outro futuro que não o nosso, e que vivem com outras perspectivas porque a realidade é outra.

Lembrem-se que enquanto andarmos todos para aqui a degladiarmo-nos, quem são os prejudicados, ou melhor, quem estamos a prejudicar directamente? Por exemplo, Já pensaram quantos praticantes de Karate se sentiram prejudicados por não serem vistos e achados para irem aos treinos de selecção? E porque???

Bom, o que eu pretendo com isto é que todos juntos pensem com consciência quem é o verdadeiro prejudicado no meio disto tudo e que se tente inverter a situação com
com alguma dignidade. Eu vou agora deixar que dêm as vossas opiniões, para que eu mais adiante poder dizer algo sobre a postura governamental que pelos vistos não é nenhuma, o que é de lamentar!

Saudações.


Neto110

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #1 Online: Agosto 06, 2007, 20:10:17 »
Reconhecimento oficial para olimpíadas? Jà disse, se alguém quizer ir para as olimpíadas vai ter que mudar para a cidade aonde mora o técnico oficial da sua categoria, entrar na academia dele e mostra o que é capaz. Não há outro modo rápido de se conseguir isto.

Se houvesse um modo de todos estarem juntos, havberiam tantas brigas de ego que os atletas estariam ainda mais prejudicados que como está.

Os atletas da organização que estou ligado estavam empolgadíssimos na época do PAN, tanto por estar o karate estar na mídia como por eles mesmos estarem indo para o campeonato panamericano de karate SKI.

Isto, mesmo, uma organização tão grande de karate que tem sua própria versão de campeonato de karate (além da versão de campeonato mundial, que sempre conta com gente do estado representando).

Viajam, lutam, voltam felizes. Olham o Pan, ficam felizes. Quando perguntam qual a diferença das 2 organizações, perguntamos de volta qual a diferença entre as várias organizações que admnistram o boxe profissional. Ninguém pergunta mais. Todos sabem.

Para o quesito competições, os atletas querem que o evento seja organizado e os eventos da SKI são muito organizados.

Para os que são como eu, campeonatos pouco importam.

Lezon

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #2 Online: Agosto 06, 2007, 22:59:02 »
Caro Augusto,

O que eu refiro de oficial, não tem a ver com o Karate Olímpico, mas é evidente que ele está intrinsecamente ligado.

Eu já abordei o assunto numa entrevista que me foi solicitada dar ao Karateca.net, mas agora o assunto é mais apropriado para desenvolver.

Com efeito, quero mais uma vez alertar o amigo Augusto e os restantes participantes deste fórum, para não me levarem a mal por algo que eu possa dizer que ofenda, pois longe de mim ter essa intencionalidade, mas sim querer abanar as consciências para a realidade para se tentar mudar o estado das coisas para bem de todos que gostam da modalidade.

Por favor,  não me interpretem mal nem pensem que estou a querer dar lições a ninguém, nada disso meus amigos, o que eu quero é contribuir para o bem de todos que gostam desta nossa arte.

Pois bem, começo por dizer com toda a frontalidade que o Karate neste país, no que concerne à sua organização, é uma autêntica desgraça, ou melhor, vou usar um termo que me parece mais adequado à situação e, ao que julgo saber, é de origem brasileira, que é a BAGUNÇA!!!!

Pelo que me é dado observar, todos os que estão no Karate são culpados, uns mais e outros menos, mas, o principal causador desta “bagunça” é o governo. Efectivamente, creiam que assim é, pois, dado que as pessoas do Karate não se entendem, o governo deveria intervir para resolver a situação, o que não faz talvez por também não estar interessado já que tal iria que ter de abrir os cordões à bolsa…

Isto me faz perguntar o seguinte: ninguém fiscaliza ninguém? Isto é, toda a gente pode dar aulas de Karate? Não há regulamentação nem legislação que regulamente o ensino do Karate e /ou outras modalidades? Bom, para evitar estar aqui a fazer perguntas, eu vou falar de como funciona o Karate em Portugal e no geral na Europa. Mas antes, e no que concerne a Portugal e Espanha, há 20/25 anos atrás, também era uma autêntica “bagunça” !
 
Como é que acabou esta bagunça? Foi fácil e mesmo antes das directrizes da Comunidade Europeia para a regulamentação do desporto em toda a comunidade. As federações que existiam na altura, pediam subsídios ao  governo  para participarem nas provas internacionais, etc, etc.  O ministério que tutelava o desporto, marcou uma reunião com os lideres das federações e, frontalmente, foi dito em dois minutos, ou vocês se entendem e fazem uma só federação, ou não há dinheiro e não apoiaremos  ninguém. Passado um ano e meio de conversações nasceu a FNK-P – Federação Nacional Karate Portugal, tendo-se extinguido as outras. Hoje só esta tem o reconhecimento do COP e do governo e da EKU e WKF. Neste momento, a FNK-P recebe à volta de 150 mil euros do governo, o que dá cerca de 390 mil Reais, mas vai passar a receber mais.

Bom, mas aonde eu quero chegar e que é muito importante: na Europa para exercer o ensino de qualquer modalidade, há que ser credenciado para o efeito. Então, no que diz respeito ao Karate, governo só reconhece os cursos feitos pela FNK-P e por mais nenhuma outra entidade, tal como os governos dos restantes países reconhecem às federações que reconhecem. Ora isto obrigou a criação de legislação e Decreto-Lei para regulamentação do ensino do Desporto em geral, em que abertura de Academias, Clubes, Centros de prática, Ginásios, etc, obriga a que todas essas instalações tenham  um director Técnico credenciado, e instrutores credenciados pela federação de qualquer modalidade reconhecida pelo governo.

Paralelamente a esta legislação, saiu uma outra que fiscaliza os locais de prática, pelo que quem não estiver credenciado, além das coimas que terá de pagar e que não são nada baratas, as instalações serão fechadas.

Bom, como já o assunto já vai longa, vou ficar agora por aqui e dar continuidade uma pouco mais adiante. Entretanto já estão a ficar com uma ideia das coisas…

Até já.
Hai!!!
           

Offline Luiz

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1.124
  • Votos: +1/-1
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #3 Online: Agosto 07, 2007, 08:23:19 »
Amigo Lezon, me desculpe mas eu particularmente acho que você perde muito tempo mostrando sua preocupação com o que diz ofender alguem...

Aqui é um forum aberto a opiniões diversas e cada um tem o direito de expor a sua, pelo que conheço do perfil do nosso site (estou aqui a 3 anos) quanto mais direto for em seus post mais pessoas irão ler e lhe responder...(as vezes surge um desafio aqui e ali mas acaba em pizza ou feijoada).

Agora queremos ser reconhecidos oficialmente pela entidade máxima do esporte no país mas, queremos quem? quem somos nós? um grupo unido? a maioria de um só estilo? somos varios estilos organizados? se não somos um só grupo, qual é o melhor?
qual deveria ser o oficial?

Não somos organizados e nunca nos reconhecerão como tal.

OSS...



"Aqui se cultiva o corpo e a mente"

Offline Marcio Santos

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 259
  • Votos: +0/-3
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #4 Online: Agosto 07, 2007, 09:06:29 »
Concordo com o Luiz!

José Lezon! Sem querer ofender, não tenho nem tempo nem paciência para ler o que vc escreve....E creio que a grande maioria dos participantes do fórum também!!! Vc podia resumir seus posts! Ficaria bem mais interessante..........

OSS!!!

Lezon

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #5 Online: Agosto 07, 2007, 09:40:36 »
Meus caros,

De facto, cheguei agora à conclusão de que estou a perder o meu tempo.
O topico que apresentei deixei-o a meio, muitas coisas havia para dizer e que interessaria provavelmente a outras pessoas. Fico por aqui.
Saudações.
 

Neto110

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #6 Online: Agosto 07, 2007, 11:59:08 »
Não posso deixar de destacar que o Lezon não é feliz ao aontar a nossa legislação como bagunçada: ela não é: ela só naõ é igual à européia.

Um princípio precisa ser defendido aqui: a democracia e a liberdade (a Europa seria berço disto como também seria do esporte), e nossa legislação contempla isto.

Como nosso karate naõ nasceu ligado à academia (no sentido acadêmico, universidade), mas como uma prática corporal ligada à manifestação cultural oriental, vai ser bem difícil criar um sistema de controle.

O CREF confef tentou isto e não conseguiu, a CBK tentou, e não conseguiu e reflito se alguém conseguirá, ou se isto realmente seria necessário.

Bem, se você para a discussão, eu entendo e respeito, mas o tópico está aí e quem achar adequado usá-los para aprofundar os temas pode fazê-lo, sempre haverá quem se interessa no assunto.

Lezon

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #7 Online: Agosto 07, 2007, 12:28:30 »
Amigos,

Creiam que lamento sinceramente tê-lo feito, especialmente pela grande maioria das pessoas que participam no fórum que, embora não as conheça pessoalmente, salvo uma ou outra excepção, admiro, considero e respeito muito e também sei que há essa reciprocidade.

Porém, como não estou habituado a determinados comentários que são completamente descabidos e desviantes aos assuntos apresentados, mas que subtilmente e ou ardilosamente sabem que ferem a dignidade a sensibilidade do ser mais pacífico, porque não somos “burros”, entendo ser melhor silenciar-me perante certos “privadas” que por aqui aparecem…

Reconheço todavia que, esses privadas, me ajudaram muito a entender que a minha forma de ser e de estar está subjacente a uma determinada cultura, e que, por consequência disso mesmo, ela não pode ser entendida por “alguns “  que vivem num país com outros parâmetros de vida social, diferentes do da minha origem. O problema é que a evolução, para esse tipo de gente, funciona como sinónimo de estagnação, já que não têm capacidade de intelecto para compreender que estão errados. Outros há que compreendendo e reconhecendo essa estagnação, são, infelizmente, impotentes perante tanta adversidade que se lhes depara pela frente, tais como a corrupção, o caciquismo, a petulância, os interesses, os orgulhos, a estupidez, etc,etc, etc..

Tudo isto que acabei de dizer, existe em toda a parte e em todos os sectores da vida social e lá no meu país não é excepção. Mas sempre se faz algo para ir mudando as coisas, mas aqui, a continuarem como até aqui, lamento dizer que não vejo como. Mas, sinceramente, lamento pelas pessoas que merecem o meu respeito e admiração, mas, fundamentalmente, pelas crianças e pelos jovens deste país que mereciam ser protegidas das “garras” de certas pessoas, cujo governo é o principal responsável por não por ordem nas coisas.

É  com muita satisfação que digo que o meu país, neste contexto, conseguiu sair da “bagunça” que também existia há 20 atrás. Espanha saiu há 25 anos e a França também.

Caro Augusto, o termo que utilizei é no sentido mais figurado e não para fragilizar as leis do Brasil. Mas o próprio Augusto reconhece as grandes dificuldades existentes e da impossibilidade quase que unânime em haver consenso. Sinceramente eu não quis ofender ninguém e peço desculpa por isso.
 
A corrupção e o caciquismo continua a existir em Portugal e nos outros países europeus, só que existe a lei para ser seguida e cumprida, pelo que quem é apanhado nessa teia sofre as consequências.

Para cumprimento da legislação e da lei que foi emanada pela CEE e por acordo de todos os países que a compõem, foi dado um tempo de carência muito grande para que todos o agentes ligados ao ensino do desporto, incluindo todas as chamadas artes marcias, fizessem a sua inscrição nas federações correspondentes às suas modalidades, a fim de se legalizarem e frequentarem Curso de formação para poderem ser credenciados. Foram criados Cursos de 4 níveis os quais estão hoje em vigor: Treinador Monitor, Treinador de Nível I, II e III.
O Treinador Monitor para poder dar aulas de Karate, tem que ser o apoio técnico de um Treinador de Nível I.

Com isto meus caros, mesmo aqueles que não querem saber de competições para nada, se inscrevem na Federação para poderem frequentar e tirar seus cursos para poderem dar aulas de Karate, caso contrário só dão aulas até ao dia que forem apanhados pela fiscalização. E meus amigos, podem dizer o que quiserem, mas os oportunistas e os “charlatões” acabam depressa.

Mas agora sei que fazer o mesmo aqui será mesmo muito difícil.

Mas pronto, eu fico por aqui pois já disse o que tinha a dizer. Quando achar que devo dizer algo o farei mais sucintamente, embora lamente que só fizessem o  “reparo” à minha pessoa, quando outros escrevem tanto ou mais do que eu e nada disseram…

Saudações Amigas!
« Última modificação: Setembro 20, 2007, 19:55:03 por Jose Lezon »

Lezon

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #8 Online: Agosto 07, 2007, 12:37:04 »
Quero pedir desculpas pela forma como reagi e, especialmente, por ter utilizado a palavra "privada". É que também não sou nenhum "santo", mas me desculpem.

Hai!!!


   

Offline pmax

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 300
  • Votos: +0/-0
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #9 Online: Agosto 07, 2007, 12:58:00 »
Lezon,

Aqui existe ou existiu uma iniciativa através do CREF(Conselho regulamentado Educação Física), somente os profissionais credenciados e que freqüentaram cursos podem dar aulas de Karate.

Porem não houve vinculo com federações, associações etc ...

Qualquer Karateca que pertença a n fed. ass., que seja credenciado ou seja formado em E.F. (Curso superior), pode dar aulas de Karate.

Ex.: Eu sou 4º Dan pela CBK, porem não me credenciei e nem freqüentei os cursos. Não posso dar aulas de Karate, a não ser, como auxiliar de algum professor credenciado.

Se eu quiser dar aula de Karate (ter um dojo), vou ter que fazer faculdade de E.F., pois o período que o CREF aceitava credenciamento para profissionais não formados, acabou.

Houve iniciativa do Governo sim, e a preocupação principal foi com a regulamentação da profissão professor de Karate, foi correta.

Organizar a "zona" do Karate no Brasil, o governo tem outras prioridades, acho que nunca existiu qualquer iniciativa a este respeito, pelo menos que eu saiba.


Offline katsumoto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2.936
  • Votos: +1/-19
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #10 Online: Agosto 07, 2007, 13:07:48 »
 Caro Pmax,

 Tenho boas noticias para vc.
 Vc pode, sim, dar aulas de Karate.
 A lei nao serve para Artes Marciais.
 Vou parar de pagar o CREF.
 Dinheiro praquela gentalha nunca mais...
KATSUMOTO-Prof. Roberto Sant Anna

Lezon

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #11 Online: Agosto 07, 2007, 13:36:41 »
Meus caros,

Na verdade, eu não me devia meter em assuntos que não me dizem respeito.

Eu estou cá por interesse pessoal e por prazer, mas de facto não me devia imiscuir em assuntos pelos quais não posso cortar nem riscar...Apesar da idade, por vezes sou ingénuo de mais.

Assuntos federativos e legislativos para mim morreram aqui...Morreram também assuntos acalorados sobre Karate de tradicional e desportivo, os quais é realmente uma perda de tempo estar a falar deles.

Por respeito e consideração a algumas pessoas aqui, comentarei aquilo que eu achar que deva, mas, sinceramente, vou contribuir(?) muito menos.

Abraços


Offline inuyasha

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 9
  • Votos: +0/-0
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #12 Online: Agosto 07, 2007, 15:50:32 »
ta vendo o que vcs fizeram, agora ele magoou e naum brinca mais!!!!!!!!!! :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'( :'(


Neto110

  • Visitante
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #13 Online: Agosto 07, 2007, 17:21:43 »
O Cref naõ tem autonomia para avaliar o que ele não formou. O karate é cultura... e de certo modo tem mais a ver com a yoga, dança, balé e capoeira que com educação física.

Do mesmo modo que estes não podem ser supervisionados pelo cref nós também não.

Sobre ter passado alguma data limite, isto é balela: se você dava aulas na data de fundação do cref tem direito ao reconhecumento, mas vai por mim: naõ vale nada o reconhecimento: você deve entrar com um habeas corpus preventivo e fazer sua prática sem preocupar com eles e naõ precisa fazedr Educação Física não.

No cursod e educação física naõ te ensinarão a dar aulas de karate. Será um curso muito válido e importante se for seu intresse mas nada a ver com karate.

Offline pmax

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 300
  • Votos: +0/-0
Re: Reconhecimento Oficial do Karate
« Resposta #14 Online: Agosto 07, 2007, 17:36:46 »

Galera,

Só uma frase resume,

QUE ZONA É NOSSO BRASIL

Bem na época, vários colegas e professores fizeram os cursos, pagaram e pagam cursos, mensalidades, para o CREF.

Eu até pensei em fazer, mas Karate é só minha diversão, graças a Deus eu tenho minha profissão e não dependo de dar aulas.

Desconfiava que fosse dar nisso.

Vergonha